31 dezembro 2006

29 dezembro 2006

Feliz 2007 para todas e todos!!!

"Vida nova" é expressão que exige planejamento

Todo mundo sempre costuma repetir: "Ano-novo, vida nova". Mas até que ponto sabemos realmente medir o peso desta afirmação e a colocamos em prática?
Se no ano que passou, você não conseguiu atingir suas metas, concretizar sonhos, acumulou mágoas e não superou desafios inesperados, agora é a hora de abrir as janelas da mente e do coração para o futuro.
É importante captar mensagens externas e não esquecer de olhar para dentro de si porque o caminho para uma vida nova passa, impreterivelmente, por nosso universo interior.
A mutação de seu momento atual, enfim, depende exclusivamente de você. Depende do seu trabalho mental, em acreditar e realizar. Nada, nem ninguém poderá fazer isso por você. A ajuda pode, sim, vir de fora, mas o impulso deve partir de você.
Independentemente de sua situação atual. Em primeiro lugar, questione com honestidade: "Eu realmente quero mudar minha vida?" Se a sua resposta for afirmativa, então é hora de mexer-se porque o ano-novo está aí.
Para que isto dê realmente certo, é necessário, antes de tudo, se permitir mudar. O próximo passo é derrubar aquelas barreiras internas tão prejudiciais, como o preconceito consigo próprio, o medo, a inveja e o rancor. E, não esqueça, o mundo ao seu redor apenas reflete o que você é.


Falsidade

Se acha, por exemplo, que o amigo ao seu lado é falso com você, é porque você também tem sua parcela de falsidade em jogo. Reflita sobre isso.
Quer mudar? Então jogue no lixo conceitos e posturas do passado. Dê oportunidade para a felicidade entrar em sua vida. Mentalize isso diariamente.


Convicções podem limitar
conquistas dos objetivos

Compreendendo de que modo seus pensamentos e convicções operam, você será capaz de ver como algumas das convicções limitadoras que mantém o afastam da conquista dos seus objetivos, observa Bruce I. Doyle em "Antes que Você Pense Outra Coisa" (Editora Cultrix).
Essas convicções, completa, podem ser removidas. "Compreender que você tem uma assinatura energética derivada das suas convicções o ajudará a entender como atrai certos acontecimentos, circunstâncias e relacionamentos para sua vida", ressalta. Conforme Doyle, quando mudamos nossas convicções, conseguimos atrair experiências novas e muito mais desejáveis.
A chamada forma-pensamento, afirma Doyle, é fator determinante nas realizações de vida. "Os pensamentos ou idéias podem parecer que residam na sua cabeça, mas, na realidade, cada pensamento existe como uma minúscula onda de energia chamada forma-pensamento." Esta forma-pensamento vibra numa freqüência energética não perceptível aos seres humanos e elas são responsáveis pela concretização de nossos desejos. É como se o ser humano fosse uma estação de rádio, que transmite para o universo seus desejos, que, por sua vez, os devolve para você.
"Se você acredita que é pobre, pode imaginar-se rico? Se acredita que é gordo, pode imaginar-se magro?", questiona Doyle.
Quando colocamos a atenção em determinados aspectos de nossas vidas, eles tendem a se expandir. Por exemplo, quando queremos trocar o carro. Imediatamente, muitas coisas sobre carros irão desfilar diante de seus olhos. Isso fica ainda mais evidente quando temos algum modelo definido em mente. Já reparou isso? Ao mesmo tempo em que uma pessoa com peso acima do ideal não consegue emagrecer porque a vida inteira sempre repetiu: "Eu não consigo emagrecer de jeito algum".

16 dezembro 2006

Feliz Natal
Jingle Bells
Repousa Tranqüilo
O canto dos sinos
Pequena vila de Belém
Noite Feliz
Oh Holy Night
O Holy Night
Celine Dion-Oh Holy night
O Holy Night
OH, NOITE SANTA!
oh holy night mariah carey
josh groban holy night
Kelly Clarkson - O Holy Night - Rockefeller
Silent Night, Holy Night
Alicia Keys O Holy Night Live Regis
O Holy Night Acapella (Santa La Noche)
Santa la Noche - Marcos witt

Natal é um Presente de Deus à Humanidade

Este presente tem um nome: Seu nome é Jesus.

Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da
Paz, Santo de Deus, Cordeiro de Deus, Autor da Vida, Senhor Deus,
Todo-Poderoso, Leão da Tribo de Judá, Autor e Consumador da Fé,
Advogado, o Caminho, Sol Nascente, Senhor de Todos, Eu Sou, Filho de
Deus, Pastor e Bispo das Almas, Messias, a Verdade, Salvador, Pedra
Angular, Rei dos reis, Reto Juiz, Luz do Mundo, Cabeça da Igreja,
Estrela da Manhã, Sol da Justiça, Senhor Jesus Cristo, Supremo
Pastor, Ressurreição e Vida, Plena Salvação, Guia, O Alfa e o Omega

15 dezembro 2006

Felicidade Realista

Martha Medeiros
De norte a sul, de leste a oeste, todo mundo quer ser feliz. Não é tarefa das mais fáceis. A princípio, bastaria ter saúde, dinheiro e amor, o que já é um pacote louvável, mas nossos desejos são ainda mais complexos.
Não basta que a gente esteja sem febre: queremos, além de saúde, ser magérrimos, sarados, irresistíveis. Dinheiro? Não basta termos para pagar o aluguel, a comida e o cinema: queremos a piscina olímpica, a bolsa Louis Vuitton e uma temporada num spa cinco estrelas. E quanto ao amor? Ah, o amor... não basta termos alguém com quem podemos conversar, dividir uma pizza e fazer sexo de vez em quando. Isso é pensar pequeno: queremos AMOR, todinho maiúsculo. Queremos estar visceralmente apaixonados, queremos ser surpreendidos por declarações e presentes inesperados, queremos jantar à luz de velas de segunda a domingo, queremos sexo selvagem e diário, queremos ser felizes assim e não de outro jeito.
É o que dá ver tanta televisão. Simplesmente esquecemos de tentar ser felizes de uma forma mais realista. Por que só podemos ser felizes formando um par, e não como ímpares? Ter um parceiro constante não é sinônimo de felicidade, a não ser que seja a felicidade de estar correspondendo às expectativas da sociedade, mas isso é outro assunto. Você pode ser feliz solteiro, feliz com uns romances ocasionais, feliz com três parceiros, feliz sem nenhum. Não existe amor minúsculo, principalmente quando se trata de amor-próprio.
Dinheiro é uma benção. Quem tem, precisa aproveitá-lo, gastá-lo, usufruí-lo. Não perder tempo juntando, juntando, juntando. Apenas o suficiente para se sentir seguro, mas não aprisionado. E se a gente tem pouco, é com este pouco que vai tentar segurar a onda, buscando coisas que saiam de graça, como um pouco de humor, um pouco de fé e um pouco de criatividade. Ser feliz de uma forma realista é fazer o possível e aceitar o improvável.
Fazer exercícios sem almejar passarelas, trabalhar sem almejar o estrelato, amar sem almejar o eterno. Olhe para o relógio: hora de acordar. É importante pensar-se ao extremo, buscar lá dentro o que nos mobiliza, instiga e conduz, mas sem exigir-se desumanamente. A vida não é um game onde só quem testa seus limites é que leva o prêmio. Não sejamos vítimas ingênuas desta tal competitividade. Se a meta está alta demais, reduza-a. Se você não está de acordo com as regras, demita-se.
Invente seu próprio jogo.

13 dezembro 2006

Uncion Tropical - Unidos (Elvis Crespo)
El himno de Victoria

Um Natal Sem Preocupação

Mateus 2 - 1 : 12

Introdução

Este texto de Mateus 2.1-12, nos fala da chegada dos Magos, sábios que viviam no Oriente, em busca da recém-nascida criança que seria Rei dos judeus. A notícia, embora tenha trazido alegria para muitos como: os pastores, os magos e outros; no entanto, não trouxe alegria para o rei Herodes.
Tanto os magos, como o rei, estavam debaixo de uma preocupação séria. E a preocupação tem sido, conforme, exaustivamente, nos mostram as Escrituras Sagradas, uma das realidades sérias na existência humana.
Vejamos duas grandes preocupações no Natal de Jesus e tiremos lições importantes para termos
I – A PREOCUPAÇÃO DE HERODES.
"Tendo Jesus nascido em Belém da Judéia, em dias do rei Herodes, eis que vieram uns magos do Oriente a Jerusalém. E perguntavam: Onde está o recém-nascido Rei dos judeus? Porque vimos a sua estrela no Oriente e viemos para adorá-lo. Tendo ouvido isso, alarmou-se o rei Herodes, e, com ele, toda a Jerusalém:"(vv.1-3).
A grande preocupação, o grande medo do rei Herodes era o de que a criança fosse encontrada, pois uma vez que a encontrassem todas as coisas seriam mudadas. Se fizermos um retrocesso na sua vida veremos que ele era um homem mau e impiedoso. Para manter-se no trono não hesitou em mandar matar seus parentes. A presença de Jesus no seu reino estaria mudando tudo e ele teria que abrir mão de muitas coisas a partir do trono, das benesses do reinado, dos poderes políticos, e uma infinidade de coisas mais.
O encontro de cada um de nós com o Senhor Jesus requer que abramos mão de muita coisa. Deve haver mudança, transformação, entrega, quebrantamento, etc. Conta-se que uma irmã, da Igreja Presbiteriana no Estado do Espírito Santo, dona de uma banca de jornais e revistas viu-se obrigada a vender a revista erótica da Playboy. Ela disse que não faria tal coisa e perdeu a concessão das demais revistas da Editora. Outro fato foi de uma família que estava passando por dificuldades e resolveu montar uma lanchonete. No entanto, como deveria vender bebida alcoólica resolveu não montar esse negócio lucrativo pois estaria contribuindo para o alcoolismo que desgraça famílias e destrói a nação.
II – A PREOCUPAÇÃO DOS MAGOS.
"Onde está o recém-nascido Rei dos judeus? (v.2). "E, vendo eles a estrela, alegraram-se com grande e intenso júbilo?"(v.10)
Se o rei Herodes se preocupou com o fato de ser encontrada a criança e, conseqüentemente, ser tudo mudado, a dos Magos era a de não ser encontrada, e, conseqüentemente nada ser mudado.
Eles investiram uma grande fortuna para realizar a fantástica caravana que os levaria do Oriente até Jerusalém. Uma viagem difícil e de certo modo perigosa em todos os aspectos. Quanto sonho investido. Quanta expectativa acumulada para ver a criança. O simples fato de encontrá-la, tocá-la, pagaria por todo sacrifício. Neles também se cumpriam as profecias de que os gentios estavam sendo atraídos para o Senhor. Para nós, também, o encontro com o Senhor Jesus, não mais a criança da manjedoura e nem o humilde nazareno, mas o Cristo Vitorioso e Ressurreto, realizou os nossos sonhos mais profundos e gloriosos.
III – O ENCONTRO TRANSFORMADOR.
"Entrando na casa, viram o menino com Maria, sua mãe. Prostrando-se, o adoraram; e, abrindo os seus tesouros, entregaram-lhe suas ofertas; ouro, incenso e mirra." (v.11)
O encontro com a criança mudou tudo na vida daqueles magos.
Três coisas importantes aconteceram na vida daqueles sábios:
Júbilo versus Preocupação: A preocupação cedeu lugar ao júbilo. A preocupação tornou-se em alegria com grande e intenso júbilo. Ninguém, que se aproxima de Jesus, por mais preocupado que esteja, sai da mesma maneira.
Adoração versus Incerteza: A incerteza, a incredulidade obrigatoriamente cede seu espaço para crer e adorar o Salvador da Humanidade.
Novos Caminhos. Depois de terem visto e adorado o Senhor Jesus os magos retornaram por outro caminho. Não o da preocupação ou da incerteza, mas sim da alegria, do júbilo e da tranqüilidade. E, haverá alguma coisa capaz de nos tocar o coração como o poder da tranqüilidade.?

Conclusão:
Como será o seu Natal deste ano? Preocupado com o encontro transformador de Jesus que por certo exigirá que você abra mão de muita coisa, ou feliz por tê-Lo em sua vida? Tudo depende de você, como também dependeu de Herodes e dos magos.

autor: Antonio Coine, Rev
Third Day - Cry Out To Jesus

06 dezembro 2006

Mais um grande escândalo!

Ricardo Gondim

Poucos brasileiros conheciam Ted Haggard antes dele ser delatado por um
prostituto de usar seus serviços. Haggard era pastor de uma igreja de
14.000 membros, presidente da National Evangelical Association e
conselheiro semanal do presidente George W. Bush. Além de cliente sexual, o agora ex-pastor também comprava tóxico. Sua queda abalou a comunidade evangélica norte americana e comprometeu as eleições parlamentares e senatoriais do ano de 2006, que acabaram devolvendo o controle do legislativo para o Partido Democrata.


No Brasil, depois do assustador escândalo em que alguns políticos evangélicos se envolveram num golpe que desviava dinheiro de orçamento da Saúde para a compra de ambulâncias (a operação da Polícia Federal se chamava de Sanguessugas) , o mundinho gospel parecia voltar ao normal. Os programas televisivos continuaram repetindo os mesmos chavões de sempre:

"Você receberá de volta tudo o que o Diabo lhe roubou". "Este ano é o ano da vitória e ninguém poderá lhe impedir de receber tudo o que você tem direito". "Seja ousado e reivindique suas bênçãos celestiais"."Campanhas dos sete dias, dos 21 dias(Daniel) , das sete terças-feiras, da unção da vitória". Tudo marketing e programação neurolinguistica. Os templos, lotados de fieis ávidos por "conquistas", continuaram alimentando as contas bancárias de bispos e apóstolos neopentecostais.Aliás, com o aparecimento de "bispos,bispas e Apóstolos" coincidentemente também vieram escândalos e muitos crentes no Senhor Jesus estão abandonando estas "novas modalidades" de líderes. Até que uma nova enxurrada de notícias conturbaram a frágil normalidade: "Bens do Apóstolo Estevam Hernandez foram bloqueados". "Ministério Público pede prisão dos líderes da Renascer". E finalmente: "Juiz decreta prisão e líderes fogem da polícia". Quando vi Ted Haggard dando uma entrevista ao lado de sua esposa, fixei meus olhos nela, não nele que gaguejava. Percebi o semblante abatido daquela pobre mulher e me compungi na alma; sofri por ela, sem sequer conhecê-la. Também, lamento a queda dos dois Hernandez. Imagino o inferno que experimentam, tendo que se esconderem da polícia; sinto-me constrangido por eles. Porém, o que acontece com o movimento evangélico? Por que tantos escândalos? Tropeções semelhantes, ou maiores já aconteceram repetidas vezes na história eclesiástica. Jesus previu tais abalos e disse que alguns de seus seguidores poderiam causar a queda de pequeninos: "É inevitável que aconteçam coisas que levem o povo a tropeçar, mas ai da pessoa por meio de quem elas aconteçam. Seria melhor que ela fosse lançada no mar com uma pedra de moinho amarrada no pescoço do que levar um desses pequeninos a pecar. Tomem cuidado" (Lucas 17.1). Não se podem considerar esses recentes alvoroços como mero fracasso pessoal dos envolvidos, quer sejam americanos ou brasileiros. O buraco é mais embaixo. Como já nem me considero evangélico, não deveria envolver-me com esses desastres. Mas, tenho muitos amigos que ainda navegam nessa barca religiosa furada, por isso, sinto que devo oferecer alguns conselhos, que talvez, evitem mais desgraças.


Por favor, parem com seus discursos ufanistas. Está obvio que nenhum
sistema se sustenta idealizando a vida, ou prometendo mundos e fundos em nome de Deus. Claro que os paradoxos da existência acabam se impondo sobre as massas sofridas que esperam por milagres como tábuas de salvação. A mensagem cristã não promete um mar de almirante para seus seguidores.


Por favor, parem com messianismos. Chega de prometer que transformarão o Brasil numa nação evangélica e que converterão o mundo. Esse quixotismolhes empurrará para praticarem expedientes questionáveis; logo bastará um pulo para se confundirem meios e fins, sugando o povo em nome de Deus, fazendo uma libertinagem dentro das congregações, aceitando tudo o que é mundano, desde que ponham dinheiro no gazofilácio. Com esse desejo de conquistar o mundo Alexandre o Grande foi vencido e Hitler promoveu um holocausto.
Por favor, parem com vaidades pessoais. Percebam que os títulos que vocês se auto galardoaram significa pouco. Seus nomes precedidos de "Bispo" ou "Apóstolo" não impressionam, exceto seus próprios seguidores. Essa corrida interna para determinar quem detém a maior "unção" ou a última "revelação" é totalmente irrelevante. Sinceramente? Chega a ser ridícula.
Por favor, parem com a soberba de se considerarem predestinados. Alguns líderes acreditam possuírem uma imunidade espiritual e cidadã. Eles pensam que podem transgredir o quanto quiserem, porque Deus e as autoridades humanas farão vista grossa aos seus delitos. Com este sentimento de impunidade, pintam e bordam. Tiago, entretanto, lembrou que os mestres religiosos passarão por um juízo mais severo de Deus e Paulo, por sua vez, exortou: "... As autoridades que existem foram estabelecidas por Deus... Mas se você praticar o mal, tenha medo, pois ela [a autoridade] não porta a espada sem motivo. É serva de Deus" (Romanos 13).
Por favor, parem com seus corporativismos. Não acobertem com seus silêncios obsequiosos e piedosos, pecados cometidos por seus amigos. A Bíblia afirma que merecem morte tanto quem pratica como os que aprovam a maldade (Romanos 1.32).
Urge uma mudança radical na postura, nos pressupostos e, principalmente, no comportamento da ala evangélica que adquiriu maior visibilidade na mídia.Urge voltarmos para o primeiro amor, de uma vida descente com Cristo, pautada nos princípios bíblicos de verdade, sem distorções de interpretação, talvez tenhamos que ser " os crentes em Cristo" pois já sujaram "evangélicos, bispos e apóstolos, saiam fora todos desses enganadores, corram, corram....

E se não acontecer um grande arrependimento, piores escândalos virão, com bispos, apóstolos, Vice-deuses, Vice-Cristos, Messias e seja lá o que mais vier.
Soli Deo Gloria.

04 dezembro 2006

Natal: Deus soletra-se na linguagem humana

Luís Wesley

Gosto da forma como S. D. Gordon põe em poucas palavras o sentido da encarnação do Filho de Deus: “Jesus é Deus soletrando-se à si mesmo numa linguagem que o ser humano pode entender”. A afirmativa é quase uma paráfrase perfeita do que diz o evangelista João: “E o verbo se fez carne e habitou entre nós, cheio de graça e de verdade” (João 1:14a). Não há outra maneira de Deus se fazer entender, senão comunicando-se na linguagem humana, com todas as implicações possíveis. A encarnação de Jesus é, portanto, a celebração do como Deus revela-se à nós sem segredos, sem distâncias culturais e sem obstáculos na comunicação. É Deus dando aos seres humanos a chance de entender, concluir e dizer: “… vimos a sua glória, glória como do unigênito do Pai” (João 1:14b).

Por isso, nem se discute o “natal” caricaturado que anda à solta em toda parte. A linguagem daquele tem outro foco, tem facetas obsessivamente consumistas; é plástico, é vil, é socialmente excludente, faz segregação racial. É “natal diet”, é desnatalinado, pois exclui a essência, o começo e o fim de tudo: o Salvador, Redentor e Senhor. Além disso, não é encarnado na tropicalidade brasileira que tem palmeiras, Tico-Tico, João de Barro, Sabiá e sol cáustico de verão. É teimosamente estrangeiro, é polar, é frio em quase todos os sentidos. E mais: bem ao contrário do que diz a canção, “Como é que Papai Noel não esquece de ninguém?”, este falso natal tem aminésia crônica e profunda, pois se esquece, sim, dos já por demais esquecidos por nossa nação.
Encarnação tem à ver com a própria personagem da auto-soletração de Deus à nós: Jesus Cristo (João 14:9). Ele é Deus com face humana tangível (II Coríntios 4:6), com jeito de falar — sem tradução e sem sotaque! — a língua da gente. É encarnação à últimas consequências (Filipenses 2:8), é identificação radical (Filipenses 2:6), é o Eu Sou que “colou”, que se aderiu à realidade humana (Filipenses 2:7). Encarnação é a maneira pela qual Deus dá um jeito de nascer na forma humana (João 1:14), numa verdadeira reentrada no mundo que já era Seu (João 1:11), mas sem se tornar ordinário (Isaías 53:9b, I Pedro 2:22).

Assim, Jesus é a perfeita revelação visível d’Aquele à quem ninguém jamais viu (Colossenses 1:15). É Deus no meio e com a gente (Mateus 1:23), com silhueta humana identificável (João 1:36), com olhos que vêem ao longe, na amplidão e no profundo (Salmo 139:1-3), com ouvidos que ouvem o som de palavras que a língua humana é incapaz de exprimir (Salmo 139:4), com boca que fala com a autoridade de quem conhece os mais íntimos gemidos e anseios que a gente possui, mesmo os humanamente imperceptíveis e indizíveis (Romanos 8:26). É o logos divino soletrado no humano.

E, soletrando-se ao ser humano, Deus também dá à nós todos, Seus filhos, o modelo e parâmetro da nossa missão: é preciso que a Igreja se encarne, que se identifique com os que estão ao seu redor, que seja resposta sensível, pertimente e relevante às suas questões e necessidades, e que faça entender a mensagem do evangelho na linguagem humana, sob o poder e singeleza, autoridade e ternura, firmeza e doce brandura do Espírito Santo, tal como exemplificou Jesus.

O natal em outros países

Polônia.

Nesse país ,a ceia de Natal no dia 24, inicia quando surge no céu a primeira estrela. A família reúne-se a mesa, enfeitada a manjedoura. O momento culminante da ceia e a "Oplatek’’. É o momento de aproximação dos afastados física e espiritualmente, é, portanto, o momento de perdoar e afastar todos os pêsames, pois não se pode ficar próximo de alguém, perante a história, com desavenças no coração,
Na ceia não se come carne vermelha, mas sim peixes, acompanhados de vinho branco, sopa de cogumelo, pão, doces de mel, e torta de sementes de papoula. Após a família senta-se á mesa, somente a dona de casa levanta para servir as iguarias, e deixa-se sempre uma luta. A meia noite, os poloneses assistem a missa do galo, no dia 25, a festa começa no café da manhã, quando então pode servido presunto e carnes a vontade. Este desjejum e a refeição mais festiva do dia.
Já os presentes são trocados na data de seis de Novembro, dia de São Nicolau. Na Polônia, o ferro a história o presépio trazem a memória que não se trata apenas de um banquete, mas sim de uma verdadeira conciliação com Deus. O Natal na Polônia também não precisa o pinheiro enfeitado, semelhante ao nosso, no Brasil.

Alemanha.

Na Alemanha, país rico em tradições natalinas, o momento mais importante do Natal constitui-se na reunião da família, durante a ceia ou o almoço também são tradicionais as chamadas "Feiras de Natal", onde se pode comprar tudo para as festividades: enfeites, pães, a árvore, figuras de presépio, pães de mel, amêndoas torradas, brinquedos de madeiras, artigos de lã, caramelos, chocolates.
Os musicais são uma constante, cada sete de dezembro, as crianças tiram uma "Prêmio" para o Natal, quando recebem presentes ou guloseimas, trazidas por "São Nicolaos" Ou Papai Noel, como conhecido entre nos.
Na noite de Natal, todos se reúnem nas suas casas, entoam cânticos e acendem as velas da árvore geralmente no Natal torcem para que neve forte, para eles um Natal sem neve é impossível, aqui no Brasil, as famílias de origem alemão perderam o costume de pinheiro natural muitos enfeites , o presépio, as canções e a reunião familiar. A neve ficou apenas como uma saudosa lembrança de seu país de origem.

França

Como não poderia deixar de ser um dos ponto fortes do Natal francês é a qualidade e diversidade dos alimentos servidos na ceia.
Cada região tem o seu prato tradicional: na acácia, o prato principal é o ganso. Na Burgum dia, o peru com nozes e, para os parisienses, Natal é sinônimo de ostras e parte de faie gras.
Mas o Natal Francês não se limita á ceia. Também há o Papai Noel ,o "Papai Noel". só que, lá, ele vem acompanhado de um outro personagem, o "Pere Fouetard. Que é encarregado de informar, ao Papai Noel como foi o comportamento de cada criança durante o ano.
Os franceses, gostam muito do presépio, frutas, geralmente em peças de cerâmica. Ha uma longa tradição, no sul do pais, de ortisois especializados nos confecções de peças do presépio. Os molares para o feita de geração de o século XVII . No mês de dezembro as figuras do presépio podem ser adquiridas nas feiras realizadas em Marselha e AIX.

China

Os chineses cristãos comemoram o Natal decorando suas casas com coloridas lanternas de papel.
Também as árvores de Natal que são chamadas de "árvores de luz’, são decoradas com lanternas, flores e outros enfeites de papel.
Como as crianças americanas , as chinesas também penduram os seus pés de meia para que o PAPAI NOEL coloque ali os presentes. Mas lá o seu nome é um pouco mais complicado.
O velhinho é chamado de Dun Lhe dao Ren, que significa ‘’velho Natal’.
No estante a grande maioria do chineses não é cristã. Para essa população a principal festividade deste período é a comemoração do Ano Novo chinês que acontece em uma data variável no final de janeiro.
Durante a festa as crianças recebem novas roupas e brinquedos e há inúmeros shows de fogos de artifícios.
Um espetáculo importante da comemoração do Ano Novo na chuva é a homenagem que se presta aosancestrais . Retratos e pinturas dos ancestrais da família são colocadas na principal peça da casa para serem vistos e lembrados pelo seus atuais membros.

Hong Kong

Dois dias depois do Natal, em 27 de dezembro , é que a população de Hong kong faz sua grande festa . E a Chiu , uma comemoração taoista voltada para a limpeza e renovação local . Os participantes dessa festividade convocam todos os seus poderes conjunto traga renovação para vidas.
Sima dos Deuses patronais de cada templo da cidade são reunidas em um único local onde a população deposita oferendas.
No final da comemoração os sacedores dos diversos templos lêem em voz alta o nome de cada um dos moradores do bairro onde está o templo . Então , pegam essa lista extensa de nomes ,e aprendem em uma pandorga começa a subir ,o s locandos fogo na lista, deixando que suba em chamas, para os Céu.

Japão

A festividade do natal foi introduzida no Japão pelos missionários cristões e , durante muito tempo, a data era comemorada apenas pelos cristões. Mas, ultimamente, a grande maioria da população japonesa, que não é cristão, também passou a, comemora-lo. Isto se deve ao fato de que há, na cultura Japonesa, uma longa tradição de troca de presentes. E uma data que oficializa essa troca tornou-se um forte apelo para os japoneses.
Um outro hábito relativo ao Natal também terminou por encontrar abrigo entre os japonenses. como as bonecas sempre foram muito valorizadas em suas tradições, o presépio acabou também por em cantar os japoneses--especialmente as meninas, que gostam de montar os seus próprios presépios. Há, no Japão, a figura mitológica de um monge que se assemelha muito à do Papai Noel. Ele é o hoteiosho, um bom velhinho que como Papai Noel, também leva um saco nas costas. Mas, diferentemente deste, ele tem um segundo par de olhos na parte detrás da cabeça, e as crianças são advertidas a se comportarem bem pois, caso contrário, o hoteiosho estará vendo--tudo--tudo o que fazem. Mas a data mais importante para os japoneses, em tudo a seu calendário de comemorações, é a do Ano Novo. Para marcar a sua chegada, as casas são totalmente limpas e decoradas no dia anterior. Depois dessa grande limpeza, as famílias colocaram suas melhores. Roupas, e o pai, seguido de toda a família, caminha por toda a casa, exortado os maus espíritos a se retirarem, e chamando a boa sorte.

Venezuela

Uma das divertidas tradições de Natal do mundo é da Venezuela, e é pratica Pelas crianças locais . A população da Venezuela tem o habito de ir a primeira missa do dia entre os dias 16 e 24 de Dezembro. Essa missa é chamada de Missa de Agrinalda.
Em Caracas, a capital do pais, é com um que as crianças o adolescentes- Sigam para a missa de patins .Em muitos bairros , chega - se a fechar as ruas para os carros no período até oito horas da manhã , para que as crianças possam ir patinando para a missa.
Mas o mais curioso é um habito que antecede a ida para a missa .De noite, na hora de dormir, muitas crianças amarram um barbante no dedão do pé ,e colocam a outra extremidade do barbante pendurado para a fora da janela. Assim, os primeiros patinadores que passam para ir para a missa , vão dando um puxão nos barbantes atados nos pés dos mais preguiçosas, para acordá –los.

Índia

Enquanto os Brasileiros optaram por uma árvore de Natal que não é nativa do país o pinheirinho, os indianos elegeram as árvores nativas para decorarem durante o natal. Na índia, as bananeiras, mangueira é que são enfeitada é, em algumas casas usam-se as folhas de mangueiras para fazer decorações Natalinas. Em diversas regiões indianas usam-se pequenas lamparinas como enfeites que são colocadas sobre os telhados é muros. Mas, nas igrejas utilizam-se velas é uma flor que, embora mexicana, tornou-se a flor do Natal de vários locais o bico de- papagaio, ou pointsettia.

México .

Durante o Natal no México, a população aproveita não só para distribuir presentes mas para relembrar os difíceis movimentos que antecederam o nascimento de Jesus. Isto é feito em procissões . As pousadas que reproduzem o drama de Maria e Jesus procurando representar um local onde ficaram quando chegaram em Belém .
As procissões começam nove dias antes do Natal . Porque a ida da sagrada família de Nazaré para Belém levou nove dias.
Grupos de amigos e familiares se dividem em dois lados representam a Sagrada Família a Belém. Os dois peregrinos pediam abrigo aos donos de pousadas sendo recusados friamente em cada uma delas. Enfim chegam a casa que foi escolhida para abrigar um altar com um presépio onde são recebidos com festa. Então são feitas orações e tem início a comemoração do Natal.

Os 10 Mandamentos para o Natal

I. Não deixarás ”Cristo” fora do Natal.

II. Não avaliarás os teus presentes pelo seu custo, pois na verdade muitos deles significarão amor e que é mais abençoado e lindo do que a prata e o ouro.

III. Darás a ti mesmo em teu presente. Teu amor, tua personalidade e teu serviço aumentarão o valor do teu presente cem vezes, e aquele que o receber o entesourará para todo o sempre.

IV. Não permitirás que o Papai Noel tome o lugar de Cristo. Em muitos lares, Papai Noel supera o Menino jesus e o Natal se torna em conto de fadas ao invés de uma sublime realidade no reino espiritual.

V. Não sobrecarregarás teu servo. A balconista, o carteiro e o comerciante deviam receber tua consideração.

VI. Não negligenciarás os teus momentos de adoração. As atividades do Natal são planejadas para ajudar a espiritualizar a época do Natal para ti, teu filho e os que vivem em tua casa.

VII. Não negligenciarás os necessitados. Deixa que as bênçãos sejam compartilhadas com muitos que passarão fome e frio, a menos que sejas generoso.

VIII. Serás como uma criancinha. Natal é dia do menino Jesus. Enquanto não te tornares, em espírito, semelhante a uma criancinha, não estarás pronto para entrar no reino dos céus.

IX. Prepara-te espiritualmente para o Natal, pois na verdade muitos de nós dispendemos muito tempo e dinheiro preparando os presentes, mas dedicamos alguns segundos apenas ao nosso preparo espiritual.

X. Darás o teu coração a Cristo. Que a tua lista de Natal seja encabeçada por Cristo, e o teu coração, como presente, pois agindo assim, serás como os magos da antigüidade e verdadeiramente descobrirás que nasceste novamente no dia de Natal.

Aos que desejam acabar com o Natal

Pr. Daniel Rocha

Essa época do ano é muito rica em estudos e mensagens acerca do Natal. Mas, incrivelmente, nos arraiais evangélicos da Internet tornou-se bastante comum a inserção de matérias contra o Natal, procurando demonstrar sua origem pagã, seus símbolos controversos, seu desvirtuamento, a escolha do 25 de dezembro, etc.

Pretendo ser uma voz destoante nesse rio caudaloso. Em primeiro lugar, devo dizer que nasci em lar evangélico, numa igreja protestante tradicional, cantando e ouvindo belíssimos hinos natalinos dos séculos XVIII e XIX, e posso garantir que trago maravilhosas lembranças dessa época. De alguma forma, pretendo perpetuar aos meus descendentes aqueles sentimentos e evocações, que fazem parte de minha formação cristã, e que contribuiram para me tornar um ser humano melhor.

Um dos argumentos usados contra a comemoração do Natal é sobre sua "origem pagã", ou seja, tratava-se originalmente de uma festa dos povos pagãos, quando se iniciava o solstício de inverno, até que o imperador Constantino converteu-se ao cristianismo, passando então, a comemorar-se o nascimento de Cristo.

Aos meus olhos, entretanto, o Natal tem uma origem bem anterior, mais precisamente três séculos antes de Constantino, quando numa noite escura um anjo do Senhor desceu aonde pastores guardavam o seu rebanho durante as vigílias da noite, e disse a eles:

-"Não temais; eis aqui vos trago boa-nova de grande alegria,
que será para todo o povo: é que hoje vos nasceu, na cidade
de Davi, o Salvador, que é Cristo o Senhor" (Lc2.10-11)

Deus estava ali enviando um mensageiro dos céus para dizer que estava ocorrendo o maior acontecimento na história da humanidade: nascia aquele que haveria de redimir as nações, aquele que veio trazer luz às trevas, aquele que haveria de mudar completamente nossas vidas, aquele que seria chamado de Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz.

E para mostrar a grandiosidade do acontecimento, um grande coral da milícia celestial apareceu no céu, iluminando a noite escura, louvando a Deus e dizendo: "Glória a Deus nas alturas..."

É pouca coisa isso? Não é um evento digno de ser comemorado por todos aqueles que crêem? Ora, a Igreja é a comunidade de fé que celebra a Cristo e Seu Reino! A igreja é, por excelência, um centro de celebrações: enfeitamos nossas igrejas para os casamentos e convidamos os familiares e os irmãos para os aniversários. É na igreja que comemoramos o Dia de Pentecostes, o Dia da Ressurreição de Cristo, o Dia de Ação de Graças, o Dia do Pastor, o Aniversário da Sociedade de Mulheres, o Aniversário da Igreja, as Bodas de Prata e de Ouro de nossos membros, o Aniversário do netinho, os 15 anos da filhinha....

Creio que por uma questão de coerência, os que defendem a não comemoração do Natal, também devem deixar de celebrar essas datas.

Nós vivemos dos acontecimentos cotidianos, mas também de acontecimentos especiais e marcantes em nossas vidas, vivemos de memórias e celebrações. Sem a lembrança das coisas passadas, dos eventos alegres e significativos, tornamo-nos duros, secos, e esquecemo-nos dos feitos do Senhor. O salmista nos ensina: "Recordarei os feitos do Senhor, sim, me lembrarei das tuas maravilhas" (Sl 77.11).

O nascimento do Salvador foi profetizado e ansiosamente aguardado por todo o Antigo Testamento. Esse dia, para os antigos, foi tão sonhado, que todos os profetas o celebraram por antecipação. E porque nós não haveríamos de comemorar o cumprimento dessa grandiosa promessa?

Fiquei imaginando se fosse eu um dos pastores que estivesse ali no campo junto ao rebanho e tivesse a oportunidade de contemplar Aquele que veio para me resgatar. Com certeza eu voltaria para casa naquela noite de uma forma diferente, e minha vida nunca mais seria a mesma, pois meus olhos teriam contemplado o Rei dos reis. A história "daquele dia" seria repetida durante toda a minha vida e, todos os anos, naquela data, reuniria meus familiares, enfeitaria minha casa, pegaria meu filho ao colo, entoaria o cântico de exaltação que os anjos me ensinaram e, quando meu pequeno perguntasse o porquê de tudo aquilo, eu diria: -"Filho, estou rememorando o nascimento mais sublime que o mundo já viu".

Obviamente não concordo com a comemoração que o mundo faz do Natal. O mundo, por não reconhecer a Cristo como Senhor e Salvador não tem o direito de celebrar seu nascimento. Agora, se o mundo comemora o Natal de forma errada, cabe a nós, Igreja, mostrar o verdadeiro sentido da comemoração, e não suprimi-la. É como jogar fora a água suja com a criança dentro.

Outro argumento muito usado contra a celebração do Natal é relativo à data de 25 de dezembro. Essa era a data do Sol Invictus, irão dizer, e além disso, "não sabemos se Jesus nasceu realmente nesse dia".

Não vejo impedimento que uma data dedicada a uma celebração pagã seja transformada numa celebração cristã. Particularmente, ficaria muito feliz se uma conversão em massa do nosso país transformasse a semana do Carnaval em uma grande festa de crentes que agora celebrariam, não mais a carne, mas ação do Espírito Santo em suas vidas. Alguém se oporia?

Paulo, quando esteve em Atenas, não teve pudores ao dizer que "O DEUS DESCONHECIDO" que os atenienses adoravam era precisamente o Cristo que ele estava anunciando!

Agora, já não é mais o Sol Invictus dos pagãos, mas Jesus, o Sol da nossa justiça. É a vitória do cristianismo sobre o paganismo, da luz sobre as trevas.

Com relação ao fato de 25 de dezembro não ser a data real do nascimento de Jesus, não impede que comemoremos seu natalício. Em minha igreja há algumas pessoas que nasceram em um dia mas comemoram seu aniversário em outra data. E nem por isso a comemoração é menos verdadeira ou sem sentido.

Eu e minha família proclamamos a Cristo o ano inteiro, e a partir do domingo do Advento iluminamos nossa casa com luzes coloridas, no dia 24 participamos da Cantata de Natal, ceamos e no dia 25 reunimo-nos todos numa abençoada tradição familiar. Por que? Porque Cristo nasceu um dia em nossas vidas, nos sustenta e nos abençoa. Os símbolo e enfeites que, no passado, apontavam para falsos deuses, hoje, entretanto, a estrela, a guirlanda e o castiçal com as velas do Advento apontam para um só: Cristo!

Um feliz natal a todos que crêem no Senhor Jesus!

01 dezembro 2006

Yolanda Adams- Be Blessed

Too many storms have passed your way
And you're all washed out ‘cause it rained on your
parade
Seems nobody cares about you anyway
Now you're living your life like a castaway
Search for strength inside
Was it all in vain ‘cause the deeper you dig you find
more and more pain
Don't let your tomorrow be like yesterday
‘Cause I spoke to God
I called out your name
And on your behalf I just asked
If He would be there for you

I want you to
Be Blessed
Don't live life in distress
Just let go let God
He'll work it out for you
I pray that your soul will be blessed
Forever in His hands
For you deserve His best no less

Enter a place where you never have to cry
Never have to live a lie
Never have to wonder why
Never want for nothin' your always satisfied
In the peace that His arms will provide
He will erase any guilt or shame
Any bad habits you got you wont wanna do um again
Yes we all can change I can testify
See I spoke to God
I called out your name
And on your behalf I just asked
If He would be there for you

I want you to
Be Blessed
Don't live life in distress
Just let go let God
He'll work it out for you
I pray that your soul will be blessed
Forever in His hands
For you deserve His best no less

My prayer for you today
You trust and always obey
On his name keep calling
He'll keep you from fallin'
He'll supply the answers
If you stand in faith and trust Him to make a way

I want you to
Be Blessed
Don't live life in distress
Just let go let God
He'll work it out for you
I pray that your soul will be blessed
Forever in His hands
For you deserve His best no less

You've been through so much
Be Blessed from the bottom of your feet to the crown
of your head
Your life Be Blessed
Your family Be Blessed
Your finances Be Blessed
Everything about you
Give it to Jesus....
Yolanda Adams- Open My Heart



Verse 1
Alone in a room
It's just me and you
I feel so lost
'Cause I don't know what to do
Now what if choose the wrong thing to do
I'm so afraid, afraid of disappointing you

Chorus
So I need to talk to you
And ask you for your guidance
Especially today
When my life is so cloudy
Guide me until I'm sure
I open up my heart

Verse 2
My hopes and dreams
Are fading fast
I'm all burned out
And I don't think my strenghts gonna last
So I'm crying out
Crying out to you
Lord I know that you're the only one
Who is able to pull me through

Chorus
So I need to talk to you
And ask you for your guidance
Especially today
When my life is so cloudy
Guide me until I'm sure
I open up my heart

Bridge
So show me how
To do things your way
Don't let me make the same mistakes
Over and over again
Your will be done
And I'll be the one
To make sure the it's carried out
And in me, I don't want any doubt
That's why...

Chorus
I need to talk to you
And ask you for your guidance
Especially today
When my life is a little bit cloudy
Guide me until I'm sure
I open up my heart

Chorus 2
All I need to do
Is hear a single word from you
I open up my heart
Just one word could make
A difference in what I do Lord
I open my heart to you

You're the lover of my soul
Captain of my sea
I need a word from you
That's why I open up my heart
Google