27 maio 2007

Resultado: 28 pontos

Eu fiz o teste. De 30 palavras acertei 28!
Eu tenho um excelente vocabulário.
Faça você também clicando no link abaixo
Clique AQUI e Teste Seu Vocabulário.

Oferecimento: InterNey.Net

25 maio 2007

O Evangelho que Exalta a Deus!
Pr. Renato Vargens


Em nome de uma espiritualidade oca e vazia, inúmeras doutrinas têm sido ensinadas nos arraiais evangélicos deste país. Infelizmente em nome de Deus, muita gente tem tirado de si e para si revelações estapafúrdias onde desvios doutrinários se fazem presentes nas formas mais esdrúxulas possíveis. É assim que em cultos “abençoados” mediante o "poder" do Espírito Santo pessoas caem no chão de seus templos, uivando como lobos, rugindo como leões ou rindo como loucos. Junta-se a isso o fato de que em nome de Cristo tem gente, cobrando cinco, seis ou até doze mil Reais pela “Santa ministração"! Ora, isso é uma aberração! Em um país de gente miserável e pobre, a igreja em vez de saciar a fome daqueles que anseiam por justiça e comida, comercializa a fé. Para piorar a coisa, já existem pastores cobrando para pregar o Evangelho da Salvação eterna.

Que Cristianismo é esse? Que evangelho é esse? Ora, esse não é o cristianismo e nem tampouco o evangelho da Bíblia, e sim o evangelho que alguns dos evangélicos fabricaram! Infelizmente, a Igreja deixou de ser a comunidade da palavra para ser a comunidade da música descompromissada, repetitiva e extravagante! Triste não?

Ah! Que saudade da boa música, ministrada, cantada, com unção, cujo interesse era simplesmente engrandecer o nome de Deus! Ah! Que saudade do tempo em que se cantava e entoava cânticos por missão! Ah! Que saudade da boa canção, onde melodia, métrica, letra e boa teologia se faziam presentes.
Reflitamos irmãos com sinceridade, será que como dizem as nossas canções estamos vivendo a plenitude de um grande avivamento? Como o compositor Paulo Cezar do grupo Logos afirma em seu cântico “O Evangelho”, eu também nestes dias sinto um verdadeiro espanto no meu coração, em constatar que o evangelho já mudou. Quem ontem era servo agora acha-se Senhor e diz a Deus como Ele tem que ser ...”
Parece que nos últimos anos, a igreja brasileira se perdeu no caminho em direção ao trono da graça. Isto porque, as letras de algumas de muitas de nossas composições, além de empobrecidas teologicamente, são simplistas, repetitivas e sem óleo.

Faço coro as palavras de Paulo Cesar, eu quero de volta o verdadeiro evangelho que exalta a Deus. O evangelho que desvenda os nossos olhos, que desamarra todo nó que já se fez. Eu quero o evangelho que mostra o homem morto em seu pecar sem condições de levantar-se por si só, a menos que, Jesus que é justo, o arranque de onde está. Eu quero o evangelho que o servo não diz ao seu Senhor o que fazer, determinando ou marcando hora para acontecer.


Eu quero o Evangelho de Cristo que exalta a Cristo e que glorifica o nome de Cristo.

Soli Deo Gloria!

Como podemos saber se somos salvos?

Permita-me indicar alguns sinais inquestionáveis:
  1. A Bíblia é bem clara que o indivíduo não-regenerado não busca a Deus (Romanos 3:11). Você está ciente da sua natureza pecaminosa e clama a Deus do fundo do seu coração pedindo perdão quando peca? Em caso afirmativo, esse é um dos sinais de ter nascido de novo.
  2. A Bíblia diz que um indivíduo não-regenerado não pode compreender aquilo que se discerne espiritualmente (1 Coríntios 2:14). Você tem mais do que apenas uma compreensão básica da Palavra de Deus e deseja sinceramente saber cada vez mais? Ela fala ao seu coração e o convence do pecado? Em caso afirmativo, esse é outro sinal que já nasceu de novo.
  3. A Bíblia diz que o indivíduo não-regenerado é escravo de Satanás e é incapaz de fazer qualquer coisa para se libertar (Efésios 2:2). Você já conseguiu virar suas costas para o mundo e para os caminhos do pecado? Todos seus amigos mais íntimos são cristãos? Se você já nasceu de novo, seus amigos incrédulos provavelmente se afastarão. A salvação genuína repele as amizadas réprobas.
  4. Você ama - realmente ama - os outros cristãos e prefere estar na companhia deles do que das outras pessoas? Você pode encontrar um completo estranho, descobrir que ele também é um cristão e então ter comunhão imediata com ele? Existe "algo" em seu coração que o atrai aos irmãos e uma proximidade que não pode ser explicada de nenhuma outra forma?
  5. Sente um desejo genuíno de ir à igreja e de adorar a Deus?
  6. Sente alegria em contribuir para a obra do Senhor? Contribui generosamente com seu tempo, talentos e bens materiais?
  7. Suas orações estão sendo respondidas?
  8. Você peca menos agora do que antes de conhecer a Cristo?
  9. As outras pessoas têm observado o "fruto do Espírito" em operação na sua vida? Isto é, podem ver o genuíno amor, paz, longanimidade, etc. (conforme descrito em Gálatas 5:22), manifestando- se em sua vida por meio da ação do Espírito Santo de Deus? Elas comentam que você agora é uma pessoa diferente do que era antigamente?
  10. Você já sofreu perseguições por causa da fé em Cristo (por exemplo, ex-amigos que se afastaram por causa do seu testemunho, é uma forma sutil de perseguição).
  11. Aguarda com expectativa o momento em que Jesus Cristo virá buscar Sua igreja?
Compreenda que um filho de Deus genuinamente nascido de novo poderá responder afirmativamente a todas essas perguntas. Isso não quer dizer que eles sejam perfeitos, pois há um processo de maturação [Nota: santificação] que ocorre na vida do cristão e alguns não são tão maduros na fé quanto outros. Entretanto, falando em termos gerais, todo cristão pode considerar essas questões e reconhecê-las como verdadeiras em sua própria experiência. Na análise final, porém, a maior evidência de salvação de uma pessoa encontra-se na perseverança. Os eleitos de Deus perseverarão, apesar de todos os obstáculos, e nunca apostatarão ou renunciarão à fé. Eles podem até pecar e se desviar da comunhão, mas preferirão sofrer a morte a negar seu Senhor e Salvador.
Estamos em um estado gradual de apostasia durante toda a Época da Igreja, mas a Bíblia ensina que haverá a apostasia imediatamente antes do período da Tribulação. Por essa razão, acreditamos que seja inteiramente possível que Deus use esse futuro "afastamento" daqueles que não são genuínos, para separar o joio do trigo antes do arrebatamento. Sofrimento e morte bem podem estar à espera de muitos dos escolhidos de Deus à medida que ocorrer a perseguição no fim dos tempos, de modo que precisamos nos preparar espiritualmente para enfrentar o que vier. Você está preparado?
Se há alguma dúvida em sua mente sobre sua situação diante de Deus, exortamos que você responda às perguntas de forma honesta. Se você "passou da morte para a vida" (João 5:24) e genuinamente nasceu de novo, poderá responder com um "sim" a todas as perguntas - pelo menos em algum grau. Algumas se tornarão mais óbvias com o tempo, mas todas podem ser sentidas logo após a conversão. Nossa oração é que você busque ao Senhor enquanto se pode achar e invoque-O enquanto Ele está perto. (Isaías 55:6)
Retirado do artigo: O ABC e XYZ da Salvação - O Perigo de Pregar uma "Salvação Fácil"

24 maio 2007

Calvinismo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

O Calvinismo é tanto um movimento religioso protestante quanto uma ideologia sócio-cultural com raízes na Reforma iniciada por João Calvino em Genebra no século XVI.

Introdução

O Calvinismo recebeu o seu nome de João Calvino, que exerceu uma influência internacional no desenvolvimento da doutrina da Reforma Protestante, à qual se dedicou com a idade de 25 anos, quando começou a escrever os "Institutos da religião Cristã" em 1534 (publicado em 1536). Esta obra, que foi revista várias vezes ao longo da sua vida, em conjunto com a sua obra pastoral e uma colecção massiva de comentários sobre a Bíblia, são a fonte da influência permanente da vida de João Calvino no protestantismo. Para Bernard Cottret, biógrafo de Calvino, "o calvinismo é o legado de Calvino e torna-se uma forma de disciplina, de ascese, que não raramente é levada ao extremo da teimosia". O Calvinista é pois no extremo um profundo conhecedor da Bíblia, um moralista, um puritano, que pondera todas as suas acções pela sua relação individual com a moral cristã. O Calvinismo é também o resultado de uma evolução independente das ideias protestantes no espaço europeu de língua francesa, surgindo sob a influência do exemplo que na Alemanha a figura de Martinho Lutero tinha exercido. A expressão "Calvinismo" foi aparentemente usada pela primeira vez em 1552, numa carta do pastor luterano Joachim Westphal, de Hamburgo.

João Calvino
João Calvino

O Calvinismo marca a segunda fase da Reforma Protestante, quando as igrejas protestantes começaram a se formar, na sequência da excomunhão de Martinho Lutero da igreja católica romana. Neste sentido, o Calvinismo foi originalmente um movimento luterano. O próprio Calvino assinou a confissão luterana de Augsburg de 1540. Por outro lado, a influência de Calvino começou a fazer sentir-se na reforma Suíça, que não foi Luterana, tendo seguido a orientação conferida por Ulrico Zuínglio. Tornou-se evidente que a doutrina das igrejas reformadas tomava uma direcção independente da de Lutero, graças à influência de numerosos escritores e reformadores, entre os quais João Calvino era o mais eminente, tendo por isso esta doutrina tomado o nome de Calvinismo.

Tendências e Expansão

Uma vez que tem múltiplos fundadores, o nome "Calvinismo" induz ligeiramente ao equívoco, ao pressupor que todas as doutrinas das igrejas calvinistas se revejam nos escritos de João Calvino.

O nome aplica-se geralmente às doutrinas protestantes , que não são luteranas, e que têm uma base comum nos conceitos calvinistas, sendo normalmente ligadas a igrejas nacionais de países protestantes, conhecidas como igrejas reformadas, ou a movimentos minoritários de reforma protestante. Na Holanda, os calvinistas estabeleceram a Igreja Reformada Holandesa. Na Escócia, através da zeloza liderança do ex-sacerdote católico John Knox, a Igreja Presbiteriana da Escócia foi estabelecida segundo os princípios calvinistas. Na Inglaterra, o calvinismo também desempenhou um papel na Reforma, e, de lá, seguiu com os puritanos para a América do Norte. Na França, os calvinistas, chamados de Huguenotes, foram perseguidos, combatidos e muitas vezes obrigados ao exílio. Em Portugal, na Espanha ou na Itália, estas doutrinas tiveram pouca divulgação e foram ativamente combatidas pelas forças da Contra-Reforma, com a ação dos Jesuítas e da Inquisição.

Absoluta dependência de Deus

O sistema teológico e as práticas da igreja, da família ou na vida política, todas elas algo ambiguamente chamadas de "Calvinismo", são o resultado de uma consciência religiosa fundamental centrada na "soberania de Deus".

O Calvinismo pressupõe que o poder de Deus tem um alcance total de actividade - e resulta da convicção de que Deus trabalha em todos os domínios da existência, incluindo o espiritual, físico, intelectual, quer seja secular ou sagrado, público ou privado, no céu ou na terra. De acordo com este ponto de vista, qualquer ocorrência é o resultado do plano de Deus, que é o criador, preservador, e governador de todas as coisas, sem excepção, e que é a causa última de tudo. As atividades seculares não são colocadas abaixo da prática religiosa. Pelo contrário, Deus está tão presente no trabalho de cavar a terra como na prática de ir ao culto. Para o cristão calvinista, toda a sua vida é religião.

Escolhas de Deus

De acordo com o princípio da Predestinação, após o pecado primeiro no Éden, o homem perdeu as regalias que possuía; distanciou-se de Deus por conta própria. Naquela ocasião, o homem "morreu" ("o salário do pecado é a morte" (Rm 6:23))para as coisas de Deus, não tendo, portanto, maneira de, por si só, reatar este laço de comunhão. Só havia, então, uma maneira de reatar esse laço: o próprio Deus reatando. Deus, ao contrário do que se pensa sobre o calvinismo, não dividiu os Homens em dois grupos: o dos escolhidos de Deus e o dos não escolhidos. O que ele fez foi apenas retirar de toda humanidade que é na verdade imerecedora da salvação aqueles os quais determinou que fossem destinados à sua Glória Eterna. Deus tomou esta decisão antes da criação do Universo. Mas é claro que não é por causa de quaisquer boas acções que eles foram escolhidos: "porque pela graça sois salvos, mediante a fé, e isso não vem de vós; é dom de Deus; não vem de obras, para que ninguém se glorie". (Ef. 2:8,9)

Interpretação Sociológica

Sociólogos como Max Weber e Ernest Gellner analisaram a teoria e as consequências práticas desta doutrina e chegaram à conclusão de que os resultados são paradoxais. Em parte explicam o precoce desenvolvimento do capitalismo nos países onde o Calvinismo foi popular (Holanda, Escócia e EUA, sobretudo).

O Calvinista acredita que Deus escolheu um grupo de pessoas e que as restantes vão para o Inferno. Consequentemente, a pergunta que qualquer Calvinista se faz é: "Estarei eu entre os escolhidos ?".

Como é que um Calvinista sabe se está entre os escolhidos ou não ? Teoricamente, não é ele que o determina. A decisão está tomada. Foi tomada por Deus. Como é que eu sei se fui escolhido ou não ? Resposta: Deus me atraiu e eu cri na sua palavra. Ela é que me diz: "Mas a todos quantos o receberam deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus a saber os que creem em seu nome", Pela graça sois salvos, isto não vem de vós é dom de Deus para que ninguém se vanglorie.

Sendo um bom cristão, trabalhando muito, seguindo sempre todos os principios biblicos, o Calvinista prova a si mesmo que foi um escolhido, pelo seu sucesso como cristão. Não é a sua própria acção, mas de Deus, pois se Deus trabalha por ele, ele conclui que foi um dos eleitos.

Sendo assim, historicamente, para muitos Calvinista, o sucesso no trabalho e a consequente a riqueza poderá ser um dos sinais de que está entre os escolhidos de Deus. Os Holandeses, os Escoceses e os Americanos ganharam, então, a fama de serem sovinas, pouco generosos, interessados apenas no dinheiro. Estas características são na vida moderna quase um dado adquirido em qualquer cultura, mas nos tempos da Reforma Protestante, o Calvinismo terá instituído uma nova e revolucionária forma de relação com a riqueza. Ver Ernest Gellner para mais detalhes.

Denominações Calvinistas

O Calvinismo é a doutrina de diversas denominações evangélicas, dentre elas destacamos:

Ver também

Arminianismo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Jacobus Arminius(1560–-1609)
Jacobus Arminius
(1560–-1609)

O Arminianismo tem o sua ideologia e seu nome derivados de Jacó Arminius ou no original Jacobus Arminius (1560–-1609), ministro e teólogo reformado holandês, deu surgimento ao sistema de interpretação conhecido como "arminianismo".

Essa Teologia exerceu um grande conflito no século XV, indo de encontro a uma outra tese levantada o Calvinismo, onde seu defensor e contemporâneo de Jacó Arminius era Franz Gomarus, que foi criticado por Jacó Arminius pelo seu ensino sobre a Predestinação.

Sua essência teológica

Jacó Arminius defendia a tese de que Deus determinou antecipadamente os salvos ao saber quem aceitaria sua oferta . Armínius pregava que, apesar da Queda no Éden, o homem ainda conserva o livre-arbítrio que lhe permite aceitar ou rejeitar livremente a oferta de salvação de Deus.

Arminianismo versus calvinismo

O conflito teológico de Jacó Arminius e Franz Gomarus em 1604, levou a Igreja a convocar o Sínodo Nacional da Igreja Reformada, em Dort, mais conhecido como o Sínodo de Dort,onde os defensores do calvinismo e do arminianismo debateram em 154 reuniões iniciadas em 13 de novembro 1618 e encerrada em 9 de maio de 1619, cujo o assunto era a Predestinação incondicional defendida pelo calvinismo e a predestinação condicional defendida pelo arminianismo.

Escolha soberana de Deus ou escolha do homem ?

Segundo o calvinismo

Como já foi mencionado, o calvinismo crê na Predestinação incondicional ou Dupla predestinação.

De acordo com o princípio da dupla Predestinação, Deus destinou antes da fundação do Universo um grupo que aceitariam Cristo para a salvação e vida eterna, o outro grupo permaneceram ignorantes perante Deus e o Evangelho. Eles estão condenados e irão passar a eternidade no inferno.

Deus tomou esta decisão antes da criação do Universo. As razões por que Deus a tomou são-nos desconhecidas. Mas é claro que não é por causa de quaisquer boas ações que eles foram escolhidos.

Pontos do calvinismo clássico

  • Crentes verdadeiros não podem perder sua fé, visto que ela é um dom de Deus.
  • Aqueles que morrem sem fé em Cristo são condenados.
  • Aqueles que perdem sua fé, desde o princípio nunca a tiveram.
  • Deus perseverará os crentes verdadeiros e eles serão salvos.
  • O crente que "perde a sua fé" nunca a teve realmente – ou pelo mesmo ela não estava em Jesus.

A base bíblica mais comum apresentada pelos calvinistas é:

Segundo o arminianismo

Como já foi mencionado o arminianismo crê na Predestinação condicional ou Livre Árbitrio humano.

De acordo com o princípio da Predestinação condicional, Deus destinou antes da fundação do Universo um grupo que aceitaria Cristo para a salvação e vida eterna, porém o homem possui o livre arbítrio para não aceitar essa fé, sendo assim condenado; por isso que todo aquele que não aceitou a Cristo e a fé ou abandonou a mesma, fez o uso do seu livre arbítrio, e todo aquele que aceitou a Cristo e perseverar na fé é salvo.

Pontos do arminianismo clássico:

  • A pessoa deve perseverar na fé para ser salva.
  • Crentes verdadeiros podem perder sua fé.
  • Aqueles que morrem sem fé em Cristo são condenados.
  • O crente que perde sua fé é condenado.
Referências

A base bíblica mais comum apresentada pelos o arminianistas é:

23 maio 2007

O Crente pode perder a salvação?

Renato Vargens

Há poucos meses, fiz uma pesquisa em meu blog onde indaguei aos meus leitores se eles acreditavam na afirmação de que o verdadeiro crente poderia perder a salvação. Na ocasião 100 pessoas participaram da pesquisa, sendo que 41% manifestaram sua crença de que o crente em Jesus poderia perder a salvação eterna.
Confesso a você que fiquei surpreso com o resultado da enquete, até porque, jamais poderia imaginar que uma parcela tão grande de pessoas demonstrassem plena convicção de que o crente poderia cair da graça. Ora, a Bíblia é enfática em afirmar a segurança dos crentes. Para as Sagradas Escrituras, não é possível com que o verdadeiro crente afaste-se definitivamente da graça de Deus, até porque, as doutrinas bíblicas quanto a garantia da salvação são extremamente claras.

Por favor, leia atentamente o o texto abaixo:
"As minhas ovelhas ouvem a minha voz, e eu conheço-as, e elas me seguem; e dou-lhes a vida eterna, e nunca hão de perecer, e ninguém as arrebatará das minhas mãos. Meu Pai, que mas deu, é maior do que todos; e ninguém pode arrebatá-las das mãos de meu Pai.” Jo 10:27-29

Caro leitor, o texto em questão é claro. O crente que nasceu de novo, nunca há de perecer. Junta-se a isso o fato de que ninguém é poderoso suficientemente para arrancar os salvos das mãos do Senhor. É indispensável também que entendamos que o fato de alguém acreditar que o cristão pode jogar fora a salvação que o Pai lhe deu, aponta efetivamente para o desconhecimento das doutrinas bíblicas. Além disso, foi o próprio Senhor Jesus quem disse: “Todo o que o Pai me dá, virá a mim; e o que vem a mim de maneira nenhuma o lançarei fora”. (Jo 6:37) Vale também a pena ressaltar de que o Senhor Jesus ao ascender aos céus, deixou-nos o Espírito Santo como garantia da nossa salvação. A presença do Espírito em nós é a esperança e convicção da vida eterna. O Espírito Santo é o penhor, o qual nos garante irrevogavelmente a eternidade com Deus.

“Em quem também vós estais, depois que ouvistes a palavra da verdade, o evangelho da vossa salvação; e, tendo nele também crido, fostes selados com o Espírito Santo da promessa”.
(Ef 1:13)
“O qual é o penhor da nossa herança, para redenção da possessão adquirida, para louvor da sua glória”. (Ef 1:14)
“E não entristeçais o Espírito Santo de Deus, no qual estais selados para o dia da redenção”.
(Ef 4:30)
“O qual também nos selou e deu o penhor do Espírito em nossos corações”. (2Co 1:22)

Louvado seja o Senhor Jesus Cristo pela Salvação eterna! Engrandecido seja o seu nome, porque a salvação das nossas almas não depende dos nossos esforços, e sim exclusivamente dele. Somos irremediavelmente salvos, vamos viver com Cristo pelos séculos dos séculos amém!

Soli Deo Gloria

Renato Vargens

17 maio 2007

Curiosidade sobre o Mar Morto

Não é um vídeo. São slides que devem ser passados quadro a quadro. Então clique nas setinhas para adiantar ou retornar!

16 maio 2007

Sérgio Lopes - Tua Dor Vai Passar

David Quilan - Abraça-me

Here I Am to Worhip

Cantora e Baterista Gospel com apenas 7 anos de idade!

Algumas Informações sobre os conflitos no Oriente Médio

1) Um Estado não cria outro Estado. Quem deve criar um Estado para os palestinos são eles próprios, amparados pela ONU e apoiados pelos países límítrofes e hospedeiros do povo palestino. Foi assim, exceto o apoio dos países vizinhos, a criação do moderno Estado de Israel.

2) Os palestinos ainda não se organizaram em Estado porque não se entendem. E uma das causas de não se entenderem é o ódio que nutrem por Israel. Eles ensinam às crianças este ódio. O ódio é combustível apenas para a desgraça e a destruição.

3) Israel é o único Estado democrático em todo o Oriente Médio. Tal democracia inclue a liberdade religiosa, o que não ocorre nos países, seus inimigos, da região. Os árabes (palestinos e não palestinos) habitantes de Jerusalém vivem em paz, são respeitados, praticam a sua religião, têm cidadania israelita, etc. As mulheres árabes, moradoras e cidadãs de israel, têm ali mais direitos e liberdades que nos demais países árabes.

4) Os palestinos são sustentados financeiramente e moralmente (ódio) por países árabes e muçulmanos, inimigos de Israel. A população destes inimigos de Israel, é cerca de 60 vezes maior que a população de Israel. O território ocupado por Israel é cerca de 90 vezes menor que os ocupados pelos seus inimigos.

5) Quando a ONU decretou a formação do Estado de Israel e sua instalação na região, a Palestina não era ocupada pelos povos que se convencionou serem chamados de "palestinos" . A Palestina era um protetorado britânico (inglês). Os palestinos, nômades ou fixos, viviam espalhados em outros países da região, Jordânia, Líbano, Síria, etc. Eram apátridas, como eram os judeus.

6) Entretanto, antes de 1948, já havia colônias de judeus instaladas na Palestina.

7) Imediatamente (apenas 24 h) à declaração da ONU, em Maio de l948, os países árabes (Egito, Jordânia, Síria, Líbano e Iraque) moveram uma guerra contra Israel. Países árabes têm em sua Constituição declarado o ódio e o desejo de banimento de Israel do mapa.

8) Quando perceberam o desgaste político das guerras, tais países passaram a usar os palestinos como "bucha de canhão" contra Israel, expulsando-os e pressionando- os para que voltassem a ocupar a Palestina, lutando contra Israel.

9) Eis um fato atual e sintomático do que lhe falo. O Líbano, antes um país pacífico, estado laico (não religioso), povo ordeiro e trabalhador, origem da maioria dos árabes radicados no Brasil, estão dominados politicamente pelo Hizbollah (Partido de Deus), inimigos de Israel. Recentemente, no Líbano, os proprietários palestinos perderam o direito de herança, forçando os órfãos e descendentes a migrarem para a Palestina.

10) Foram as ações terroristas do Hizbollah, lançando bombas sobre a população civil, a partir do território libanês que provocaram a reação israelense e a recente Guerra do Líbano, a qual muito repercutiu no Brasil, negativamente para israel, pois afetou muitos brasileiros moradores no Líbano

11) Atualmente, a ONU gasta regularmente fortunas como ajuda pacífica, para desenvolvimento e progresso dos palestinos, os quais, divididos entre Hamas e Fatah, não se entendem, matam-se entre si. Eles sobrevivem moralmente à custa do ódio e dos atentados terroristas contra Israel, realizados com armas e premios em dinheiro entregues pelos inimigos de Israel.

12) Entre os palestinos há dois grupos políticos. O HAMAS, Movimento de Resistência Islâmica, fundado em 1987, é uma organização militar, muçulmana, que prega a destruição do Estado de Israel. Foi organizado contra a liderança secular (não religiosa) da FATAH, fundada em 1959, por Yasser Arafat, que no princípio usava métodos terroristas. Logo, ambos odeiam Israel, um muito, outro mais ainda.

Israel é quem mais tem se esforçado pela paz. Falta os seus inimigos se desarmarem e deixarem de insuflar com ódio e armas os palestinos.

Infelizmente, talvez por desinformação ou informação perversa, muitos cristãos, e até pastores, são anti-semitas. A mídia, atualmente, é anti-semita (judeus). Ser pró-palestinos e contra Israel é "politicamente correta".

Abaixo temos um resumo das guerras movidas pelos árabes contra Israel, desde 1948. Todas elas por iniciativa dos inimigos de Israel. Não deixe de ler.

Guerras e Mais Guerras

É enorme a desproporção entre os judeus e os seus vizinhos muçulmanos. Esse fato deu no início aos países muçulmanos uma enorme confiança que acabariam em pouco tempo com o Estado de Israel. A partir da década de 70 passaram a recorrer sobretudo a acções de natureza terrorista.

1948. 24 horas após ter sido criado, o Estado de Israel é invadido pelos exércitos regulares de Egito, Jordânia, Síria, Líbano e Iraque. A guerra só termina em 1949, com uma nova configuração das fronteiras.

1956. Uma aliança entre o Egito, Síria e Jordânia proclama internacionalmente o fim do Estado de Israel. Pouco antes de ser invadido, as tropas israelitas avançam e derrotam as forças inimigas. A paz só voltou meses depois.

1967. Uma nova invasão é anunciada. O Egito lidera de novo uma aliança com a Jordânia e a Síria para riscar do mapa Israel. Pouco antes da anunciada invasão, Israel ataca e destrói os exércitos inimigos. A paz tardou em voltar.

1973. O Egito, a Síria e a Jordânia lançaram-se numa nova invasão, mas desta vez de surpresa. Como nas vezes anteriores, acabam por ser derrotados. A paz levou anos a ser atingida: Egito (1979), Jordânia (1994).

1978. O Líbano, embora tenha participado na invasão de 1948 de Israel, manteve alguma neutralidade durante décadas. A partir do inicio década de 70 passa a ser utilizado como um base para ataques terrorista contra Israel por parte dos palestinianos. Face a esta situação, Israel vê-se obrigado a invadir o Líbano, primeiro em 1978 e depois em 1982 quando mergulhou num verdadeiro caos. Em 2000 retira-se sem ter conseguido acabar com os grupos terroristas locais.

2006. O Líbano está transformado num Estado fantasma, controlado desde os anos oitenta por uma organização terrorista - Hezbollah (Partido de Deus) - armada e financiada pelo Irão e a Síria. Em 2006 atacou Israel com misseis iranianos, lançando desta forma o Libano em mais uma onda de morte e destruição.

Terrorismo. A partir da década de 1970 que a guerra contra Israel passa a ser feita de forma sistemática através de acções terroristas praticadas em Israel e no exterior. Em 1977, por exemplo, foi assassinado em Lisboa o embaixador israelita.

Estas organizações terroristas, como o Setembro Negro, Abou Nidal, Hamas, Hezbollah, financiadas por vários países árabes, passaram a atuar segundo uma estratégia mais global de ataque aos valores do mundo ocidental. Israel tornou-se para o mundo islâmico, no símbolo do Ocidente e tudo o que de negativo lhe é atribuído.

A Anunciada Guerra. Mais ano menos ano a guerra irá eclodir. O Irã desde 1978 que anuncia que se está a preparar para acabar com o Estado de Israel. Em 2006 relançou o seu programa nuclear. A Síria não esconde idênticos objectivos, só espera por uma boa oportunidade. A paz nunca foi estabelecida com Israel e a questão das Colinas de Golã está em aberto. Enquanto a guerra não acontece, ações terroristas financiadas por estes países procuram desestabilizar Israel, o inimigo a riscar do mapa.

Fonte: http://confrontos.no.sapo.pt/ page5Israel. html

15 maio 2007

37 DICAS PARA AQUECER SEU CASAMENTO

Por: Steve Stephens

Casamento feliz é um porto seguro onde podemos relaxar e nos recuperar das tensões do dia-a-dia. Precisamos ouvir coisas positivas de nosso companheiro ou companheira. Da mesma forma que eu reuni alguns amigos para relacionarem uma lista do que NÃO se deve dizer ao cônjuge, eles também sugeriram o que gostariam de ouvir.

- Belo trabalho!
- Você é maravilhoso(a).
- O que você fez foi muito bom.
- Você está deslumbrante hoje.
- Eu não me completo sem você.
- Você está em primeiro lugar na minha vida, antes dos filhos, da carreira, dos amigos, de tudo.
- Estou feliz por ter-me casado com você.
- Você é o(a) meu (minha) melhor amigo(a).
- Se tivesse de começar tudo de novo, eu me casaria com você.
- Como quis ter você ao meu lado hoje!
- Senti sua falta hoje.
- Não consegui parar de pensar em você hoje.
- É bom acordar a seu lado.
- Você sempre será o meu amor.
- Adoro ver o brilho em seus olhos quando você sorri.
- Como sempre, você está com uma ótima aparência hoje.
- Eu confio em você.
- Eu sempre posso contar com você.
- Você faz com que eu me sinta bem.
- Estou muito orgulhoso(a) por ter-me casado com você.
- Sinto muito.
- O erro foi meu.
- Do que você gosta?
- Em que você está pensando?
- Quero ouvir com atenção.
- Você é muito especial.
- Não posso imaginar viver sem você.
- Eu gostaria de ser um(a) companheiro(a) melhor.
- O que posso fazer para ajudar você?
- Ore por mim.
- Estou orando por você hoje.
- Eu aprecio cada momento que passamos juntos.
- Obrigado(a) por me amar.
- Obrigado(a) por me aceitar.
- Obrigado(a) por ser meu (minha) companheiro(a).
- Você torna meus dias mais brilhantes.
- Que Deus nos ajude!

14 maio 2007

Pais e filhos

"Vós, pais, não irriteis a vossos filhos, para que não percam o ânimo" (Cl 3.21).
A disciplina é necessária, porém a sabedoria está no equilíbrio. Nem oito nem oitenta. A disciplina branda ou nula é tão prejudicial quanto à rígida e excessiva. Os médicos prescrevem a dose certa de remédio para cada tipo de enfermidade. Se a receita recomenda vinte gotas três vezes ao dia, se tomarmos cinco gotas não teremos os efeitos desejados. Se resolvermos tomar cinqüenta gotas de duas em duas horas, o remédio poderá se transformar em veneno.
O castigo disciplinar aplicado aos nossos filhos deve ser na medida certa, no momento certo, por justas razões. Disciplina rigorosa e excessiva poderá causar efeito contrário ao que se espera. Em vez de corrigir possíveis desvios de conduta, poderá causar uma situação de rebeldia incontrolável, não detectável a curto prazo.
A Bíblia recomenda que não devemos irritar nossos filhos. A punição física - surras, palmadas, beliscões, colocar de joelhos - pode e deve ser substituída por uma boa conversa. Todavia, palmadas suaves em crianças podem ser uma opção disciplinar viável. O problema surge quando as palmadas passam a ser o único de meio de "comunicação", a única linguagem. Bater é mais fácil do que explicar. Os filhos não devem ver os pais como carrascos. Quando os filhos desejam permanecer mais tempo longe de seus pais e, assim se sentem bem melhor, alguma coisa está errada.
O excesso de proibições (não faça, não mexa, não brinque, não suba, não namore) é também prejudicial ao desenvolvimento das crianças. Sabemos que elas, desde cedo, precisam conhecer limites: o que podem fazer e o que não podem. Assim, aprendem a reconhecer a autoridade dos pais. Mas estou falando aqui dos excessos.
Os filhos são preparados para caminhar com seus próprios passos; para tomar decisões e enfrentar adversidades. Os militares são treinados para situações de emergência. Sabem como sobreviver na selva. Nem sempre eles terão os instrutores ao lado. A selvageria do mundo espera nossos filhos. Daí a necessidade da formação moral na família. A família é a maior responsável por isso. Não é a Igreja; não são os professores. É na família que os homens de caráter são formados. Matemática, Geografia, Física, Química, História e outras disciplinas eles aprendem nos bancos escolares. Porém, os bons costumes, a honestidade, a prática do bem são assimilados no meio familiar.
Voltemos ao "não irriteis os vossos filhos, para que não percam o ânimo". Irritar significa provocar, exasperar, aborrecer, importunar, impacientar. Em que irritamos nossos filhos? Nada mais irritante do que o castigo físico por faltas não intencionais. Os pais também produzem prejuízos materiais sem que tenham a intenção de fazê-lo. As proibições desnecessárias são outra forma de importunar os filhos. O excessivo rigor disciplinar pode produzir homens indecisos e desanimados. Regra geral, não existe liberdade de comunicação em famílias nas quais há excesso de normas disciplinares. Os filhos não têm liberdade de expressar suas idéias. Seus pais decidem e controlam tudo. Num ambiente assim, há cerceamento da liberdade para criar.
Para manter a disciplina e formar o caráter dos filhos, os pais não precisam transformar seus lares em penitenciárias, das quais os filhos pensam em fugir. E muitos fogem para a aventura das ruas. Numa situação menos extrema, filhos que estão sob intensa artilharia de uma disciplina rigorosa sonham com uma vida livre, longe da vigilância paterna. Recentemente, um pai não aceitou o namoro de sua filha de 16 anos. Resultado: ela fugiu com o namorado.
Há pais que imaginam que seus filhos viverão para sempre com eles; que o cordão umbilical nunca será cortado. A respeito disso, os animais têm muito a nos ensinar. Desde cedo, ensinam os filhotes a procurar alimentos, para que possam ter vida adulta independente. Há filhos que, embora adultos e já casados, continuam carentes da assistência paterna. Não aprenderam a tomar decisões.
A instrução e a disciplina aplicadas aos filhos devem ser condizentes com a formação cristã. Eis os passos a serem dados pelos pais para levar os filhos a uma vida devotada a Cristo, conforme consta da Bíblia de Estudo Pentecostal:
a) Dediquem seus filhos a Deus no começo da vida deles (1 Sm 1.28; Lc 2.22).
b) Ensinem seus filhos a temer o Senhor e desviar-se do mal, a amar a justiça e a odiar a iniqüidade. Incutam neles a consciência da atitude de Deus para com o pecado e do seu julgamento contra ele.
c) Ensinem seus filhos a obedecer os pais, mediante a disciplina bíblica com amor (Dt 8.5; Pb 3.11,12; 13.24; 23.13,14; 29.15; Hb 12.7).
d) Protejam seus filhos da influência pecaminosa, sabendo que Satanás procurará destruí-los espiritualmente mediante a atração ao mundo ou através de companheiros imorais (Pv 13.20; 28.7; 2.15-17).
e) Façam saber a seus filhos que Deus está sempre observando e avaliando aquilo que fazem, pensam e dizem (Sl 139.1-2).
f) Levem seus filhos bem cedo na vida à fé pessoal em Cristo, ao arrependimento e ao batismo em água (Mt 19.14).
g) Habituem seus filhos numa igreja espiritual, onde se fala a Palavra de Deus, se mantém os padrões de retidão e o Espírito Santo se manifesta. Ensinem seus filhos a observar o princípio: "Companheiro sou de todos os que te temem" (Sl 119.63).
h) Motivem seus filhos a permanecerem separados do mundo, a testemunhar e trabalhar para Deus (2 Co 6.14 - 7.1. Tg 4.4). Ensinem-lhes que são forasteiros e peregrinos neste mundo (Hb 11.13-16), que seu verdadeiro lar e cidadania estão no céu com Cristo (Fp 3.20; Cl 3.1-3).
i) Instruam-no sobre a importância do batismo no Espírito Santo (At 1.4,5, 8; 2, 4,39).
j) Ensinem a seus filhos que Deus os ama e tem um propósito específico para suas vidas (Lc 1.13-17; Rm 8.29,30; 1 Pe 1.3-9).
l) Instruam seus filhos diariamente nas Sagradas Escrituras, na conversação e no culto doméstico (Dt 4.9; 6.5,7; 1 Tm 4.6; 2 Tm 3.15).
m) Mediante o exemplo e conselhos, encorajem seus filhos a uma vida de oração (At 6.4; Rm 12.12; Ef 6.18; Tg 5.16).
n) Previnam seus filhos sobre suportar perseguições por amor à justiça (Mt 5.10-12). Eles devem saber que "todos os que piamente querem viver em Cristo Jesus padecerão perseguições" (2 Tm 3.12).
o) Levem seus filhos diante de Deus em intercessão constante e fervorosa (Ef 6.18; Tg 5.16-18).
p) Tenham tanto amor e desvelo pelos filhos, que estejam dispostos a consumir suas vidas como sacrifício ao Senhor, para que se aprofundem na fé e se cumpra nas suas vidas a vontade do Senhor.

PASTOR AIRTON EVANGELISTA DA COSTA
da Assembléia de Deus Palavra da Verdade - Aquiraz-CE

08 maio 2007

MUDE PARA O FIREFOX VOCÊ TAMBÉM!

Mas por que o Firefox é melhor que o Internet Explorer?


Privacidade Total
Limpe seus dados pessoais. Quer apagar todo o histórico de páginas visitadas ou apenas os cookies? Com o Firefox você apaga informações pessoais em dois cliques ou mesmo automaticamente. Ninguém vai saber por onde você navegou.

Proteção contra páginas falsas
Alerta contra fraudes. Um novo recurso do Firefox 2 é a proteção contra fraudes online. São páginas que se fazem passar por bancos ou outras instituições com o objetivo de roubar informações como senhas. O Firefox recebe da internet uma lista de sites suspeitos e alerta quando um deles é visitado.

Navegação em abas
Abra vários sites em uma mesma janela. Abrindo os links em segundo plano eles já estarão prontos e carregados quando você for ler. Fica muito mais fácil navegar assim.

Pesquisa inteligente
O campo de pesquisa, indexado às melhores ferramentas da internet (Google, Yahoo, e muitas outras) fica a direita na barra de ferramentas e abre direto a página com os resultados. E o comando localizar na página acha o texto a medida que você digita.

Corretor ortográfico
O Firefox 2 possui um corretor ortográfico integrado. Quando você escreve um email ou mesmo um comentário em um blog, as palavras não reconhecidas são grifadas.

RSS
A integração RSS nos favoritos permite que você fique sabendo das atualizações e últimas notícias dos seus sites preferidos.

Bloqueador de janelas popup
Esqueça para sempre as incômodas janelinhas. O Firefox tem um bloqueador de janelas popup.

Restauração da sessão
Agora quando a energia elétrica for interrompida ou mesmo se
o seu computador travar, todas as janelas são reabertas no ponto onde você estava assim que você reiniciar.

O Firefox é o navegador mais personalizável que existe. Coloque novos botões nas barras de ferramentas, instale extensões que criam novas funções, adicione temas que modificam o visual do Firefox e coloque mais mecanismos no campo de pesquisa. O Firefox é tão grande ou pequeno quanto você queira. Com menos de 6MB (Windows), você leva apenas alguns minutos para baixar o Firefox para o seu computador em uma conexão discada. E segundos em uma conexão banda larga. O instalador configura tudo rapidamente e copia todos os seus dados e favoritos do Internet Explorer e outros navegadores — você instala e já começa a navegar.

Baixe agora mesmo: Clique aqui e instale o FIREFOX com o Google Toolbar

07 maio 2007

A Vida de Cristo de A a Z e de Gênesis a Apocalipse

Jesus "o Senhor é salvação"

Jesus Cristo é retratado no Novo Testamento como Salvador do mundo, e o nome Jesus em si significa "Salvador". Conforme escreveu João no final de seu evangelho, "estes [sinais], porém, foram registrados para que creiais que Jesus é o Cristo, o Filho de Deus, e para que, crendo, tenhais vida em seu nome'.

Infância

A mãe de Jesus, Maria, deitou o bebê Jesus numa manjedoura quando ele nasceu em Belém, onde os pastores o visitaram. Jesus foi apresentado no templo, e depois Maria e José, padrasto de Jesus, fugiram para o Egito com Jesus após a visita dos magos. Eles retomaram posteriormente a Nazaré, onde José trabalhou como carpinteiro. Além da visita de Jesus ao templo quando tinha doze anos, quando ele ouviu os mestres e lhes fez perguntas, nada mais é conhecido à respeito da sua infância.

Três anos de ministério

Quando Jesus tinha cerca de 30 anos, João Batista o batizou no rio Jordão, antes de Jesus ir para o deserto a fim de ser tentado por Satanás. Após isto, Jesus iniciou seu ministério público, escolhendo doze apóstolos para estarem com ele. Jesus fez muitos milagres, como transformar a água em vinho em Caná, e muitas curas, como a ressurreição da filha de Jairo. Ele também pregou freqüentemente, como no Sermão do Monte, e contou numerosas parábolas memoráveis, como a do bom samaritano e do filho pródigo.

A última semana

Os autores dos quatro evangelhos se concentram nos últimos sete dias da vida de Jesus. No domingo que precedeu sua morte, Jesus entrou em Jerusalém num jumento, aplaudido pelas multidões. Na quinta-feira seguinte, Jesus tomou a íntima Ceia com seus discípulos, antes de se dirigir ao jardim de Getsêmani para orar, onde Judas o traiu. Jesus foi preso, injustamente julgado, injustamente condenado à morte, crucificado como um criminoso comum e sepultado. Más no domingo seu túmulo foi encontrado vazio, pois ele havia ressurgido dos mortos. Quarenta dias depois Jesus subiu ao céu, após ter aparecido ressurreto muitas vezes, prometendo que ele voltaria um dia.

O Antigo Testamento predisse a vinda de grande e maravilhoso Rei da Linhagem da família de Davi, o qual governaria e abençoaria o mundo inteiro. Muito antes de aparecer, esse rei foi chamado "Messias" (hebraico), ou "Cristo" (grego). As duas palavras significam "Ungido": "O Ungido de Deus" para realizar a obra mundial de que falaram os profetas. "Jesus" que significa: "O Senhor é Salvação" era seu nome pessoal. "Messias" ou "Cristo" expressavam o ofício que ele veio exercer. Mas Jesus, apesar de ser narrada sua aparição só no Novo Testamento, é o tema central da Bíblia. No Antigo Testamento Ele é aquele que havia de vir para salvar o mundo, e no Novo Testamento Ele é o que veio para morrer para nos salvar e é O que virá outra vez para trazer julgamento aos que não creram nele e levar para o Pai os que se fizeram Seus seguidores.

Em cada Livro da Bíblia encontramos Jesus tipificado ou profetizado, como segue:

Gênesis - Ele é a semente de Eva
Êxodo - Ele livra o seu povo do Cativeiro
Levítico - Ele é o Sumo Sacerdote
Números - É o que conduz o Seu povo à Terra Prometida
Deuteronômio - Ele é a lei da nossa Salvação
Josué - Ele é o que Luta pelo Seu Povo
Juízes - Ele é O que governa
Rute - Ele é aquele que nos resgata
I e II Samuel - Ele nos unge a cabeça com óleo
I e II Reis - Ele é o que Divide
I e II Crônicas - Ele é o Senhor da Vitória
Esdras - Ele é o Restaurador
Neemias - Ele é o que reedifica os muros
Ester - Ele livra o seu povo da Destruição
- É o nosso sofredor
Salmos - Ele é o Bom Pastor
Provérbios - Ele é a Sabedoria
Eclesiastes - Ele é o Pregador sem vaidades
Cantares de Salomão - Ele é o Noivo que Ama a sua Igreja (Noiva)
Isaías - Ele é o Messias que havia de vir, o servo sofredor
Jeremias - Ele é o profeta que chora
Lamentações de Jeremias - Ele é o Senhor que chora pelo seu povo
Ezequiel - Ele é o Maravilhoso Ser das Quatro Faces
Daniel - É o quarto homem da fornalha ardente
Oséias - Ele é o que se afasta da iniquidade do Povo
Joel - Ele nos batiza com o Espírito Santo
Amós - Ele é o Grande Governador do Universo
Obadias - Ele é o Senhor que destrói os nossos inimigos
Jonas - Ele é o grande missionário que leva a Palavra de Deus ao Mundo
Miquéias - Ele é o Mensageiro Dos Pés Formosos
Naum - Ele é o Senhor que persegue os iníquos
Habacuque - Ele é o Justo
Sofonias - Ele é o Senhor de linhagem pura
Ageu - Ele é o Templo de Deus
Zacarias - Ele é o Pastor ferido, das mãos traspassadas, o Edificador do templo do Senhor
Malaquias - Ele é o Mensageiro da Aliança

No velho Testamento Ele é o que viria, no Novo Ele veio e Voltará...

Mateus - Ele é Jesus, o Messias
Marcos - Ele é Jesus, Maravilhoso
Lucas - Ele é Jesus, o Filho do Homem
João - Ele é Jesus, o Filho de Deus
Atos - Justo, Senhor de todos, Senhor que nos salva
Romanos - Ele é o Pacificador
I Coríntios - Ele é O Destruidor da Morte, Senhor da Glória, O único Fundamento, O Cordeiro do Sacrifício
II Coríntios - Ele é a Imagem de Deus
Gálatas - Ele é o Senhor da Graça
Efésios - Ele é o Exemplo Supremo da Maturidade
Filipenses - Ele é o prêmio supremo na luta da vida
Colossenses - Ele é Deus, o Cabeça da Igreja
I e II Tessalonisenses - Ele virá outra vez!
I Timóteo - Ele é o bem aventurado e único Soberano
II Timóteo - Ele é o Juiz de Todos os Homens
Tito - Ele é o Redentor
Filemon - É o Senhor que nos Liberta
Hebreus - Jesus é a Aliança entre nós e Deus, Autor da Nossa Salvação, O Grande Sumo Sacerdote, Autor e Consumador da nossa Fé.
Tiago - É o Senhor das Boas Obras
I e II Pedro - Ele é o Filho do Deus Vivente, A única Fonte de Verdade, O Pastor e Bispo das Almas
I, II e III João - Ele é o Amor
Judas - É o Senhor que nos alerta
Apocalipse - Ele é a Fiel testemunha, O Alfa e o Ômega, O Leão da Tribo de Judá, O Cordeiro, O Verbo de Deus e o Rei dos reis e Senhor dos senhores.

Além disso, encontramos em toda Bíblia vários títulos atribuídos a Ele,
O Senhor da Nossa Salvação – Jesus.

A

Autor de Eterna Salvação - Hb. 5:9
Autor da vida - At. 3:15
Apóstolo da nossa confissão - Hb.3:1
Amém - Ap. 3:14
Advogado - IJo 2:1
Adão - ICo 15:45
A ressurreição e a vida - Jo.11:25
Alfa e Ômega - Ap. 1:8
Autor da Salvação - Hb.2:10
Autor e Consumador da Fé - Hb.12:2

B

Bom Pastor - Jo.10:11
Braço do Senhor - Is. 51:9

C

Cabeça da Igreja - Ef.1:22
Chefe - Is.55:4
Conselheiro - Is.9:6
Consolação de Israel - Lc. 2:25
Cordeiro de Deus - Jo.1:29
Cordeiro - Ap. 13:8
Criador - Jo.1:3
Cristo de Deus - Lc.9:20

D

Desejado de Todas as Nações - Ag.2:7
Deus Bendito - Rm. 9:5
Deus Forte - Is. 9:6
Deus Unigênito - Jo. 1:18
Deus - Is. 40:3

E

Emanuel - Is.7:14
Eu Sou - Jo.8:58

F

Filho Amado - Mt.12:18
Filho de Davi - Mt.1:1
Filho de Deus - Mt. 2:15
Filho do Altíssimo - Lc.1:32
Filho do Homem - Mt. 8:20
Filho do Deus Bendito - Mc. 14:61

G

Glória do Senhor - Is. 40:5
Grande Sumo Sacerdote - Hb.4:14
Guia - Mt. 2:6

H

Herdeiro de Todas as Coisas - Hb. 1:2
Homem de dores - Is. 53:3

I

Imagem de Deus - IICo. 4:4

J

Jesus de Nazaré - Mt. 21:11
Jesus - Mt. 1:21
Juíz de Israel - Mq. 5:1
Justiça Nossa - Jr.23:6
Justo - At. 7:52

L

Leão da Tribo de Judá - Ap.5:5
Legislador - Is.33:22
Libertador - Rm.11:26
Lírio dos Vales - Cant. 2:1
Luz do Mundo - Jo.8:12
Luz Verdadeira - Jo.1:9

M

Mediador - ITm. 2:5
Mensageiro da Aliança - Ml.3:1
Messias, ou Ungido - Dn. 9:25

N

Nazareno - Mt.2:23
Nossa Páscoa - ICo. 5:7

O

O Escolhido de Deus - Is. 42:1
O primeiro e o último - Ap. 1:17

P

Pão da Vida - Jo. 6:35
Pai Eterno - Is.9:6
Pastor e Bispo das Almas - IPe. 2:25
Pedra Angular - Sl.118:22
Poderoso de Jacó - Is. 60 :16
Poderoso Salvador - Lc.1:69
Precursor - Hb.6:20
Primogênito - Ap.1:5
Príncipe da Paz - Is.9:6
Príncipe dos Pastores - IPe. 5:4
Princípio da Criação de Deus - Ap. 3:14
Profeta - Lc.24:19

Q

Querido pelos seus servos

R

Raiz de Davi - Ap. 22:16
Redentor - Jo. 19:25
Rei dos Reis - Itm. 6:15
Rei dos santos - Ap. 15:3
Rei dos Judeus - Mt.2:2
Rei dos séculos - ITm.1:17
Rei - Zc. 9:9
Renovo - Is.4:2
Resplandescente estrela da manhã - Ap.22:16
Rocha - ICo.10:4
Rosa de Sarom - Cant. 2:1

S

Salvador - Lc.2:11
Santo de Deus - Mc.1:24
Santo de Israel - Is.41:14
Santo Servo - At. 4:27
Santo - At.3:14
Semente da Mulher - Gn.3:15
Senhor da Glória - ICo. 2:8
Senhor de Todos - At.10:36
Senhor Deus - Is.26:4
Senhor dos Senhores - ITm.6:15
Siló - Gn. 49:10
Soberano dos Reis - Ap. 1:5
Sol da Justiça - Ml. 4:2
Sol nascente - Lc. 1:68

T

Testemunha fiel - Ap. 1:5
Testemunho - Is. 55:4
Todo-Poderoso - Ap. 1:8

U

Único

V

Verbo de Deus - Ap. 19:13
Verbo - Jo. 1:1
Verdade - Jo.1:14
Vida - Jo.14:6
Videira verdadeira - Jo.15:1

Z

Zeloso

(Autor Desconhecido - Se conhecer a autoria, favor nos avisar)

05 maio 2007

PICASA 2

Esqueça todos os visualizadores, editores e catalogadores de fotos que você já viu até agora, e abra os olhos pro Picasa 2 do Google, um novo conceito na organização e edição de fotos digitais.

O Picasa 2 é um software que o ajuda a encontrar, editar e compartilhar instantaneamente todas as imagens no PC. Sempre que você abre o Picasa 2, ele localiza automaticamente todas as imagens (inclusive aquelas que você nem lembrava mais) e classifica-as em álbuns visuais organizados por data com nomes de pastas facilmente reconhecidos. Arraste e solte imagens para organizar os álbuns e defina marcadores para criar novos grupos. O Picasa 2 garante que as imagens estarão sempre organizadas.

O Picasa 2 também simplifica a edição avançada de imagens com botões de correção e efeitos poderosos aplicáveis com um clique. Além disso, com o Picasa é muito fácil compartilhar imagens – você pode enviá-las por e-mail, imprimir fotos em diversos tamanhos, criar CDs e até publicar fotos diretamente no seu blog.

Clique no link abaixo e faça o download do Picasa 2 diretamente dos servidores do Google (Atendendo a pedidos, não é megaupload!). Apenas 4,6Mb (baixa em poucos minutos)

Clique aqui ou na foto ao lado.

Google