26 dezembro 2007

Perdoa-me Senhor!

Paz e Graça a Todas e Todos.

Independente do que você acredita.
Sem lembrar qual placa de igreja você pertence ou congrega.
Sem ao menos mencionar que tipo de cristão você é.

Quero relembrar a todas e todos, que só seremos conhecidos com verdadeiros discípulos do Senhor, primeiro se nos convertermos a Ele, e segundo se nos amarmos uns aos outros. (Não é fácil, pois Deus me colocou aqui na terra para que alguns irmãos meus tenham que me amar, mesmo constrangidos! – Você tem que me amar...)

João 13.35
"Nisto todos conhecerão que sois meus discípulos, se vos amardes uns aos outros."

Infelizmente, brigamos por "besteiras".
Probleminhas caseiros que poderiam ser resolvidos somente com AMOR.
Mas teimamos em ter as nossas próprias opiniões como verdadeiras e corretas - intocáveis até.
Estudamos teologia, como se isso fosse nos dar algum privilégio para entrar no Reino de Deus.
Brigamos por conteúdos dogmáticos que foram DETERMINADOS pelos homens e que se fizeram estudiosos e ao mesmo tempo alguns chegam a ser extremistas.
Estapeamos uns aos outros, por crermos em diferentes razões e "teologias" da nossa salvação. (Eterna e imutável - queiram os calvinistas, arminianos ou modernistas ou não, e os "muito pelo contrário").
Atropelamos os conceitos bíblicos da soberania exclusiva de Deus e nos tornamos semi-deuses, com direito a condenar, julgar e enviar para o inferno os seres humanos de quem discordamos (não necessariamente nesta ordem).
Por nos tornarmos semi-deuses, não toleramos quem discorda de nós nos pontos mais simples, e ainda nem chegamos às que só a eternidade revelará.

Deuteronômio 29.29
"As coisas encobertas pertencem ao SENHOR nosso Deus, porém as reveladas nos pertencem a nós e a nossos filhos para sempre, para que cumpramos todas as palavras desta lei."

Não vivemos um período de avivamento, como preconizam alguns ansiosos que isso aconteça, pois estamos ainda vivendo um Evangelho egoísta, em que pensamos em nós, na nossa congregação, na nossa igreja, na nossa denominação e esquecemos completamente o Reino de Deus.
Não nos arrependemos ainda destes nossos pecados "até ao pó".

Isaías 26.5
"Porque ele abate os que habitam no alto, na cidade elevada; humilha-a, humilha-a até ao chão, e derruba-a até ao pó"

Nós estamos vivendo os tempos trabalhosos preconizado por Jesus, por Paulo e os demais escritores bíblicos: Somos amantes de nós mesmos. INGRATOS e PROFANOS.

II Timóteo 3.1, 2
"SABE, porém, isto: que nos últimos dias sobrevirão tempos trabalhosos. Porque haverá homens amantes de si mesmos, avarentos, presunçosos, soberbos, blasfemos, desobedientes a pais e mães, ingratos, profanos,"

Somos muito orgulhosos, presunçosos, achamos que "podemos"!

Em nossas "teologias" não cabe a multiplicidade da soberania, ação e até do poder de Deus. Limitamos Deus com nossos "ismos", "logias", "ticas", e principalmente com nosso "antropocentrismo".
Olhamos muito e nos espelhamos profundamente no que o cada um faz, acusando-nos mutuamente, sem sequer lembrarmos que "Ele tomou sobre Si as nossas dores".
Quando somos confrontados com nosso pecado, sempre apontamos os "erros" e "pecados" que os outros cometem, os nossos soam e apresentam-se tão "pequeninhos" que “nem atrapalham” o Reino.


Aproveitamos então para desabafar nossas frustrações, nossas dificuldades, a nossa falta de fé, a nossa "pretensão" de sermos "mais" e "melhores", naqueles que nada tem a ver com isto.
Mas esquecemos do princípio básico que o Mestre ensinou: o AMOR!
Que felizmente acabaria (acabará?) com todos estas questões.

Só para recordar.
Jesus, João e Paulo, nos falam sobre umas "coisinhas" que os teólogos esquecemos:

1) Não somos maiores que Jesus

João 15.20
"Lembrai-vos da palavra que vos disse: Não é o servo maior do que o seu SENHOR. Se a mim me perseguiram, também vos perseguirão a vós; se guardaram a minha palavra, também guardarão a vossa."

2) Precisamos amar uns aos outros, como MANDAMENTO! (Senão nem conhecemos a Deus)

I João 3.11
"Porque esta é a mensagem que ouvistes desde o princípio: que nos amemos uns aos outros."
I João 3.23
"E o seu mandamento é este: que creiamos no nome de seu Filho Jesus Cristo, e nos amemos uns aos outros, segundo o seu mandamento."
I João 4.7
"Amados, amemo-nos uns aos outros; porque o amor é de Deus; e qualquer que ama é nascido de Deus e conhece a Deus."

3) Este AMOR é (deve ser) perfeito (alguns sabem até de cor, mas a prática...). (Ainda não passamos da fase de "meninos").

I Coríntios 13
"AINDA que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, e não tivesse amor, seria como o metal que soa ou como o sino que tine.
E ainda que tivesse o dom de profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência, e ainda que tivesse toda a fé, de maneira tal que transportasse os montes, e não tivesse amor, nada seria.
E ainda que distribuísse toda a minha fortuna para sustento dos pobres, e ainda que entregasse o meu corpo para ser queimado, e não tivesse amor, nada disso me aproveitaria.
O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não trata com leviandade, não se ensoberbece.
Não se porta com indecência, não busca os seus interesses, não se irrita, não suspeita mal;
Não folga com a injustiça, mas folga com a verdade;
Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.
O amor nunca falha;
mas havendo profecias, serão aniquiladas; havendo línguas, cessarão; havendo ciência, desaparecerá;
Porque, em parte, conhecemos, e em parte profetizamos;
Mas, quando vier o que é perfeito, então o que o é em parte será aniquilado.
Quando eu era menino, falava como menino, sentia como menino, discorria como menino, mas, logo que cheguei a ser homem, acabei com as coisas de menino.
Porque agora vemos por espelho em enigma, mas então veremos face a face; agora conheço em parte, mas então conhecerei como também sou conhecido.
Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três, mas o
maior destes é o amor."

E concluindo, mas não definindo como concluída esta palavra, Paulo escreve à Timóteo algumas coisas que relembram este nosso tempo:

I Timóteo 1
"PAULO, apóstolo de Jesus Cristo, segundo o mandado de Deus, nosso Salvador, e do SENHOR Jesus Cristo, esperança nossa,
A Timóteo meu verdadeiro filho na fé: Graça, misericórdia e paz da parte de Deus nosso Pai, e da de Cristo Jesus, nosso Senhor.
Como te roguei, quando parti para a Macedônia, que ficasses em Éfeso, para advertires a alguns, que não ensinem outra doutrina,
Nem se dêem a fábulas ou a genealogias intermináveis, que mais produzem questões do que edificação de Deus, que consiste na fé; assim o faço agora.
Ora, o fim do mandamento é o amor de um coração puro, e de uma boa consciência, e de uma fé não fingida.
Do que, desviando-se alguns, se entregaram a vãs contendas;
Querendo ser mestres da lei, e não entendendo nem o que dizem nem o que afirmam.
Sabemos, porém, que a lei é boa, se alguém dela usa legitimamente;
Sabendo isto, que a lei não é feita para o justo, mas para os injustos e obstinados, para os ímpios e pecadores, para os profanos e irreligiosos, para os parricidas e matricidas, para os homicidas,
Para os devassos, para os sodomitas, para os roubadores de homens, para os mentirosos, para os perjuros, e para o que for contrário à sã doutrina,
Conforme o evangelho da glória de Deus bem-aventurado, que me foi confiado.
E dou graças ao que me tem confortado, a Cristo Jesus SENHOR nosso, porque me teve por fiel, pondo-me no ministério;
A mim, que dantes fui blasfemo, e perseguidor, e injurioso; mas alcancei misericórdia, porque o fiz ignorantemente, na incredulidade.
E a graça de nosso Senhor superabundou com a fé e amor que há em Jesus Cristo.
Esta é uma palavra fiel, e digna de toda a aceitação, que Cristo Jesus veio ao mundo, para salvar os pecadores, dos quais eu sou o principal.
Mas por isso alcancei misericórdia, para que em mim, que sou o principal, Jesus Cristo mostrasse toda a sua longanimidade, para exemplo dos que haviam de crer nele para a vida eterna.
Ora, ao Rei dos séculos, imortal, invisível, ao único Deus sábio, seja honra e glória para todo o sempre. Amém.
Este mandamento te dou, meu filho Timóteo, que, segundo as profecias que houve acerca de ti, milites por elas boa milícia;
Conservando a fé, e a boa consciência, a qual alguns, rejeitando, fizeram naufrágio na fé.
E entre esses foram Himeneu e Alexandre, os quais entreguei a Satanás, para que aprendam a não blasfemar."

Palavras duras? Hoje o Senhor que repetí-las para a minha vida!

Minha oração:

Perdoe os meus pecados que são muitos, Senhor. purifica-me, lava-me e ficarei limpo.
Em nome de Jesus, Teu Filho, Amém!

Postar um comentário
Google