29 dezembro 2006

"Vida nova" é expressão que exige planejamento

Todo mundo sempre costuma repetir: "Ano-novo, vida nova". Mas até que ponto sabemos realmente medir o peso desta afirmação e a colocamos em prática?
Se no ano que passou, você não conseguiu atingir suas metas, concretizar sonhos, acumulou mágoas e não superou desafios inesperados, agora é a hora de abrir as janelas da mente e do coração para o futuro.
É importante captar mensagens externas e não esquecer de olhar para dentro de si porque o caminho para uma vida nova passa, impreterivelmente, por nosso universo interior.
A mutação de seu momento atual, enfim, depende exclusivamente de você. Depende do seu trabalho mental, em acreditar e realizar. Nada, nem ninguém poderá fazer isso por você. A ajuda pode, sim, vir de fora, mas o impulso deve partir de você.
Independentemente de sua situação atual. Em primeiro lugar, questione com honestidade: "Eu realmente quero mudar minha vida?" Se a sua resposta for afirmativa, então é hora de mexer-se porque o ano-novo está aí.
Para que isto dê realmente certo, é necessário, antes de tudo, se permitir mudar. O próximo passo é derrubar aquelas barreiras internas tão prejudiciais, como o preconceito consigo próprio, o medo, a inveja e o rancor. E, não esqueça, o mundo ao seu redor apenas reflete o que você é.


Falsidade

Se acha, por exemplo, que o amigo ao seu lado é falso com você, é porque você também tem sua parcela de falsidade em jogo. Reflita sobre isso.
Quer mudar? Então jogue no lixo conceitos e posturas do passado. Dê oportunidade para a felicidade entrar em sua vida. Mentalize isso diariamente.


Convicções podem limitar
conquistas dos objetivos

Compreendendo de que modo seus pensamentos e convicções operam, você será capaz de ver como algumas das convicções limitadoras que mantém o afastam da conquista dos seus objetivos, observa Bruce I. Doyle em "Antes que Você Pense Outra Coisa" (Editora Cultrix).
Essas convicções, completa, podem ser removidas. "Compreender que você tem uma assinatura energética derivada das suas convicções o ajudará a entender como atrai certos acontecimentos, circunstâncias e relacionamentos para sua vida", ressalta. Conforme Doyle, quando mudamos nossas convicções, conseguimos atrair experiências novas e muito mais desejáveis.
A chamada forma-pensamento, afirma Doyle, é fator determinante nas realizações de vida. "Os pensamentos ou idéias podem parecer que residam na sua cabeça, mas, na realidade, cada pensamento existe como uma minúscula onda de energia chamada forma-pensamento." Esta forma-pensamento vibra numa freqüência energética não perceptível aos seres humanos e elas são responsáveis pela concretização de nossos desejos. É como se o ser humano fosse uma estação de rádio, que transmite para o universo seus desejos, que, por sua vez, os devolve para você.
"Se você acredita que é pobre, pode imaginar-se rico? Se acredita que é gordo, pode imaginar-se magro?", questiona Doyle.
Quando colocamos a atenção em determinados aspectos de nossas vidas, eles tendem a se expandir. Por exemplo, quando queremos trocar o carro. Imediatamente, muitas coisas sobre carros irão desfilar diante de seus olhos. Isso fica ainda mais evidente quando temos algum modelo definido em mente. Já reparou isso? Ao mesmo tempo em que uma pessoa com peso acima do ideal não consegue emagrecer porque a vida inteira sempre repetiu: "Eu não consigo emagrecer de jeito algum".
Postar um comentário
Google