28 fevereiro 2010

PARA QUEM QUISER SER HEBREU HOJE

A fé é a firme fundação das coisas que nós esperamos, e carrega em-si-mesma a prova das coisas que não se vêem...pois nela tais coisas preexistem a si mesmas como coisas.

Foi por meio da fé que os homens da antiguidade alcançaram bom testemunho para si mesmos diante de Deus.
Tudo aquilo do que nós nos apropriamos sem o auxílio dos sentidos, é fé.
Por isto é que entendemos que todos os mundos foram criados pela Palavra de Deus; de modo que aquilo que chamamos de visível foi feito daquilo que não está disponível aos sentidos.
É a fé que estabelece a verdade das coisas diante de Deus.
Sabemos isto desde o princípio, pois, foi pela fé que Abel ofereceu a Deus mais excelente sacrifício que Caim.
E foi também por meio da fé que Abel alcançou o testemunho de que era justo, pois, a fé dava verdadeiro significado às suas oferendas.
Foi ainda por causa da fé que Abel, mesmo estando morto, ainda fala hoje.
A fé imerge o homem num ambiente onde tudo é possível, sobretudo, porque a comunhão com Deus, faz supressão definitiva de todas as categorias ligadas ao domínio do possível ou do impossível.
Por esta razão da fé é que sabemos que Enoque foi trasladado para não ver a morte; e não foi achado, porque Deus o trasladara; pois antes da sua trasladação alcançou testemunho de que agradara a Deus por meio da fé.
Enfim, sem fé é impossível agradar a Deus.
Deus tem que ser visto como Aquele que existe, e que é galardoador dos que o buscam. E isto, só acontece se houver fé. Pois sem fé, quem esperaria galardão do que não existe?
Ou ser premiado por alguém a quem não se vê?
Os maiores marcos da História Universal aconteceram por meio da fé.
O mundo da antiguidade foi afogado nas águas do Dilúvio. Começou um novo mundo. Mas quem passou do antigo mundo para o novo, o fez por meio da fé.
Assim foi que pela fé, Noé, divinamente avisado pela voz de Deus acerca das coisas que ainda não se viam como fato ou sequer como possibilidade, sendo temente a Deus, preparou uma arca para o salvamento da sua família.
A fé que salvou a Noé foi a mesma que condenou o mundo antigo.
Desse modo, o homem que passou de uma era para a outra, e tornou-se herdeiro da justiça que preservou a humanidade, obteve o seu próprio futuro e também o nosso, por meio da fé.
A fé se fez História.
Foi por meio da fé que onde não havia nenhuma história para a percepção dos homens, Deus estava fazendo a História, a qual a história humana não reconhecia, enquanto ela acontecia.

A História de Deus com os homens acontece primeiro no coração, onde é a residência da fé.

Foi pela fé que Abraão, um total desconhecido, sendo chamado por Deus, obedeceu; saindo para um lugar que havia de receber por herança; e partiu sem saber para onde ia.
Ninguém sabia dele, senão somente Deus!
Pela fé Abraão peregrinou pelo chão da terra como quem anda sobre a promessa; vivia como em terra alheia no chão que, pela fé, ele sabia que já era seu, sendo, ironicamente o dono daquilo que ainda não podia possuir; habitando em tendas com Isaque e Jacó, seus descendentes, e herdeiros com ele da mesma promessa...
De fato, Abraão esperava a cidade que tem Fundamentos, da qual o arquiteto e edificador é o próprio Deus.
Foi também pela fé que a própria Sara, sua mulher, recebeu a virtude de conceber um filho, mesmo que totalmente fora da idade.
Isto porque ela creu que Aquele que lhe havia feito a promessa de gerar um filho, era Deus fiel para cumprir o prometido.
A fé é pura ironia...
Afinal, é de Abraão, um velho amortecido em sua potencia masculina, que descenderam tantos filhos...em multidão...como as estrelas do céu...e como a areia inumerável que está na praia do mar!
A fé é a esperança que ousa declarar-se e viver com as conseqüências da confissão!
Ela se contenta na certeza de que aquilo que ainda não se materializou ou se realizou, todavia, já é.
Desse modo é que todos acerca dos quais falamos, morreram na fé, sem terem, entretanto, alcançado a materialização histórica das promessas a eles feita por Deus.
Eles, todavia, viram a realização das promessas com os olhos da fé, tendo acenado para elas mesmo que de longe, pois, sabiam que nenhuma promessa se totaliza na Terra. Eles, pois, viam-se e confessavam-se estrangeiros e peregrinos na Terra.
Daí o tratarem a imaterialização plena do prometido, com tanta paz e serenidade: eles aguardavam a materialização de tudo nos ambientes onde a matéria é feita daquilo que não se corrompe.
Isto porque quem age como um peregrino—um hebreu—, demonstra estar buscando uma outra pátria.
E esse tal, só não anda direto para a sua pátria final por não lembrar daquilo que já sabe. Pois, se na verdade se lembrasse daquela pátria de onde saiu, voltaria para ela imediatamente.
Esta é a estranheza...
Os homens mais cheios de fé e os mais esperançosos que já viveram na Terra, não tinham aqui o fundamento de suas esperanças finais.
Ao contrário, eles sempre desejaram uma pátria melhor, isto é, a pátria celestial.
Esta é a razão de Deus também não se envergonhar deles—e a prova disto está no fato Dele se deixar chamar de Deus por eles e para eles.
E ainda mais: o próprio Deus já lhes preparou uma cidade, visto que eles confiaram a Deus a construção de sua pousada eterna.
A fé é incompreensível...
De que outro modo poderíamos olhar o drama paterno de Abraão, sem nos escandalizarmos?
Foi exclusivamente pela fé que Abraão, sendo provado por Deus, num convite a loucura e a violação de todos os seus instintos, ainda assim ofereceu Isaque, seu filho, ao próprio Deus!
Sim! ia mesmo oferecendo o seu único filho, aquele filho que era o objeto das promessas, e acerca de quem se havia dito:
Em Isaque será chamada a tua descendência...
Sim! Julgando que Deus era poderoso para até dos mortos o ressuscitar, levou-o para ser sacrificado.

Deus não o permitiu.

Mas viu que no coração de Abraão, Isaque havia sido oferecido, e, portanto, era como se tivesse sido imolado e morrido. Daí foi que também, ainda que figuradamente, Abraão recobrou seu filho de dentro da própria morte, como na ressurreição dos mortos.
A fé carrega em si a semente da ressurreição!
Pela fé Isaque abençoou seus filhos Jacó e a Esaú, no tocante às coisas futuras, e que se tornaram tão reais e efetivas, que fazem ainda hoje parte de nosso presente.
A fé fala do futuro. Foi por esta razão de fé que Jacó, quando estava para morrer, abençoou cada um dos filhos de José, e adorou a Deus, inclinado sobre a extremidade do seu cajado.
Ele andara pela fé, o cajado apenas se sustentara em razão da fé que levou Jacó a adorar a Deus pelo passado, pelo presente e pelo futuro.
A fé se projeta de tal modo como certeza e confiança para o futuro, que, pela fé, José, bisneto de Abraão, estando próximo da morte, afirmou que os filhos de Israel sairiam do Egito num Êxodo.
E em razão disto é que deu ordem acerca de seus próprios ossos, afirmando que desejava que fossem levados de volta para a terra da promessa.
A fé invade o ser humano de tal modo, que ele fica possuído com a certeza do conhecimento Daquele fez as promessas. Daí ser também sempre acompanhada por maravilhas.
E não somente isto, a fé se mostra também como inexplicável desígnio.
A vida de Moisés nos mostra isto.
Ele era menino numa terra e numa hora em que todos os meninos de seu povo eram mortos ao nascer. Mas foi pela fé que os seus pais, logo após o seu nascimento, ao verem-no, decidiram escondê-lo.
Ele mamou e viveu escondido por seus pais durante três meses, porque viram que ele era um menino formoso.
A fé também se serve da formosura. Por isto, tomados de fé, os pais de Moisés não temeram e, desobedeceram o decreto do rei.
Foi a fé que fez Moisés, sendo já homem, decidir recusar ser chamado filho da filha de Faraó. Foi também pela fé que ele decidiu comungar a dor de seu povo, ser com ele maltratado como o povo de Deus, antes que entregar-se no Tempo, ao gozo do pecado de não ser quem sabia que era.
E entendeu isto quando, considerando todas as riquezas do Egito, viu-as como incomparavelmente menores que a Graça da riqueza de ser parte do opróbrio de Cristo.
E seguiu com o povo de Deus porque tinha em vista a recompensa.
Foi por isto que se deixou constranger por Deus a fim de liderar o povo nos dias daquela peregrinação.
A fé tira o medo, pois foi pela fé que Moisés deixou o Egito, não temendo a ira do rei.
Ele não temeu porque a fé o fez vê firmemente Aquele que é Invisível.
A fé promove confiança no amor de Deus. Foi por essa razão que pela fé Moisés celebrou a páscoa e a aspersão do sangue sobre as casas dos hebreus, para que o destruidor dos primogênitos não lhes tocasse, enquanto morriam todos os demais primogênitos na terra do Egito.
A fé vê caminhos onde não há caminhos. Por isto é que os israelitas atravessaram o Mar Vermelho, como quem caminha por terra seca. Mas os egípcios tentaram imitá-los fazendo o mesmo caminho, e foram afogados.
A fé não se preocupa com fraqueza, mas com certeza.
Ou não lembram que foi pela fé que caíram os muros de Jericó, depois de rodeados por sete dias?
Ou também não foi a fé que fez Raabe, a meretriz, decidir acolher em paz aos espias de Israel, e se associar a eles, tendo sido desobediente e traidora aos olhos dos seus, mas justificada em fé junto com o povo de Deus?
E que mais direi?
Me faltará o tempo, se eu contar de Gideão, de Baraque, de Sansão, de Jefté, de Davi, de Samuel e dos profetas...
Todos eles, por meio da fé, venceram reinos, praticaram o que sabiam ser a justiça, alcançaram promessas, fecharam a boca dos leões, apagaram a força do fogo, escaparam ao fio da espada, da fraqueza tiraram forças, tornaram-se poderosos na guerra, puseram em fuga exércitos estrangeiros!
Houve mulheres que pela fé receberam de volta à vida, como Graça da Ressurreição, os seus queridos que estavam mortos!
A fé também não conhece adversativas e nem adversidades que sejam maiores do que ela. Por esta razão, enquanto uns venciam diante de Deus e dos homens, outros venciam em profunda solidão, sendo vistos em sua justiça e verdade, somente pelos olhos de Deus.
Assim, uns foram torturados, não aceitando negociar seu próprio livramento violando qualquer condição de consciência, porque criam que haveriam de alcançar uma melhor ressurreição.
Houve outros que experimentaram escárnios e açoites. E houve muitos que conheceram o interior frio e abandonado de cadeias e prisões!
E que dizer dos que foram apedrejados?
E o que falar dos que foram terrivelmente tentados?
Ou deveríamos mencionar os que foram serrados ao meio?
Ou, quem sabe, os que morreram ao fio da espada?
Ou deveríamos mencionar os que andaram vestidos de peles de ovelhas e de cabras, necessitados, aflitos e maltratados?
Saiba-se isto: eles eram os homens dos quais o mundo não era digno!
Lá iam eles andando em fé, errantes pelos desertos e montes, e pelas covas e cavernas da terra!
E o mundo não os via...
A fé, entretanto, não se basta a si mesma. Ela encontra sua abastança absoluta não em si mesma, mas fora de si mesma. Ela realiza o impossível, só não realiza o impossível de se satisfazer em si mesma.
Por isto é que todos acerca dos quais falamos, embora tendo recebido bom testemunho pela fé que tiveram, contudo não alcançaram a materialização da promessa em sua época.
E a razão é que Deus preparara algo muito melhor para nós, para que eles, sem nós, não fossem aperfeiçoados.
A fé irmana a todos os seus filhos, e os faz verem-se como irmãos, andando no mesmo caminho, vivendo vidas diferentes e em tempos diversos, mas os faz verem-se, acima de tudo, como sendo todos beneficiários do mesmo Deus e da mesma Graça; uns de um modo, outros de outro; uns sendo vistos, outros nem sendo percebidos; alguns recebendo galardão celeste enquanto conseguem vitórias entre os homens; outros, todavia, andam em profunda solidão, sem serem vistos por ninguém, mas sem desviarem-se do caminho, pois sabem que andam pela fé, e que nisto está sua justiça.
Assim diz o Senhor: o meu justo viverá pela fé, e se retroceder, nele não está o meu coração!
O que acerca dos que crêem, todavia, Ele diz é assim: Vão indo de fé em fé, cada um deles aparece diante de mim e verão a minha face!
E assim, todos nós, com o rosto descoberto seguimos caminhando em fé, vendo a Glória de Cristo—ainda que em meros reflexos—, e somos a cada dia transformados em Sua própria semelhança, sendo esta a incessante obra do Espírito Santo em nós!

Nele,

Caio

27 fevereiro 2010

Devocional para Sábado, 27 de Fevereiro, 2010

VERSÍCULO:
Filhinhos, não amemos de palavra nem de boca, mas em ação e em
verdade.
-- 1 João 3:18

PENSAMENTO:
“Quero ver você fazer!” “Você pode me dizer com palavras, mas eu
lhe mostrarei com minha vida”. “Faça o que você diz.” Nós
conhecemos os slogans; agora amemos de verdade. Num mundo onde a
troca de interesses substituiu amor constante e sacrificial,
nademos contra a correnteza e amemos de verdade com nossas palavras
e nossas ações.

ORAÇÃO:
Pai Sacrificial, eu confesso ao Senhor que às vezes eu sou
egoísta. Outras vezes minhas intenções são boas, mas minha
perseverança e fidelidade são falhas. Use seu Espírito para me dar
poder e me tornar capaz de ser o que eu espero me tornar para sua
glória. Que hoje seu amor seja visto nas minhas ações de cuidado
genuíno. Eu oro em nome de Jesus. Amém.

http://www.iluminalma.com.br/

PALAVRAS E PALAVRA

Códigos, signos, imagens, sentimentos, pensamentos, o invisível, o presente, o passado, o futuro, o mundo inteiro—palavras são isto tudo!
A Palavra, todavia, é muito mais que isto. É carne, é sangue, é espírito, é vida!
A Palavra se fez carne!
A Palavra é Presença!
A Palavra habitou entre nós!
A Palavra criou o que se vê e o que se não vê!
A Palavra revelou a Sua Gloria!
A Palavra criou os sentidos. Os sentidos só enxergam a Palavra pela Palavra!
A Palavra é vento...sopra onde quer!
A Palavra é clara e é obscura!
A Palavra se revela!
A Palavra geraria tantos livros que nem no mundo se poderia guardar!
A Palavra é tudo que é! mas tudo o que é, não é a Palavra!
A Palavra só é apropriada pela entrega, pela rendição, pela confissão de cegueira!
A Palavra é tudo o que é e tudo que ainda não se tornou!
A Palavra é Jesus!
Jesus é a Palavra!
Jesus é!

Jesus...

Nele tudo subsiste!
Eu também!

Caio

26 fevereiro 2010

Devocional para Sexta-feira, 26 de Fevereiro, 2010

VERSÍCULO:
  Nisto se manifestou o amor de Deus em nós: em haver Deus enviado
o seu Filho unigênito ao mundo, para vivermos por meio dele.

   -- 1 João 4:9

PENSAMENTO:
  Amor é ação.  A bíblia enfatiza esta verdade vez após vez.  O
amor não pode ser apenas palavras; deve ser demonstrado.  O começo
do amos é Deus.  Ele mostrou seu amor em maneiras sacrificiais para
que pudéssemos conhecer o nosso grande valor para ele.  O preço da
nossa adoção foi o esvaziamento do céu do seu maior tesouro, Deus
Filho, que é nosso Salvador.

ORAÇÃO:
  Amoroso Pai, obrigado por me adotar à sua família.  Não
conseguiria nunca te agradecer o suficiente nem te pagar por sua
bondade, mas por favor, receba o serviço da minha vida como meu
agradecimento por sua graça e meu pequeno gesto de tentar
compartilhar o amor que o Senhor tem demonstrado para comigo.
Através do meu Irmão e meu Resgate eu oro. Amém.

http://www.iluminalma.com.br/

25 fevereiro 2010

Devocional para Quinta-feira, 25 de Fevereiro, 2010

VERSÍCULO:
Respondeu-lhe Jesus: Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu
coração, de toda a tua alma e de todo o teu entendimento. Este é o
grande e primeiro mandamento. O segundo, semelhante a este, é:
Amarás o teu próximo como a ti mesmo.

-- Mateus 22:37-39

PENSAMENTO:
Algumas coisas não são muito complicadas. Viver para Jesus pode
ser simplificado em dois princípios: amar a Deus com tudo que sou
e tenho e amar a outros e tratá-los como gostaria de ser tratado.
Não é difícil entender. É o cumprir que é o desafio!

ORAÇÃO:
Ó Vivo e Verdadeiro Deus. Por favor, aceite o trabalho das
minhas mãos, as palavras da minha boca, os momentos do meu descanso
e o amor do meu coração ao prestar louvores a Ti hoje. Peço que
estas coisas sejam agradáveis e refrescantes para o Senhor. No nome
do seu filho, meu Senhor Jesus, eu oro. Amém.

http://www.iluminalma.com.br

24 fevereiro 2010

Devocional para Quarta-feira, 24 de Fevereiro, 2010

VERSÍCULO:
Nós amamos porque ele nos amou primeiro.

-- 1 João 4:19

PENSAMENTO:
É muito simples. Deus é amor. Ele é a origem, o exemplo e o
arquiteto do amor. Eu amo porque ele me amou primeiro. Sei como
amar porque ele o demonstrou. Posso amar porque ele me fez na sua
imagem e para compartilhar seu caráter. Ele é a fonte, a motivação
e o pináculo do amor. Eu amo porque ele ama, primeiro, por último
e sempre.

ORAÇÃO:
Deus de conforto, obrigado por me confortar com seu amor. Assim
como uma criança aprende a fazer tantas coisas com seus pais, quero
aprender a amar como o Senhor: sacrificial, abnegada e
submissivamente para que outros possam saber que não têm que
merecer seu amor, somente recebê-lo. Em nome de Jesus eu oro.
Amém.

http://www.iluminalma.com.br/

23 fevereiro 2010

Devocional para Terça-feira, 23 de Fevereiro, 2010

VERSÍCULO:
Mas Deus, sendo rico em misericórdia, por causa do grande amor
com que nos amou, e estando nós mortos em nossos delitos, nos deu
vida juntamente com Cristo, —pela graça sois salvos,
-- Efésios 2:4-5

PENSAMENTO:
De todas as riquezas, não consigo pensar numa outra riqueza que
mais gostaria que o Santo Deus tivesse do que a misericórdia. Eu
conheço minhas falhas, erros, pecados e transgressões. Sem a
misericórdia dEle para me perdoar novamente, e sem a sua graça para
enviar Jesus para perdoar primeiro, estaria perdido e sem Deus.
Agora, por causa da sua rica misericória, minha vida está amarrada
ao futuro de Jesus ao invés do futuro que teria merecido.

ORAÇÃO:
Pai de toda graça e misericória, obrigado. Obrigado por ser
Deus como o Senhor é. Obrigado por oferecer graça quando não
mereço. Obrigado por dar misericórdia quando mais preciso.
Obrigado por dar vida quando pensava que minha vida estava
condenada e sem esperança. Que minha riqueza seja misericórdia e
graça muito mais do que dinheiro e ouro. Ajude-me a ser mais como
o Senhor. No nome de Jeus, meu irmão mais velho e meu Salvador, eu
oro. Amém.

http://www.iluminalma.com.br

CULPANDO OS OUTROS

HELCI R. PEREIRA(*)
helcip@uol.com.br

Várias são as tendências naturais que integram o comportamento humano. Como exemplo temos: Aquisição de propriedade, conservação da vida, superioridade, etc.
Tendência muito comum do ser humano sempre foi a evasão à responsabilidade, o desculpar-se, a transferência de culpas pessoais para outras pessoas. Isso nos faz lembrar duas referências que encontramos na História Sagrada a esse respeito.
A primeira é-nos contada no Livro de Gênesis, na parte que trata da desobediência do homem ao seu Criador. Quando chamada a sua atenção para sua grave falta, quando Deus lhe perguntou: "Comeste da árvore de que te ordenei que não comesses?" Ele respondeu: "A mulher que tu me deste por esposa, ela me deu da árvore e eu comi". Disse o Senhor à mulher: "Por que fizeste isto?" E ela respondeu: "A serpente me enganou, e eu comi".
Observe-se que o homem culpou a mulher, e até o próprio Deus, que lhe dera a esposa; e a mulher lançou a culpa na serpente
A outra referência vamos encontrar num episódio relatado por Moisés relativo ao povo de Israel. Moisés subira ao monte Sinai e lá se demorara muito tempo, orando ao Senhor. O povo ficara na planície. Vendo o povo que Moisés tardava em descer, acercou-se de Arão, assessor de Moisés, e lhe disse: "Levanta-te, faze-nos deuses (ídolos) que vão adiante de nós". Então, o povo juntou as argolas de ouro das orelhas de todos que as usavam e trouxe a Arão. Com esse material Arão produziu um Bezerro de Ouro fundido. E o povo adorou o bezerro de ouro.
Quando Moisés desceu do monte e se aproximou do arraial, viu o bezerro de ouro e as festas que as faziam. Revoltado, perguntou a Arão: Que é isso? E Arão lhe respondeu: "Não se acenda a ira do meu Senhor; tu sabes que este povo é propenso para o mal. Pois me disseram: Faze-nos deuses que vão adiante de nós; pois quanto a este Moisés, o homem que nos tirou da terra do Egito, não sabemos o que lhe terá acontecido. Então, eu lhes disse: Quem tem ouro, tire-o. Deram-mo; e eu o lancei no fogo, e saiu este bezerro".
Lendo, com calma o relato acima, verifica-se que Arão, ao final, eximiu-se totalmente da culpa e a jogou no povo, em Moisés e até no fogo.
A mentalidade de Adão, de Eva e de Arão acham-se muito vivas no mundo atual. Estamos sempre culpando os outros. Nunca a culpa é nossa. É sempre de alguém, de alguma coisa. Na questão dos altos preços, o comerciante joga a culpa nos atacadistas, o atacadista na fábrica, a fábrica no operário, etc. etc.,
Na escola, no que se refere à deficiência na aprendizagem, para o aluno a culpa é do professor, para o professor a culpa é do estudante.
No recesso do lar, quando há problemas, a mulher acha que a culpa é do marido, o marido acha que é da esposa ou dos filhos.
Com relação aos problemas nacionais, à crise que atravessamos, o governo culpa os governos anteriores ou o Congresso, por sua deficiência ou por seu desinteresse em votar de pronto as leis necessárias, os projetos governamentais. E assim por diante. A culpa é sempre do outro. Nunca se está disposto a confessar "mea culpa, mea culpa, mea maxima culpa". Por que?

(*) é Pastor Presbiteriano

22 fevereiro 2010

Devocional para Segunda-feira, 22 de Fevereiro, 2010

VERSÍCULO:
No amor não existe medo; antes, o perfeito amor lança fora o
medo. Ora, o medo produz tormento; logo, aquele que teme não é
aperfeiçoado no amor.

-- 1 João 4:18

PENSAMENTO:
O que há de temer desde que Deus enviou o Filho dele para nos
redimir? O que há de temer desde que não podemos ser separados do
amor que Deus tem por nós em Cristo Jesus? O que há de temer senão
nós mesmos, e Deus derramou seu Espírito nos nossos corações para
nos assegurar e nos fortalecer na nossa fraqueza! Ao amar Deus e
seus filhos, somos lembrados do amor dEle por nós, que é muito além
do nosso amor para com os outros. Invés de correr dele de medo,
nos prostramos perante ele em gratidão, sabendo que quem ouve as
nossas petições (orações) é o mesmo que nos ama e anseia acalmar
nossos temores.

ORAÇÃO:
Amoroso Pai, obrigado por eu poder te reverenciar sem temer sua
ira. Obrigado por eu poder respeitar sua palavra e ao mesmo tempo
não sentir terror perante minhas iniqüidades. Que seu amor em mim
produza uma semelhança à sua santidade, justiça, pureza e
misericória - mais do que todas as leis, ameaças e julgamentos em
conjunto. Eu oro no poderoso nome de Jesus, que me resgatou do
pecado e derramou seu amor em mim.

http://www.iluminalma.com.br/

Pense Nisto: SEM FÉ… todos são saduceus, fariseus, teólogos, filósofos, ou sacerdotes...

Quando a Bíblia diz que o “justo de Deus apenas viverá pela fé”, ela nos dá o único modo de andar com Deus, ou com alguém que seja Deus.
Sim! Se existe Deus, e há; então, por que meio posso eu andar com Ele, se tudo em mim não tem adequação para discerni-Lo?
Nada em mim comporta Deus!
Minha mente não agüenta Deus. Meu espírito enlouquece diante de Deus. Minha alma surta. Meu corpo desfalece...
Eu sou para Deus, mas Deus não é para mim...
Somente a fé “consegue” Deus...
Sim! Pois, na fé cabe o impensável e o impossível; e Deus é ambos: impensável e impossível.
E não somente isto...
A própria experiência do existir com a presunção do saber [Queda, Árvore do Conhecimento do Bem e do Mal] me põe em um estado no qual Deus, sem a fé, é a pior de todas as loucuras...
Surge o “Deus” da religião...
O “Deus” sem Deus!
Por isto, sem fé Deus faz mal.
Deus, sem fé, vira crença religiosa; ou seja: vira deus; ou “Deus”, mas não Deus.
Sem a fé..., Deus vira o diabo...
Aliás, sem a fé, o “Deus” que existe é o diabo.
Por isto, entre outras coisas, sem fé é impossível agradar a Deus!
Deus é; mas sem fé não há Deus para nenhum homem...
Então a fé é Deus?... Pois, se sem fé não há Deus para o homem, não seria justo crer que a fé seja Deus?
Não, é claro; mas, sem fé, não tenho como me relacionar com Deus!
A fé é meio, é mídia, é mão que pega o infinito apenas porque crê que não pode...
É da natureza da fé não aceitar limites como lógicas. Por isto somente a fé pode dialogar com Deus; pois, de que outra forma conversaria eu com Ele?
Sem fé não há fé... Obvio? Ah! Quem dera!
O que posso mais dizer?
Talvez mais uma coisa apenas:...
A verdadeira fé tem prazer em sua própria simplicidade e confiança.
O galardão da fé é Deus!
Quer mais?...
Nele, que me ensinou e ensina a simplesmente crer em tal simplicidade,

Caio

21 fevereiro 2010

Devocional para Domingo, 21 de Fevereiro, 2010

VERSÍCULO:
Pois estes mandamentos: “Não adulterarás”, “Não matarás”, “Não
furtarás”, “Não cobiçarás”a, e qualquer outro mandamento, todos se
resumem neste preceito: “Ame o seu próximo como a si mesmo”. O amor
não pratica o mal contra o próximo. Portanto, o amor é o
cumprimento da Lei.
-- Romanos 13:9-10

PENSAMENTO:
Não seria ótimo se não tivéssemos leis para manter as pessoas na
linha! Este é o ponto da mensagem do Paulo aqui. Tratar nossos
vizinhos como gostaríamos de ser tratados. Amá-los como
gostaríamos de ser amados. Se fizermos isso, então não faremos
nada que os machucaria, muito menos violar um mandamento da lei!

ORAÇÃO:
Deus que deu a Lei em tábuas de pedra para Moisés, por favor,
escreva seu caráter e vontade no meu coração para que possa ser uma
pedra viva, testificando a sua santidade e graça. Ajude-me a
pensar com mais cuidado sobre como meus vizinhos se sentem antes de
agir ou reagir a eles - não hoje somente, mas todos os dias! No
nome do seu Filho Jesus eu oro. Amém.

http://www.iluminalma.com.br/

Pense Nisto: SEU TRABALHO É DESCANSAR EM MIM

No capitulo 28 do livro do Profeta Isaías, está dito que é fácil que no povo se instale um espírito no qual a alma individual e coletiva venha a variar do pólo da embriaguez e do anestesiamento da consciência até o pólo do legalismo, das regras e mais regras, dos preceitos e mais preceitos; pois, para a alma sem rendição ao Espírito de Deus e ao governo do próprio espírito sob a obediência à Palavra, a simples e única ordem de Deus para descansar Nele e dar descanso ao próximo (como salvação!) é algo pior do que a esquizofrenia tomada de neurose — regras e mais regras; preceito e mais preceito; um pouco aqui, um pouco ali... — enquanto se vive em estado de dormência, de embriaguez.
Leia o texto e certifique-se que o espírito da mensagem é de fato conforme anuncio.
Entretanto, o que desejo deixar para você pensar e meditar é simples:
Por que será que nossa natureza prefere a sinuosidade em lugar do que é reto; prefere a complexidade em detrimento do que é simples; e prefere o peso e o jugo em vez de desejar de fato o que é leve e suave como jugo a ser levado na existência?
Daí o Levitico associar o dia do Descanso à aflição da alma. Sim! A alma prefere tudo a ter que descansar. Ela se aflige no dia do Descanso. Daí Descansar ser uma Ordem, um Mandamento.
A alma natural até gosta de distração e de lazer, mas odeia o Descanso!
Na distração e no lazer, ou mesmo na vagabundagem, a alma ainda sente que pagou por isso; e, no caso da vagabundagem, a pessoa sente que é melhor que as demais, mais esperta, e, por isso, pode se aproveitar sem pressa...
Mas se a proposta for Descanso, então, mesmo o mais vagabundo foge!
Descanso, no espírito da Palavra, não é irresponsabilidade e nem vagabundagem. Descanso é confiança. É entrega. É fé e certeza de que Deus cuida de nós. E isso vai de tudo a tudo; e cobre todas as dimensões do que para nós seja vida; e até daquelas coisas que são vida, mas que nós ainda ignoramos.
Por isso, Descansar é o trabalho mais difícil. Assim, por tal razão, a alma prefere viajar perdida entre a embriaguez e o legalismo; culpada e tonta; sem sentido e sem alegria — do que simplesmente confiar em Deus e entregar-se de maneira corajosa na fé, de tal modo que qualquer coisa que lhe sobrevenha não a tire da certeza do amor e do cuidado de Deus por ela, a alma.
Entretanto, isso demanda que a alma abra mão de si mesma (que morra para sua própria vaidade); e que não mais se julgue certa; e que confie muito mais na Palavra e no mandamento do amor de Deus do que em qualquer outra impressão de certeza nesta vida.
Descansar e dar descanso. Esta é a salvação!
Mas quem deseja entrar pela Porta do Descanso descansando e confiando inteiramente na Graça de Deus?
Assim, ensina Isaías, ou é confiança na Graça, manifesta como Descanso em Deus, e Descanso ao Próximo (não o oprimindo), ou a alternativa é a neurose e a crescente esquizofrenia dos que se embriagam para poder dizer: “Faça assim!” — pois eles mesmos não fazem e nem crêem, posto que não são.
O nosso trabalho é Descansar Nele.
Do contrário, o que sobra é a esquizofrenia de uma existência que acontece entre a embriaguez e a fuga da verdade e da realidade, de um lado; e, de outro lado, pela via do moralismo, do legalismo, e das observâncias a exterioridades, a mais aguda neurose.

Caio

20 fevereiro 2010

Devocional para Sábado, 20 de Fevereiro, 2010

VERSÍCULO:
O que encobre a transgressão adquire amor, mas o que traz o
assunto à baila separa os maiores amigos.

-- Provérbios 17:9

PENSAMENTO:
"É só uma fofoquinha sem malícia". O Mestre Sábio nos lembra
que a fofoca não é nem pequena nem sem malícia. Suas conseqûëncias
são enormes e os danos terríveis. É muito melhor ser um
pacificador e um construtor de pontes entre as pessoas.

ORAÇÃO:
Pai da Glória, confesso que muitas vezes sou mais um admirador
de paz do que um pacificador. Dê-me o caráter para não repetir
fofóca e ter a sabedoria e força para ser um pacificador. Através
do Príncipe da Paz eu oro. Amém.

http://www.iluminalma.com.br/

Pense Nisto: LIMPA O MEU OLHAR!

Um olhar “condicionado” é um olhar determinado pela escravidão a algo que não deixa ver!
O problema é que o que condiciona o olhar é o próprio olhar...
O olhar, portanto, é o mestre ou o algoz do próprio olhar...
Isto porque há um olhar que antecede ao olhar que vê...
Falo do olhar que não usa os olhos, mas interpreta a vida...
Sim, falo do olhar que todo ser humano tem, mesmo quando fica cego...
Olhar é interpretar...
Entretanto, há um olhar que precede o interpretar...
Que olhar é esse?...
Ora, é o olhar de meu ser acerca de mim mesmo!...
Eu não vejo mundo algum sem que o veja a partir de meu ser!...
Por isto [...] Jesus disse que os olhos são a lâmpada do corpo/ser...
O olhar do meu ser não tem que iluminar o mundo com luzes de falsificação...
O olhar do meu ser somente será iluminado se antes me iluminar!...
O meu olhar não tem que iluminar o mundo, mas tem que me iluminar em qualquer que seja o mundo...
A escuridão não está no mundo...
A escuridão está em mim...
Assim, Jesus diz que será a luz do mundo apenas aquele que tem um olhar que ilumina antes o seu próprio ser...
“Vós sois a luz do mundo” [...]
“Os olhos são a lâmpada do corpo... Se os teus olhos forem bons, todo teu ser estará iluminado, mas se forem maus, todo o teu ser estará em trevas”...
Mas há quem se candidate a ser luz do mundo vivendo em profunda escuridão...
É mais fácil brincar de luz do mundo do que limpar o olhar todos os dias!...
Desse modo, por tal principio, o que Jesus me ensina é que o mundo pode ficar como ficar, mas, ainda assim, meu ser poderá ser pura luz apesar de tudo...
Não estou esperando a luz acender no mundo para ajudar o meu olhar...
Não! O mundo não se iluminará a fim de me ajudar!...
Todavia, ainda que eu ande no vale da sombra da morte não me faltará Luz no Olhar, pois, Tu estás comigo...
Olhar/consciência/luz!...
O Evangelho limpa o olhar...
O Evangelho produz consciência...
O Evangelho é Luz...
Jesus é o Evangelho...
Jesus vai se tornando a consciência do discípulo...
Jesus é a Luz do meu olhar...
Neste novo ano tudo o que peço ao Pai é um olhar/crer/interpretar/sentir muito mais limpo do jamais antes em minha vida...
É o que desejo a você também!...

Nele, que quer ser a minha mente, a minha alma e a minha expressão de ser em mim e na vida [...], a fim de que, sendo como Ele [...], eu seja como eu mesmo deveria ser,

Caio

19 fevereiro 2010

Hein?

Devocional para Sexta-feira, 19 de Fevereiro, 2010

VERSÍCULO:
Amados, se Deus de tal maneira nos amou, devemos nós também amar
uns aos outros. Ninguém jamais viu a Deus; se amarmos uns aos
outros, Deus permanece em nós, e o seu amor é, em nós,
aperfeiçoado.

-- 1 João 4:11-12

PENSAMENTO:
Você pode imaginar que honra é ter o Criador do universo, o
Senhor Deus Todo Poderoso, habitando dentro de você! Mas, quando
nós amamos uns aos outros, é exatamente isso que acontece. Quando
nossos corações estão cheios de amor, então há espaço para Deus.
Quando não estão cheios de amor, deixamos pouco espaço para Deus
residir e produzir Seu caráter em nós. Deixe Deus completar seu
amor em você. Faça um compromisso para fazer coisas amorosas para
outros hoje!

ORAÇÃO:
Aba Pai, é tão confortante saber que o Senhor não está longe -
que eu habito no Senhor e o Senhor habita em mim. Ajude-me a
enxergar outros com seus olhos e responder às suas necessidades com
seu coração para que seu amor seja completo em mim. No nome de
Jesus, o Servo e Salvador de todos eu oro. Amém.

http://www.iluminalma.com.br/

Pense Nisto: GAFANHOTOS COM MEL: DIETA DE QUEM NÃO QUER FICAR APENAS AZEDO

João Batista era uma cara esquisito em todos os sentidos. Não coube nem mesmo na sociedade de seus dias. Aliás, um homem como ele só não seria esquisito na Idade da Pedra, posto que seu ‘sósia profético”, Elias, o qual se comportava de modo semelhante a João Batista, também não coube em sua própria sociedade, vários séculos antes de João.
Ontem, dia 3 de outubro, eu via na televisão um documentário sobre gafanhotos, praga que até hoje está para além da possibilidade de controle humano quando acontece deles se tornarem um enxame voador.
Sim, eles podem até mesmo chegar com como nuvens de 3 mil quilômetros de comprimento. Podem, em certos casos, ser mais numerosos do que todas as estrelas de nossa via Láctea, isso quando atacam em super-enxames. Podem também ser tão numerosos que até mesmo o sol fica encoberto quando eles vêm em tais exércitos.
No Velho Testamento os gafanhotos eram sempre vistos como sinônimo de desgraça e praga. Eles eram vistos como os vingadores de Deus contra as rebeldias dos homens!
Até hoje os pregadores do quase-evangelho ainda usam os “gafanhotos” como ameaça para quem não der o dízimo a eles.
Ora, vendo o documentário, logo minha mente se voltou para João Batista, que comia gafanhotos com mel silvestre. Sim, o cara comia aquilo que era símbolo de desgraça e maldição. Só que ele comia com mel. Era uma dieta de desgraça e doçura.
Que imagem linda! O homem que era o amigo do Noivo, o precursor de Jesus, comia a desgraça com doçura.
João comia aquilo que todos chamavam de maldição. Ele de fato comia. Maldição digerida e melhorada pelo mel.
Gafanhotos fazem parte da dieta de quase todos os que vivemos neste mundo. A questão é que a maioria come gafanhoto com gafanhoto. João, porém, os comia com mel.
Quando a vida lhe servir “gafanhotos”, tempere-os com o mel dos campos!

Pense nisto!

Caio

18 fevereiro 2010

Devocional para Quinta-feira, 18 de Fevereiro, 2010

VERSÍCULO:
Porque eu estou bem certo de que nem a morte, nem a vida, nem os
anjos, nem os principados, nem as coisas do presente, nem do
porvir, nem os poderes, nem a altura, nem a profundidade, nem
qualquer outra criatura poderá separar-nos do amor de Deus, que
está em Cristo Jesus, nosso Senhor.

-- Romanos 8:38-39

PENSAMENTO:
A separação é algo que tememos, seja de um filho, um dos pais,
um irmão, um cônjuge, um amigo ou de Deus. Jesus agüentou a
separação de Deus se tornando um ser humano e por ter ido à cruz.
Por causa do sacrifício de Jesus, poderemos saber que não temos que
nunca nos separar do amor de Deus. Ele suportou a separação para
que nunca teríamos que temê-lo!

ORAÇÃO:
Grande Pai de todos os povos, obrigado por me amar. Obrigado
por me dar a promessa que nada pode me separar do seu amor.
Faça-me mais ciente da sua presença constante na minha vida. Oro
isso no nome de Jesus. Amém.

http://www.iluminalma.com.br

Pense Nisto: Pão & Pão...

O homem não vive só de pão, embora sem pão seu corpo morra e sua alma perca o prazer.
O homem vive também de pão...
Pão, todavia, sem alma que o aprecie, é apenas remédio para o corpo...

O livro do Eclesiastes pergunta:
“Separado de Deus [...] quem pode comer, beber ou se alegrar?”
Ora, com isto se está afirmando que Deus é que dá prazer e sentido ao ato de sobreviver ou de viver; pois, sem Deus na vida, tudo é apenas “remédio” para a sobrevivência...
O homem de fato come sentido, bebe significados, beija representações o tempo todo...
Pão faz bem, mas quem não gosta de uma gordurinha na carne assada, mesmo que o colesterol suba?...
Quando a gente vê uma pessoa “lúcida” fazendo algo que lhe seja prejudicial à saúde, imediatamente a gente pergunta/afirmando: “Mas como? Essa pessoa sabe que isso faz mal!...”
A pessoa que “sabe” [...] e decide que mesmo sabendo da existência de algum elemento que lhe faça mal no que coma [...], comerá assim mesmo [...], assim faz em razão de um prazer do qual sua alma também se alimenta [...]; o que leva a pessoa a ingerir ou provar algo [...] mesmo que isto lhe tire estatisticamente alguns anos de vida; posto que assim proceda em razão de uma necessidade psicológica de alimentar-se não apenas de comida, mas de prazer e de compensações...
Quando Jesus afirmou que “nem só de pão vive o homem, mas [também,] de toda Palavra que sai da boca de Deus”, Ele nos dizia a mesma coisa, porém com uma diferença: Ele reconhecia a necessidade humana de transcender ao elemento imediato de necessidade/gratificação [o pão], mas afirmava que somente a transcendência que se harmonizasse com a Palavra que sai da boca de Deus é que realiza a necessidade de gratificação do homem sem lhe fazer mal.
Ora, eu vejo o quanto como da Palavra que sai da boca de Deus, não apenas por aquilo que nela eu “aprovo” como verdade/prática da minha vida; mas, além disso, vejo se creio mesmo na Palavra ou não também naquilo que eu sei que não sai da boca de Deus, embora para mim seja algo que saindo ou não da boca de Deus eu não consiga deixar fora da minha vida e consumo.
Os prazeres que fazem bem se diferenciam dos que fazem mal apenas por isto: os que fazem bem saem da boca de Deus e os que fazem mal apenas entram pela boca do homem por terem se instalado antes em seu próprio coração como necessidade/ilusiva...

Por isto se diz:

“Alegra-te na tua juventude [...] e anda pelos caminhos que satisfazem ao teu coração e agradam aos teus olhos... Sabe, porém, que de tudo prestarás conta!”

Assim, há o estimulo para que eu não viva só de pão, ao mesmo tempo em que se diz que aquilo que não seja pão deve alimentar de modo sadio as demais dimensões do ser como se pão fosse...

Sim! Para Jesus tudo é muito simples!

Pense nisso!...

Nele,

Caio

17 fevereiro 2010

Você foi predestinado? Charles Haddon Spurgeon (Partes 1 e 2)


Devocional para Quarta-feira, 17 de Fevereiro, 2010

VERSÍCULO:
Quem nos separará do amor de Cristo? Será tribulação, ou
angústia, ou perseguição, ou fome, ou nudez, ou perigo, ou espada?
Como está escrito: Por amor de ti, somos entregues à morte o dia
todo, fomos considerados como ovelhas para o matadouro. Em todas
estas coisas, porém, somos mais que vencedores, por meio daquele
que nos amou.

-- Romanos 8:35-37

PENSAMENTO:
Vencedores! Vencemos! Quando abrir o último livro da Bíblia,
Apocalipse, esta é a mensagem - cristãos vencem porque Jesus é o
único vencedor verdadeiro. Não importa como a batalha está sendo
para você agora, lembrem que, no fim, vencemos!

ORAÇÃO:
El Shadai, Deus Todo Poderoso, obrigado por assegurar a última
vitória para mim por ressuscitar Jesus dos mortos. Sei que Ele
está vindo com vitória no dia que o Senhor determinou, mas oro que
possa viver vitoriosamente para o Senhor até aquele dia. Através
de Jesus meu Rei vencedor eu oro. Amém.

http://www.iluminalma.com.br/

Pense Nisto: NADA É MAIS GRAVE

Dn 9: 1-19

Nunca debaixo do todo o céu aconteceu o que se deu em Jerusalém—Dn 9:12c

Em que sentido?
É a pergunta natural!
Isto porque do ponto de vista histórico, muitas outras cidades cometeram crimes humanos maiores—sem falar nas práticas espirituais.
Israel não é modelo de barbarismo bárbaro.
A maior parte das civilizações da terra têm histórias muito mais escabrosas para nos contar que a Bíblia quando se trata de barbaridades historicamente mensuráveis.
Como então nunca se fez debaixo do céu o que se fez em Jerusalém?
1. Nada é melhor e pior que ser chamado povo de Deus.
A consciência de Deus gera sempre os melhores e os piores seres humanos.
Saber de Deus com gratidão e fé, produz beleza humana.
Saber de Deus religiosamente e vincular a realidade de Deus à virtude humana, faz nascer os mais feios, dissimulados e arrogantes seres humanos.
2. A sutileza das perversidades cometidas em nome de Deus são crimes mais nojentos que aqueles que assumidamente se pratica em nome do homem.
Daí o que se fez em Jerusalém não ter paralelo entre as demais cidades da terra.
Em Jerusalém Deus era produto de consumo—fosse moral (para validação do ser), fosse militar (O Senhor nosso Deus é o Senhor dos Exércitos), fosse pela arrogância da eleição (somos o povo de Deus, daí sermos melhores que os demais habitantes da terra), ou fosse como “o Deus Maior”.
Em nome desse vinculo os assassinatos e os sacrilégios passaram a acontecer como endurecimento do coração contra o próximo, em razão da arrogância do conhecimento de um Deus cuja realidade já havia sido abundantemente percebida, mas à qual quase todos se haviam acomodado.
Então, o homicídio mata como indiferença; as cadeias prendem como correntes para a alma pura; e a idolatria antes de ser a praticada como culto a pequenas divindades, era a idolatria do “Nome de Deus” e a masturbação de autocontemplação que eles praticavam, como culto de si mesmos e de sua história.

3. A familiaridade com as coisas atribuídas a Deus como simbolizações, podem fazer com que a pratica do culto e da confissão do nome de Deus, tornem-se algo mais blasfemo que o culto pagão—ainda que seguido de barbarismo concreto.
O povo de Deus precisa saber que quanto mais alguém diz representar a Deus, mais difícil é sua situação.
Até porque, em geral, essa familiaridade com Deus faz nascer em nós o mesmo tipo de costume que a familiaridade com o ídolo naturalmente provoca.
O problema é que os ídolos são ídolos, mas Deus é Deus. Ele não dá a Sua Gloria a outrem.
Assim, saber de Deus e não mergulhar no Seu conhecimento em fé grata, sempre faz com que o pior esteja acontecendo onde a fé se transforma em emblema e o nome de Deus em escudo moral ou ideológico de afirmação arrogante do “crente” contra o próximo, ao mesmo tempo em que avulta a transgressão—afinal, são os que dizem que sabem, justamente aqueles que proporcionalmente menos fazem em conformidade com o que confessam ser bom.
Daniel sabia disso.
Daí sua consciência de transgressão dizer que Jerusalém era a mais transgressora de todas as cidades.
Sob o telhado da religião há sombra.
Sob o telhado de Deus há luz...pois o céu está aberto.
Quem carrega o nome de Deus faça-o como fé na Graça. Nunca como representante de Deus entre os homens.
É arriscado!

Caio Fábio

16 fevereiro 2010

Devocional para Terça-feira, 16 de Fevereiro, 2010

VERSÍCULO:
Porque a mensagem que ouvistes desde o princípio é esta: que nos
amemos uns aos outros;

-- 1 João 3:11

PENSAMENTO:
A mensagem original - amem uns aos outros. A mensagem duradoura
- amem uns aos outros. A mensagem mais convincente - amem uns aos
outros. A mensagem mais difícil - amem uns aos outros. Me lembro
do ditado: Viver no céu com santos que amamos, será glória. Mas
viver aqui em baixo com santos que conhecemos, é outra coisa. Mas,
é a história que fomos chamados a escrever com nossas vidas! É a
mensagem duradoura de Deus que Ele quer que seja demonstrada
através dos seus filhos. Vamos viver a vida que Deus quer!

ORAÇÃO:
Amoroso Pai, prometo ao Senhor que vou mostrar meu amor por seus
filhos intencionalmente através do que eu faço e digo. Faço isso
confiando na sua graça para me capacitar a fazer mais do que
poderia fazer sozinho. Através de Jesus meu Salvador eu oro.
amém.

http://www.iluminalma.com.br/

Pense Nisto: NUNCA DIGA QUE NÃO SABE

O pior é que todos nós já sabemos o que é certo!
Se perguntássemos em uma pesquisa que propusesse o seguinte:
Diga honestamente, com seu sentido de justiça e verdade—levando também em consideração o amor—o que é verdade e o que é mentira para o coração nas seguintes questões da vida.
E, então, fizéssemos uma lista de coisas—virtudes e desvirtudes!
Todos iriam indicar os sentimentos certos e sábios e elegeriam as coisas excelentes.
Mas não é assim, mesmo que saibamos como deve ser.
E por que?
A resposta é horrorosa para uns e real para outros:
É assim por que somos pecadores.
Nosso problema não é saber o bem, é o efetuá-lo.
Você só é santo em sua própria lista de virtudes.
Você sabe que é pecador e que carece da gloria graciosa de Deus em Jesus Cristo.
E quanto mais eu sei que sei e tento viver como se não soubesse disso, pior eu fico.
O que me salva é caminhar com o rosto sem véu, olhando para a Gloria do Senhor como por espelho, enquanto vou sendo transformado de gloria em gloria pelo ganho da Graça de Deus em mim.
Você já sabe.
Agora avance.
Somos mais que vencedores por meio Daquele que nos amou.

Caio Fábio

15 fevereiro 2010

Devocional para Segunda-feira, 15 de Fevereiro, 2010

VERSÍCULO:
Nisto consiste o amor: não em que nós tenhamos amado a Deus, mas
em que ele nos amou e enviou o seu Filho como propiciação pelos
nossos pecados.

-- 1 João 4:10

PENSAMENTO:
Ele nos amou primeiro! Ele ofereceu seu Filho para nos salvar
não importa a nossa decisão de crer ou ignorar sua graça.
Recebemos a habilidade de aceitar ou rejeitar a morte do seu Filho
como o sacrifício em prol dos nossos pecados. A única condição,
como 1 João 2:1-2 enfatiza, é que reconhecemos que Ele morreu por
todo o resto do mundo também!

ORAÇÃO:
Precioso Rei, Todo Poderoso Deus, não entendo porque o Senhor me
amou e enviou Jesus para morrer para mim. Obrigado por seu amor.
Obrigado por seu sacrifício pelos meus pecados. Obrigado, Jesus,
por ter vindo para me salvar. Eu oro no seu nome e pela sua
intercessão. Amém.

http://www.iluminalma.com.br/

Pense Nisto: COMO ME DEFINO?

Já deu para perceber que eu sou apenas quem eu sou.
Por exemplo, neste site as coisas ficam como ficam, e nem sempre as releio, porque quero que elas sejam como saíram de mim—mesmo quando vão sem acento e sem assento.
A letra mata até no site.
Não que eu goste de cometer erros ortográficos ou que ame ver virgulas fora do lugar ou mesmo construções de frases inteiras que eu escreveria, se desejasse, infinitamente melhor.
O estilo?
Qual?
Sai como sai—sai como pensamento.
São conversas longas que tive comigo e que tentei resumir como uma página de diário.
Tem história e sentimento—é só o que tem.
Para mim o resto é o resto, não o que resta!
Agora mesmo, eu estava no quarto pensando que nos últimos quatro dias, pelo menos cinco pessoas me perguntaram como eu me defino.
Como eu me defino?
Como assim?
De fato, o que desejavam saber é como eu me categorizo no mundo dos seres que os outros pensam que são alguma coisa. Ou seja: se sou pastor, evangelista, pensador, mestre, pregador, comunicador, escritor e ...o quê?
Minha resposta foi uma só: sou apenas um homem que sendo como é, veio a conhecer Jesus e amar Sua Palavra. Sou um amante. Um amante de Deus. Um amante de Sua Palavra. Um amante de Jesus. Um amante dos homens. Um amante da Graça, que antes de tudo, me fez Sua própria amante—foi quem me seduziu!
Eu sou um amante da Palavra de Deus.
É só o que sou!
Passo o dia absorto por isto. Como, sinto, cheiro, sofro, me alegro, divago, brinco, discirno, vejo filme, nado, brigo, explodo de afeto, cometo raiva, me arrependo, recomeço, entendo, descubro que ainda falta tudo, volto para o fim da fila, me impaciento, me contento, avanço, retrocedo, mergulho, salto, ando na cidade e entro na floresta, com a Palavra rodando como um programa que não cessa. Uma espécie de softer-essencial.
Então, não tenho como me autodefinir senão como amante da Palavra.
Quando eu prego sinto que Deus tem prazer.
Meu coração se enche do prazer de Deus.
A leitura da Bíblia não acontece mais de fora para dentro do texto, mas de dentro da Palavra para o texto e, depois, para o contexto.
Sinto intimidade.
Amantes sentem intimidade.
Quando escrevo, tento falar de modo natural para mim e acessível para os outros, somente aquilo que me habita o ser.
Evangelizar, para mim é anunciar esse bem que vive em mim. As demais coisas seguem essa importância.
O mesmo digo de tudo o mais.
Tem que ser extensão de você...se você é um amante da Palavra.

Cada um me chame como desejar. Meu nome, todavia, é Caio.

14 fevereiro 2010

Devocional para Domingo, 14 de Fevereiro, 2010

VERSÍCULO:
Novo mandamento vos dou: que vos ameis uns aos outros; assim
como eu vos amei, que também vos ameis uns aos outros. Nisto
conhecerão todos que sois meus discípulos: se tiverdes amor uns aos
outros.

-- João 13:34-35

PENSAMENTO:
Como você reconhece os seguidores de Jesus? Como você encontra
cristãos? Jesus disse que eles se amam assim como ele amou seus
discípulos. No contexto imediato, isto significa que ele está
disposto a dar sacrificial e extravagantemente por eles, morrendo
na cruz, e que ele está disposto a amar abnegadamente e de maneira
prática, lavando os pés deles. Seu ministério revela que Ele fará
quase qualquer coisa entre extravagante e prático. Imagine como
seria se todos nós lêssemos os Evangelhos e nos comprometêssemos a
amar uns aos outros da mesma forma que Jesus mostrou seu amor aos
seus discípulos!

ORAÇÃO:
Pai da Compaixão e Deus de toda graça, te agradeço por me
ensinar a amar através do exemplo de Jesus. Que minhas palavras e
ações reflitam seu amor para com seu povo hoje, amanhã e até o
Senhor nos levar para casa. No nome de Cristo, meu Grande Exemplo,
eu oro. Amém.

http://www.iluminalma.com.br/

Pense Nisto: O QUE CONTENTA MINHA MENTE, MENTE?

Um Bom Dia, Sempre!
É madrugada.
Não conseguia dormir.
Meu coração começou a considerar o amor de Deus por mim.
Fiquei a ponto de explodir de alegria.
Não me contive e vim dizer isso a você: confie no amor de Deus.
Ele cuida de nós mesmo.
E se os olhos que Ele nos deu não se fecharem nem para dentro, nem para fora, nem para o alto e nem para o profundo—você encontrará ganhos em todas as coisas!
Quando o capital pelo qual você avalia a sua vida não tem mais nada a ver com nada fora de você—como se necessitando de validação externa—, ou dentro de você—como se você fosse o próprio autenticador do que é autentico em sua vida—, então lhe sobra uma única saída: reconhecer que o único autenticador é Deus e a única chance de experimentar isto é mediante uma existência que não teme se reconhecer para si mesma diante de Deus.
Isto é não fazer a Graça vã!
Nesse dia—ou nesse processo—tudo muda de figura.
Você não tem mais os aferidores de valores na Bolsa de Valores Morais (BVM), ou na Bolsa de Imagem Como Mercadoria (BICM), ou ainda no Banco Interpsiquico de Desenvolvimento Humano (BIDH).
Você saiu do mercado.
O selo do anticristo não está estampado em você.
As seduções da Grande Babilônia Sistêmica tornam-se obvias e insípidas—vindo a tornarem-se repugnantes.
Então, no caso de você ter chagado a esse mais abençoado desgosto, renascerá em você—se você é gente da e de fé—uma nova alegria.
É como se você agora tivesse descoberto tesouros em cada buraco de dor, ou de perplexidade ou de decepções, ou em veredas de novos encontros ou de novos amigos.
E, sobretudo, se você tiver a benção de identificar a construção da Catedral Espiritual que Ele está fazendo de e em você para a habitação de Deus no Espírito, sendo construída com a demolição de seu próprio ser percebido—então você explode de gratidão. Ele é bom!
Para quem está de longe é bem mais difícil de perceber as coisas, especialmente porque o que alguns consideram como perda, outros reputam como refugo para florescer em Cristo um ser muito mais plenificado.
Ninguém quer essa experiência, porém, de um modo ou de outro, todos nós temos que passar por ela—digo: todos os que estão caminhando no Caminho.
Ver tudo assim faz nada mais ser uma distração, mas tão somente como uma distração.
Triste?
Desprazesoro?
Estóico?
Alienado?
Avestruzesco?
Não!
Se for em fé na Soberania e no Amor de Deus que está em Cristo Jesus, o resultado será outro: faz irromper no coração a gratidão por todas as pedagogias—as doídas e as doces, sem falar nas médias.
O importante é a síntese!
Se você sai do processo melhor, mais humano, mais franco, mais humilde, mais amigo e misericordioso e, ainda mais você!—mais livre e mais perceptível e perceptivo como ser—o lucro é todo seu.
Especialmente se a alma valer mais que mundo todo.
Neste mundo nem todas as coisas me realizam em contentamento. Mas as que realizam quase me enfartam de gratidão.
Entre elas a de poder ser eu mesmo para quem quiser. Como por exemplo, agora, às 4 horas da manhã do dia oito de junho estar livremente dizendo isto para quem possa se interessar pelo testemunho de minha fé.
Enfim, estou sendo mais que vencedor em todas as coisas, pois, todas as coisas cooperam para o meu bem—eu amo a Deus. Ele é minha alegria. Ele sabe que é.
Estou contente.

Caio Fábio

13 fevereiro 2010

Pense Nisto: LIMPA O MEU OLHAR!

Um olhar “condicionado” é um olhar determinado pela escravidão a algo que não deixa ver!
O problema é que o que condiciona o olhar é o próprio olhar...
O olhar, portanto, é o mestre ou o algoz do próprio olhar...
Isto porque há um olhar que antecede ao olhar que vê...
Falo do olhar que não usa os olhos, mas interpreta a vida...
Sim, falo do olhar que todo ser humano tem, mesmo quando fica cego...
Olhar é interpretar...
Entretanto, há um olhar que precede o interpretar...
Que olhar é esse?...
Ora, é o olhar de meu ser acerca de mim mesmo!...
Eu não vejo mundo algum sem que o veja a partir de meu ser!...
Por isto [...] Jesus disse que os olhos são a lâmpada do corpo/ser...
O olhar do meu ser não tem que iluminar o mundo com luzes de falsificação...
O olhar do meu ser somente será iluminado se antes me iluminar!...
O meu olhar não tem que iluminar o mundo, mas tem que me iluminar em qualquer que seja o mundo...
A escuridão não está no mundo...
A escuridão está em mim...
Assim, Jesus diz que será a luz do mundo apenas aquele que tem um olhar que ilumina antes o seu próprio ser...
“Vós sois a luz do mundo” [...]
“Os olhos são a lâmpada do corpo... Se os teus olhos forem bons, todo teu ser estará iluminado, mas se forem maus, todo o teu ser estará em trevas”...
Mas há quem se candidate a ser luz do mundo vivendo em profunda escuridão...
É mais fácil brincar de luz do mundo do que limpar o olhar todos os dias!...
Desse modo, por tal principio, o que Jesus me ensina é que o mundo pode ficar como ficar, mas, ainda assim, meu ser poderá ser pura luz apesar de tudo...
Não estou esperando a luz acender no mundo para ajudar o meu olhar...
Não! O mundo não se iluminará a fim de me ajudar!...
Todavia, ainda que eu ande no vale da sombra da morte não me faltará Luz no Olhar, pois, Tu estás comigo...
Olhar/consciência/luz!...
O Evangelho limpa o olhar...
O Evangelho produz consciência...
O Evangelho é Luz...
Jesus é o Evangelho...
Jesus vai se tornando a consciência do discípulo...
Jesus é a Luz do meu olhar...
Neste novo ano tudo o que peço ao Pai é um olhar/crer/interpretar/sentir muito mais limpo do jamais antes em minha vida...
É o que desejo a você também!...

Nele, que quer ser a minha mente, a minha alma e a minha expressão de ser em mim e na vida [...], a fim de que, sendo como Ele [...], eu seja como eu mesmo deveria ser,

Caio

Devocional para Sábado, 13 de Fevereiro, 2010

VERSÍCULO:
Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o seu Filho
unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a
vida eterna.

-- João 3:16

PENSAMENTO:
Você sabia que a Bíblia não diz apenas, "Deus te ama". Não se
confunda. As Escrituras nos dizem muitas vezes que Deus nos ama.
Porém, não perca uma verdade importante aqui. Cada vez que as
Escrituras dizem que Deus nos ama, também demonstra aquele amor. O
amor de Deus é mais do que emoção e intenção. O amor de Deus é
demonstrado. Deus nos amou tanto que ele não disse apenas, "Eu te
amo". Deus mostrou seu amor por enviar e sacrificar seu Filho para
nos dar Seu amor incomparável! Não precisamos nunca duvidar que
Deus diz o que quer dizer. Ele cumpre Suas promessas com ações.

ORAÇÃO:
Amoroso e Todo Poderoso Deus, obrigado por me amar. Obrigado
por dizê-lo e mostrá-lo. Saiba, querido Pai, que eu também te amo!
Aceite minhas palavras e ações hoje como testemunho do meu amor.
Através de Jesus eu oro. Amém.


http://www.iluminalma.com.br/

Pense Nisto: QUANDO A ALMA SE RECUSA...

Os salmos têm a expressão “minha alma recusa consolar-se”.
Quando eu era mais jovem achava que isso era uma certa birra da alma e que, de fato, a expressão se vinculava apenas aos momentos em que algo ruim acontece e, por conta disso, a alma cumpria seu luto enquanto a mente tentava impedi-la de sofrer tudo.
Hoje sei que não é assim.
Existe mesmo um estado em que a alma não aceita nenhum consolo.
Nem o consolo da razão, nem o das percepções dos consoladores e nem mesmo a lógica favorável dos fatos que se somam em seu favor.
A alma recusa consolar-se...
A alma tem vontade própria...é voluntariosa.
O mecanismo interior pode variar muito a fim de que esse estado seja mantido.
Pode ir da autopiedade à consciência de perdas que fogem aos sentidos da razão ou da lógica da consolação.
Pode ir da auto-imposta ignorância à vinculação da alma a alguma forma de culpa imperdoável para o individuo que se assume mau-humor por não gostar dos resultados da existência...ainda que sejam melhores—simplesmente porque a alma tem significações que até o coração desconhece.
É quando se deixar consolar parece significar uma traição do ser a um bem que só ele conhece, ao mesmo tempo em que também não tem nem conhecimento lógico de sua existência ou coragem de confessar, no caso de ficar sabendo a causa.
Assim, não se sabe o que é porque se ignora, mas ignora-se porque não se quer saber o que é, visto que não se teria naquele momento coragem de admitir.
Assim, a alma se encurrala entre a certeza latente e ignorância patente e não tem coragem de buscar conseguir nem chamar pelo nome aquilo que a está matando de carência.
Desse modo, o que é latente continua latente e o que é patente—a falta de coragem—continua presente, encurralando o coração no direito de sentir aquela dor, ou de senti-la como direito.
Essa impossibilidade de consolação vicia a alma.
Se a pessoa não perceber isso em tempo, muitas vezes instala-se um mau humor crônico no ser.
Então o indivíduo instaura tal estado definitivamente.
Agora o mal sem causa continua sem causa, mas achou uma não causalidade que tem nome—disfarça melhor a sombra—e o apelido dessa angustia passa a ser, nesse caso, mau-humor.
Mau-humor é mau-humor.
Diz-se: Ele é mau-humorado!—e ponto.
Parece que está tudo explicado.
A genética e as constituições do DNA da psique parecem assimilar como bode expiatório toda a responsabilidade—e uma vez que se dá nome parece que o bicho se sociabiliza.
Na sociedade há lugar para o mau-humorado—pode até mesmo virar graça e humor para os outros—, mas não há lugar para o que “recusa consolar-se”.
Muita gente boa de Deus já conheceu esse estado de auto-recusa da alma ante a possibilidade de consolo.
Na minha maneira de ver há um tempo em que toda tentativa de consolação faz mal.
Há uma estação de recusa de consolação que é sadia—melhor é chamar de luto.
Mas quando o estado se cronifica, então começa a se instalar no ser não um mau-humor (mau-humor ainda é um bicho domável e aceita negociar), mas um a-humor: uma atitude de quem perdeu a luz da vida e que mesmo na escuridão não deseja ver, pois, nada muda: o escuro e o claro viram a mesma coisa: a pessoa perdeu o interesse em saber, ver, conhecer, experimentar, se surpreender...
Até para se deixar surpreender você precisa ter uma certa predisposição.
Aliás, uma das boas maneiras de avaliar o estado de um ser que “recusa consolar-se” é verificar se ele ainda responde a surpresas súbitas. Se “responder”, pode sair do estado a qualquer momento—especialmente se não encherem a paciência da pessoa com a tirania da consolação.
Mas se a pessoa de fato se tornou não surpreendível, então a coisa está ficando feia.
Nesse caso, é melhor tratar a situação não como uma estação da alma, mas como uma determinação de fixar residência naquele buraco.
E aí a pessoa precisa ser acordada a fim de começar a ver que seu direito ao estado daquele sentir acabou.
Virou doença.
Não tem mais desculpas.
Não há mais cumplicidades.
A insistência na manutenção do estado inviabiliza a existência e impede o convívio humano e social.
Houve, de fato, uma perda de significados existenciais mais profundos que os observadores podem entender ou admitir. Mas é o dolorido quem tem que ficar sabendo que é isto, mesmo que ele ainda não saiba o que é isto ou o que isto é.
Mas toda libertação começa e termina na Verdade.
Quando nossas significações existenciais se perdem, a única maneira de retomá-las é na presença Daquele que é o único que pode re-significar as coisas em nós.
“Eu, porém, olharei para o Senhor”—como disse Miquéias em meio à total desesperança.

Caio Fábio

12 fevereiro 2010

Devocional para Sexta-feira, 12 de Fevereiro, 2010

VERSÍCULO:
não se alegra com a injustiça, mas regozija-se com a verdade;
tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.

-- 1 Coríntios 13:6-7

PENSAMENTO:
Amar sempre - uma grande ordem e difícil de seguir. Somente
Deus ama sempre. Mas, cristãos têm a motivação de ter um amor
eterno através do Espírito Santo que foi dado a nós. (Rm. 5:5) Não
de se admirar que este é amor é sempre -é o amor de Deus,
demonstrado pelo sacrifício de Jesus, e entregre pelo Espírito
Santo!

ORAÇÃO:
Querido e Glorioso Deus nas Alturas, me humilho diante de ti,
reconhecendo seu poder sem limites para amar, reconhecendo a
necessidade de ser amado nas vidas daqueles ao meu redor e minha
habilidade limitada de amar. Por favor, derrame seu Espírito Santo
no meu coração e encha-me com o poder de amar como o Senhor ama,
sempre. No doce nome de Jesus eu oro. Amém.

Devocional para Sexta-feira, 12 de Fevereiro, 2010

VERSÍCULO:
não se alegra com a injustiça, mas regozija-se com a verdade;
tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.

-- 1 Coríntios 13:6-7

PENSAMENTO:
Amar sempre - uma grande ordem e difícil de seguir. Somente
Deus ama sempre. Mas, cristãos têm a motivação de ter um amor
eterno através do Espírito Santo que foi dado a nós. (Rm. 5:5) Não
de se admirar que este é amor é sempre -é o amor de Deus,
demonstrado pelo sacrifício de Jesus, e entregre pelo Espírito
Santo!

ORAÇÃO:
Querido e Glorioso Deus nas Alturas, me humilho diante de ti,
reconhecendo seu poder sem limites para amar, reconhecendo a
necessidade de ser amado nas vidas daqueles ao meu redor e minha
habilidade limitada de amar. Por favor, derrame seu Espírito Santo
no meu coração e encha-me com o poder de amar como o Senhor ama,
sempre. No doce nome de Jesus eu oro. Amém.

http://www.iluminalma.com.br/

Pense Nisto: SE DEUS É POR NÓS...?

Que frase!
Começa com um “se”.
Logo a seguir ela se desdobra:
Se Deus é...
Primeiro tem-se que saber e crer se Deus é...e que Deus é esse.
Se Deus é por nós...
Sei que Deus é... e sei que Deus é esse.
Mas sei se é por mim?
Se Ele for e for por mim...então não há quem possa ser contra mim!
Geralmente quando esse é o texto as pessoas antes de tudo perguntam a si mesmas—fundo e até no inconsciente—: Será que estou merecendo que Deus seja por mim?
Romanos 8—de onde procede essa certeza—afirma que tudo vem da Graça: fomos conhecidos, predestinados, eleitos, chamados, justificados e glorificados em Jesus e, depois disso, não dá para ficar pior. Não existe pior mais--assim como não existe mais pior!
Todas as coisas contribuem...
Somos mais que vencedores...
Temos toda defesa e toda justiça a nosso favor.
E por isto, mesmo entregues a morte o dia todo, não nos abatemos.
Afinal, nada pode nos separar do amor de Deus.
Que verdade!
Se Deus é por nós? quem será contra nós?
Ora, por nós Ele não poupou Seu próprio Filho, antes por todos nós o entregou.
Alguma outra pergunta?
Aleluia!


Caio Fábio

11 fevereiro 2010

VIVENDO ACIMA DO MUNDO - UMA REFLEXãO PARA CARNAVAL

de Dennis Downing

Contam a história de Hadley Page, pioneiro da aviação. Certa vez ele
pousou numa área deserta durante uma viagem. Sem que ele percebesse,
um rato entrou no avião. Durante a próxima etapa da viagem ele ouviu
o terrível som do animal roendo alguma peça do seu pequeno avião.
Desconfiado que era um roedor ele começou a imaginar os danos que o
animal poderia causar aos mecanismos frágeis que controlam um avião.
Também ele estava longe de lugares onde poderia pousar e consertar
alguma peça danificada.
O que é que ele poderia fazer? Ele lembrou que um animal como o rato
não sobrevive acima de certas altitudes. Aí ele puxou os controles do
avião. O avião subiu e subiu até que o próprio piloto teve
dificuldade em respirar. Ele escutou atentamente e finalmente
respirou aliviado. O som do roedor havia cessado. Quando chegou ao
destino ele achou o rato morto atrás da cabine do piloto.
Freqüentemente nós, filhos de Deus, somos atormentados pelo pecado
que rói nossas vidas simplesmente porque estamos vivendo a uma
altitude espiritual muito baixa. Para ver o pecado derrotado em
nossas vidas temos que subir para um nível mais alto onde as coisas
deste mundo não conseguem sobreviver.
A realidade é que poucos conseguem sair totalmente do mundo. José num
porão Egípcio, Daniel na cova dos leões, Paulo e Silas na prisão em
Filipos. Nenhum deles tinha para onde "fugir". Mas, no meio da
escuridão das suas circunstâncias, todos conseguiram "subir" para a
presença de Deus e lá acharam alento e força para permanecerem fieis.
Se eles conseguiram, nós também conseguiremos.
Durante épocas como Carnaval, não dá para “brincar”. Temos que
“subir”, quer seja para um retiro espiritual ou para encontros e
estudos com irmãos. Se não tivermos outra alternativa, o mínimo que
podemos fazer é desligar a televisão, evitar áreas onde há
concentrações e focalizar nossas mentes na Palavra de Deus ou em
livros edificantes. E vamos vigiar e orar (Mat 26:41).
Faça desde já seus planos. Se não tiver acesso a um retiro da igreja,
ou algum grupo de irmãos com o qual possa se encontrar, decida qual
trecho da Bíblia você vai conhecer melhor, separe um livro ou alguns
filmes edificantes. Trace já o percurso por onde você vai subir lá
para o alto.
Que Deus lhe ajude nos próximos dias a viver acima do mundo,
bem no meio da presença do Senhor. Ele tem muita coisa boa para
compartilhar com você nesses dias. E a festa no Céu que vem depois –
não tem outra na terra que se compare!

João 8:21; Rom 8:5-6; Col 3:1-2

Devocional para Quinta-feira, 11 de Fevereiro, 2010

VERSÍCULO:
O amor é paciente, é benigno; o amor não arde em ciúmes, não se
ufana, não se ensoberbece, não se conduz inconvenientemente, não
procura os seus interesses, não se exaspera, não se ressente do
mal;

-- 1 Coríntios 13:4-5

PENSAMENTO:
O amor não focaliza em si mesmo, mas nos outros. Cada uma das
qualidades do amor é baseada numa atitude de carinho, compaixão e
perdão, que considera os outros valiosos; não apenas dando valor
para mim mesmo e meus desejos. Não é por menos que um velho ditado
diz, "No meio do pecado é um grando ego"! Quando "eu" me torno
mais importante do que outros e o que "eu" quero e o que "eu" ganho
significa mais do que a necessidade real de uma outra pessoa, então
"eu" perdi meu caminho e não mostro o amor de Cristo.

ORAÇÃO:
Santo Deus e Pai Sacrificial, ensine-me a perceber os outros e
valorizá-los como o Senhor o faz. Sei que o Senhor me amou quando
não era amável, e me redimiu quando não era digno. Ajude-me a
tirar minha atenção de mim mesmo para enxergar outros como o Senhor
os vê. No nome de Jesus eu oro. Amém.

http://www.iluminalma.com.br/

Pense Nisto: DUAS SENHORAS E UMA QUESTÃO

Semana passada conversei longamente com duas distintas senhoras de mais de setenta anos—ambas viúvas—e deleitei-me em observar a vivacidade sábia que elas expressaram.
Uma delas esteve em coma por mais de uma semana. Relata experiências humanas tão reais quanto a realidade material pode ser percebida. Como se estivesse num mundo concretamente igual a este, porém, paralelo. Obviamente que as explicações para o fenômeno são muitas, mas não interessa ao momento.
O certo é que a senhora que esteve em coma me disse ter sido exposta nessa experiência acerca da diferenciação entre o amor de Deus e o amor de Cristo. Alguém, numa das cenas paralelas que ela visitou durante o coma, teria dito que o amor do Pai era maior.
E aqui abro um parêntese para dizer que uma das coisas que sempre me impressionaram no meio cristão foi a percepção de que muitos cristãos elegem que divindade da Trindade que elas gostam mais.
Tem gente que gosta mais do jeito do Pai. Tem gente que se identifica mais com o Filho. E há aqueles que apreciam mais os indecifráveis humores do Espírito Santo.
Parece que são três deuses e que se pode optar por uma devoção mais carinhosa pelo jeito de ser do-daquele deus.
Minha resposta à senhora foi a mais simples possível.
“Nada pode nos separar do amor de Deus que está em Cristo Jesus”—foi tudo.
O resto foi comentário.
Deus é Um. Não Uns.
Deus é Deus. Revela-se como gosta de se revelar.
Eu sou um nada-quase-quase-nada-mesmo-nada.
Se há um só Deus e Ele decidiu se expressar como desejou—amém! Eu amo cada nuance nos sentimentos revelados, mas sei que esse jeitão todo fez Sua síntese absoluta em Jesus Cristo.
Em Romanos 8 Paulo faz questão de embolar desembolavelmente o Pai, o Filho e o Espírito Santo. E faz isso de modo tão natural e sem necessidade de explicação que, com isso, ele dá toda a explicação, a saber: Deus é. Ame-o como Ele é. Pois nada pode separar você do amor de Deus que está em Cristo Jesus. Ele sabe quem você é. A sua melhor oração é a intercessão Dele. E o Pai que poderia condenar, deu o Filho de Graça, e com o Filho todas as coisas. O Filho, que poderia julgar, decidiu Advogar as causas perdidas. E o Espírito sonda a mente de Deus, pois, é segundo a vontade de Deus que Ele intercede pelos santos, conforme também a essência dos santos. Saber disso faz você ficar à vontade com Deus—e é do conhecimento desse Deus que vem a fé-certeza de que nada pode nos separar dele; afinal, esse amor se encarnou em Cristo Jesus. Deu prova histórica de estar falando sério até a morte e morte de Cruz.
Deus estava em Cristo. Nele, Jesus, habita corporalmente toda plenitude da divindade. E tudo acontece no amor do Espírito de Jesus Cristo, Filho de Deus, que é Pai, Filho e Espírito Santo.
Portanto, não é para explicar. É para conhecer em Graça.
As duas senhoras parecem ter entendido. Espero que para você faça algum sentido como verdade, não como explicação.

Caio Fábio

10 fevereiro 2010

Devocional para Quarta-feira, 10 de Fevereiro, 2010

VERSÍCULO:
Ainda que eu fale as línguas dos homens e dos anjos, se não
tiver amor, serei como o bronze que soa ou como o címbalo que
retine. Ainda que eu tenha o dom de profetizar e conheça todos os
mistérios e toda a ciência; ainda que eu tenha tamanha fé, a ponto
de transportar montes, se não tiver amor, nada serei. E ainda que
eu distribua todos os meus bens entre os pobres e ainda que
entregue o meu próprio corpo para ser queimado, se não tiver amor,
nada disso me aproveitará.

-- 1 Coríntios 13:1-3

PENSAMENTO:
Amor! Na semana do Dia dos Namorados (14 de fevereiro nos EUA),
queremos lembrar o verdadeiro significado do amor. Sem a motivação
e expressão de amor, todas as atividades "cristãs" são mais
"atividade" do que "cristã". Amor é a expressão do caráter de
Cristo e a presença dele nas nossas vidas através das obras
realizadas para outros. Então, não se perde na viagem anual de
sentimentalismo. Muitos de nós esquecemos da dose diária
necessária do amor que se perde freqüentemente no corre corre do
nosso cotidiano. Vamos ser amorosos o ano todo e assim mostrar que
somos discípulos de Jesus. (Jo. 13:34-35)

ORAÇÃO:
Amoroso Pai Celestial, muito obrigado por ter demonstrado seu
amor através de Jesus. Ajude-me a amar como Ele amou - abnegada,
sacrificial e constantemente para que outros possam saber do seu
amor através das minhas ações. No nome de Jesus eu oro. Amém.

http://www.iluminalma.com.br/

Pense Nisto: SENSAÇÃO DESAGRADÁVEL

Ainda ando com uma sensação desagradável.
Sabe qual é?
Não estou podendo responder nenhum e-mail até a próxima semana.
Por isto, se você escreveu ou venha a fazê-lo, saiba de minha limitação.
Outra coisa importante:
Tive um sério problema no disco rígido de minha máquina e perdi—pasmem!—perdi todos os e-mails que haviam sido enviados para mim de 5 de abril para frente.
Caso você tenha me escrito depois de 5 de abril, por favor, me re-envie o seu ou seus e-mails.
Nunca pensei que desse tanto trabalho ser secretário de mim mesmo.
Um beijo para todos,

Caio Fábio

09 fevereiro 2010

Devocional para Terça-feira, 9 de Fevereiro, 2010

VERSÍCULO:
Irmãos, cumpre-nos dar sempre graças a Deus no tocante a vós
outros, como é justo, pois a vossa fé cresce sobremaneira, e o
vosso mútuo amor de uns para com os outros vai aumentando,

-- 2 Tessalonicenses 1:3

PENSAMENTO:
"Aumente minha fé, Senhor". "Aumente minha força". Muitas
vezes oramos por estas coisas, mas quando foi a última vez que você
agradeceu a Deus por seu amor ter aumentado? Você pode pensar em
algo mais empolgante para dizer na sua igreja do que, "O amor que
cada um de vocês tem um pelo outro está crescendo!" Vamos orar e
agir para isto acontecer!

ORAÇÃO:
Santo Deus, que seu amor possa me encher para que eu possa
compartilhar mais amor com aqueles que encontro todo dia. Que este
amor cresça e aumente em mim para que outros possam ver prontamente
seus benefícios e reconhecer que é uma resposta direta ao grande
amor que o Senhor tem compartilhado comigo. Através do poder do seu
Espírito, ajude meu amor crescer! No nome de Jesus eu oro. Amém.

http://www.iluminalma.com.br/

Pense Nisto: GENTE QUE GOSTA DE CANTAR E FALAR DE AMOR POR DEUS

Quanto a ti, ó filho do homem, os filhos do teu povo falam de ti junto aos muros e nas portas das casas; fala um com o outro, cada um a seu irmão, dizendo: Vinde, peço-vos, e ouvi qual é a palavra que procede do Senhor.
Ele vem a ti, como o povo costuma vir, e se assentam diante de ti como meu povo, e ouvem as tuas palavras, mas não a põem por obra; pois, com a boca professam muito amor, mas o coração só ambiciona lucro.
Eis que és para eles como quem canta canções de amor, que tem voz suave e tange bem; porque ouvem as tuas palavras, mas não as põem por obra.

Ezequiel 33: 30-32

Ezequiel ouvia a voz de Deus e falava ao povo.
Na maioria das vezes sua palavra carregava a denuncia de um juízo que se avizinhava.
As causas daquela destruição eram também apontadas por Deus em tudo o que o profeta falava.
O problema é que apesar das palavras serem de juízo, não deixavam de ser bonitas.
Além disso, havia também aqueles que não gostavam da profecia, mas fascinavam-se com o fato das palavras serem autenticas.
Ou seja: ninguém podia negar que a mensagem de Ezequiel era de Deus e que era poeticamente bela, apesar de carregar a espada do juízo.
Eles convidavam-se uns aos outros a fim de juntos ouvirem a palavra do Senhor pela boca de Seu profeta.
Enquanto Ezequiel falava, eles se deleitavam.
Davam glorias a Deus e embeveciam-se com a Palavra.
Era como ouvir um poeta!
A questão é que o coração deles não estava disposto para a Palavra.
Enquanto o ouviam pensavam apenas no lucro que poderiam auferir pelo simples fato de serem ouvintes da Palavra.
Estavam tomados pela idéia de que a “visita” a Deus era um negócio lucrativo.
Receberiam um “passe” para o chão da prosperidade.
Mas não passava disto.
Provavelmente o apostolo Tiago inspirou-se aqui a fim escrever sua epistola (Tg 1:22-24).
Eles eram ouvintes negligentes, e neles a fé não se fazia acompanhar de obras.
Este texto trás consigo a afirmação de que é possível gostar das coisas concernentes a Deus apenas por habito e diletantismo.
Até o invólucro da mensagem pode ser o álibi para ouvi-la: é bela, ele fala bem, as construções são lindas!—e Deus fala com ele e por ele!
Mas e daí?
Deus não está à procura de um lugar na Academia de Letras e nem Seus profetas jamais tiveram a gloria humana como ambição.
Bem, isso foi assim nos dias de Ezequiel.
Hoje a mensagem não é nem profética e nem bela.
Aliás, não há mensagem.
Ficaram os louvores e o falar bem do nome de Deus.
Foi o que restou.
Ah! Também o lucro. Inclusive com os louvores a Deus, que virou apenas "mais um mercado".
A verdade nós sabemos.
O que fazer com ela, é que Deus deixa com a gente.
E você, o que fará’?

Caio Fábio

08 fevereiro 2010

Devocional para Segunda-feira, 8 de Fevereiro, 2010

VERSÍCULO:
Ouvistes que foi dito: Amarás o teu próximo e odiarás o teu
inimigo. Eu, porém, vos digo: amai os vossos inimigos e orai pelos
que vos perseguem; para que vos torneis filhos do vosso Pai
celeste, porque ele faz nascer o seu sol sobre maus e bons e vir
chuvas sobre justos e injustos.

-- Mateus 5:43-45

PENSAMENTO:
Freqüentemente falamos sobre os privilégios de ser um filho de
Deus - perdão, salvação, um futuro no céu com ele, o dom do
Espírito Santo e vitória quando Cristo vier. Um dos maiores
privilégios, no entanto, é a oportunidade de agir para com aqueles
que não gostam ou nos odeiam de maneira que reflete o caráter de
Deus. Qualquer pessoa pode responder com ódio por ódio, mas
precisa ser um filho de Deus para responder com uma bênção e uma
oração por seus inimigos.

ORAÇÃO:
Pai, obrigado por me amar quando ainda era seu inimigo.
Obrigado por arriscar a morte do seu Filho para me oferece a chance
de aceitar ou rejeitar seu amor. Como o Senhor prometeu, por
favor, derrame seu amor no meu coração para que possa amar até meus
inimigos como o Senhor me ama. No nome do seu maior presente de
amor, Jesus Cristo, eu oro. Amém.

http://www.iluminalma.com.br

“ATIRE A PEDRA AQUELE QUE JUSTO PENSA SER”

Helci R. Pereira(*) – helcip@uol.com.br

Ela foi flagrada no ato do adultério.
De manhã cedo, na praia, ouvia a Jesus a multidão.
Outra multidão chega, trazendo, assustada,

Atemorizada, a mulher sob forte reverbério.

Jogam-na aos pés do Senhor, exigindo sumária punição.

Seres humanos maus, péssimos, horríveis:
Multidão, querendo divertir-se às custas da pobre mulher;
Escribas e fariseus, querendo ver Jesus num beco sem saída.
Tivesse Jesus concordado com a sumária execução,

Teria sido o seu ministério de amor considerado uma farsa, então.
Tivesse determinado da mulher o imediato perdão,
Seria, então, considerado da mosaica lei um infrator.
A multidão, vociferante e acusadora, representa o ser humano,
Propenso a extravasar suas frustrações e infelicidades
Sobre pessoas que nada têm a ver com os sofrimentos seus.
O Senhor não teve pressa.

Escrevendo na areia, esperou alguns minutos,
Enquanto a multidão, com pedras armada,
Dele exigia coerente e segura posição:

Um pronunciamento, uma sentença ou decisão.

Levantou-se o Mestre e disse o que ninguém imaginava.
Ele não disse "sim" e também não disse "não".
Deu, contudo, resposta dura, eficaz e penetrante:
Aquele que justo pensa ser, faça justiça com as próprias mãos.

A pouco e pouco, a multidão se dispersou sem pedras atirar.
Foram todos p’ra casa, acusados pela própria consciência,
Com grande lição para, por muito tempo, meditar
Na fraqueza do humano ser, em sua essência.
Jesus não disse aos acusadores daquela mulher:

"Quem não é adúltero pode a primeira pedra atirar!”,

Pois daria, com muita certeza a entender que
Os que não eram adúlteros estavam livres para a condenar.
A exigência, o requisito, a habilitação exigida por Jesus
Para que alguém pudesse à prostituta condenar
Seria uma condição intransponível: não pecar.
Muitas vezes, cremos poder atirar pedras nas pessoas
Que cometem os pecados que nós não cometemos.
Ou seja, que podemos condenar:
Os adúlteros porque não cometemos adultério,
Os ladrões, simplesmente, porque não roubamos ...

Olhamos para os pecados dos outros
E melhores do que eles nos julgamos.
Quando condenamos, com certeza melhores nos achamos.

Dezembro/2009

(*) É pastor presbiteriano

Pense Nisto: ESTOU INFELIZ?

Tem gente que me pergunta se estou infeliz pelo fato de ter experimentado tantas lutas nos últimos sete anos.
Já estive muito infeliz.
Hoje, não!
E por que?
É que sinto que fiquei muito melhor!
Se o bem maior é a alma, se o que não se pode perder é ela também!—então, estou feliz.
Perdi muita coisa. Mas ganhei muito mais alma. E sinto que o processo desse enriquecimento ainda nem começou.
“Todos costumam por primeiro o bom vinho; e quando todos já beberam fartamente, servem o inferior. Tu, porém, guardaste o bom vinho até agora”—é o que tenho a dizer acerca de Jesus em tudo isto.
E não esqueça: bem-aventurado é...

Caio Fábio

07 fevereiro 2010

Devocional para Domingo, 7 de Fevereiro, 2010

VERSÍCULO:
Vós que amais o SENHOR, detestai o mal; ele guarda a alma dos
seus santos, livra-os da mão dos ímpios.

-- Salmos 97:10

PENSAMENTO:
Ódio - uma palavra forte e poderosa. Não devemos odiar ninguém.
Devemos odiar o mal. É uma combinação difícil, mas absolutamente
necessária. O mal está aqui por causa de Satanás - o campeão do
ódio, mentiras e morte. Então, quando o mal aparece com toda sua
feiura, sejamos corajosos para opor Satanás e sua obra. No
processo, vamos orar para aqueles que estão presos nos tentáculos
do mal, mesmos que eles nos considerem inimigos.


ORAÇÃO:
Todo Poderoso Deus, faça com que meu coração doa com o mal no
meu mundo. Dê-me uma revolta santa às coisas contra sua vontade e
caráter. Mas Pai, assim como o Senhor me redimiu pela graça, e me
resgatou enquanto preso ao pecado, dê-me a coragem de cuidar
daqueles que estão nos braços de Satanás. Através do meu Salvador
eu oro. Amém.

http://www.iluminalma.com.br/

Pense Nisto: O MUNDO ENCOLHEU

Is 40: 12-18
Quando eu era menino o mundo era enorme.
A Terra, meu Deus, a Terra...era algo.
A mangueira da casa de minha vo’ era como a Arvore da Vida.
O Sol..que impressao assustadora!
Hoje, quase cinquenta anos depois, tudo ficou tao pequeno.
Mundo...e’ apenas um lugar.
As nacoes...menos que nada.
O poder dos reis e governantes...nao passa de vacuo.
Os poderes dos ceus foram abalados.
A revelacao do Evangelho acabou o mundo.
Comecou outro...e’ verdade!
Mas para quem nao sabe disso fica somente a pequenez do velho e cansado mundo.
E’ verdade que tem gente que aparentemente consegue tirar deste mundo toda a motivacao para viver...pelo menos e’ o que parece.
Se a minha esperanca...tivesse seu limite apenas nesse mundo eu seria o mais infeliz de todos os homens.
O mundo nao me basta faz tempo.
Amo a natureza e os lugares remotos da Terra.
Embeveco-me com todas as belezas naturais e com a producao da arte e cultura humanos.
Mas nao me basta...
O mundo ficou muito menor que meu coracao.
Agora sou cidadao do Templo de Ezequiel (leia neste site em A Lei do Templo), aquele que cresce para dentro.
Fora e’ lindo, mas e’ muito pequeno...pelo menos para mim.
Quando eu era menino...que saudade...
Hoje...desisti...que alegria...
Anelo pelo que e’ perfeito.
Nao quero apenas profetizar.
Quero mergulhar no amor, ser absorvido pela vida...
De fato Cristo ressuscitou, sendo a nossa esperanca: a dos que ja’ partiram e a nossa, que ainda estamos na Terra.
Entao, olhe o mundo.
Ele e’ pequeno.
Mas e’ nele que Hoje pode-se viver algo maior que nele cabe: o amor de Deus!

Caio

06 fevereiro 2010

Devocional para Sábado, 6 de Fevereiro, 2010

VERSÍCULO:
O que segue a justiça e a bondade achará a vida, a justiça e a
honra.

-- Provérbios 21:21

PENSAMENTO:
É engraçado que, quando procuramos a felicidade ou alegria ou
significado, raramente achamos. Ao contrário, quando nos
oferecemos para servir outros e dar de nós mesmos ao Senhor e a sua
obra, aí descobrimos o que mais precisamos.

ORAÇÃO:
Ó Doador de todo dom bom e perfeito, peço hoje que o Senhor me
dê uma chance para servir a Ti e a outros de forma que mostre seu
reino e sua glória. Se no processo o Senhor escolhe suprir as
minhas necessidades, te agradeço. Oro isso através do seu servo
Jesus. Amém.

http://www.iluminalma.com.br/

Pense Nisto: LEMBRA-TE DE JESUS...

Lembra-te de Jesus Cristo, ressuscitado dentre os mortos...
II Tim 2: 8

Paulo estava preso e vendo que o cenário em volta não era prospero.
Os judaizantes—legalistas—perseguiam a mensagem da Graça, os cristãos gentios estavam impressionados com novidades e com fabulas judaicas; e, sobretudo, havia uma grande proliferação de picaretas pregando em nome de Jesus, mas já não mais o evangelho.
A leitura de ambas as epístolas dirigidas a Timóteo poderá dar a qualquer leitor a certeza do que afirmo acima.
O velho tenta inocular esperança no coração do jovem!
O modo como Paulo faz isto é, antes de tudo, chamando Timóteo à certeza da ressurreição de Jesus.
Dois mil anos passaram.
Hoje a situação é muito pior.
Pior como realidade e pior como constituição.
A realidade é existencialmente apocalíptica (II Tim 3: 1-9).
A constituição do problema é pior: não se tem mais a esperança de que a igreja tenha o que dizer ao mundo—e nem sabe o que dizer a si mesma!
E nós?
Como ficamos?
Para onde iremos?
O que nos resta?
O que vale e o que não vale?
Faz sentido lutar por alguma coisa ainda?
Paulo não venceu a “parada”, do ponto de vista historio, pois, não a venceu no âmbito da consciência dos cristãos.
A mensagem da Graça não é e não foi crida.
O próprio Protestantismo abraçou a Graça por um pouco—e não de modo radical.
Hoje já não se vê sinais da mensagem da Graça—não me refiro ao uso da palavra “graça” —sendo vivida como consciência entre os cristãos.
Os legalistas venceram!
Os judaizantes ganharam a peleja!
O cristianismo se converteu em religião!
A mensagem se transformou em produto a ser vendido!
Deus foi tirado até da pureza dos altares pagãos e colocado no supermercado da religião cristã!
E nós?
Como ficamos?
Para onde iremos?
O que nos resta?
O que vale e o que não vale?
Faz sentido lutar por alguma coisa ainda?
Tudo mudou, mas há algo que não muda!
Lembra-te de Jesus...Ressuscitado dentre os mortos!
Quando não há mais esperança humana...há ainda a ressurreição dentre os mortos.
Olho em volta e por vezes me desespero.
Sinto angustias com meu irmão Paulo.
Sei o que ele estava sentindo.
Conheço seu desanimo e sua busca de não esmorecer. Entendo-lhe o ser...
O desejo dele era que acontecesse o que acontecesse, Timóteo lembra-se que Jesus está vivo.
Vivo onde?
Em que mercado?
Em que prateleira?
Dando embalagem a que produto?
Vendido em prestações?
Quantas novenas a pagar?
Jesus está vivo!
E essa loucura toda feita em Seu nome não ficará impune.
Pode-se ouvir a Voz de muitas águas.
Aquele que venceu o mundo—tende bom ânimo—, venceu a morte—ressuscitou dentre os mortos—e agora vai vencer também a religião!
Na terra, entre os homens, o último inimigo a ser destruído é aquele que se “faz passar por Deus e se assenta no lugar santo”.
E ficamos procurando o anticristo no mundo!
Eles saem de nosso meio.
Andam entre nós.
Usam o nome de Jesus.
Tiram a esperança—asseverando que a ressurreição já era (II Tim 2:18).
No meio cristão a ressurreição não é negada. Só não é crida. Se crêssemos na ressurreição não estaríamos como estamos e nem teríamos construído a história que construímos em “nome de Jesus”.
Lembra-te da ressurreição.
A verdadeira Igreja tem dono.
Ele é fiel.
Não nos salvou para “isto”.
Lembra-te de Jesus ressuscitado!
Ele não entregou a história a nenhuma igreja.
Ele é o Senhor que vem e que é chamado Fiel e Verdadeiro.
Ele ferirá com a vara de sua boca.
Sua Palavra não tem como não ser vencedora. Mesmo que isto tenha que acontecer contra aquilo que hoje pretende representá-la na Terra.
Lembra-te de Jesus ressuscitado!
Lembra-te apenas disso!

Caio Fábio

05 fevereiro 2010

Devocional para Sexta-feira, 5 de Fevereiro, 2010

VERSÍCULO:
Porque a palavra do SENHOR é reta, e todo o seu proceder é fiel.

Ele ama a justiça e o direito; a terra está cheia da bondade do
SENHOR.

-- Salmos 33:4-5

PENSAMENTO:
Deus é fiel. Podemos confiar que Ele vai cumprir suas promessas
e seus propósitos. Como sabemos? O nascer do sol todo dia é um
lembrete que o Pai do céu e da terra está trabalhando para manter
seu universo em boa ordem. Se é verdade na natureza, é verdade no
nível espiritual também. Cumprimente cada nascer do sol como um
lembrete da fidelidade de Deus.

ORAÇÃO:
Ó Magnífico e Majestoso Criador, cumprimento o dia de hoje como
seu presente e um lembrete da sua fidelidade. Cada dia que o sol
nascer, antecipo o dia que o Senhor honrará sua promessa de enviar
seu Filho de volta para nos levar para casa. Dá-me uma
sensibilidade da sua presença hoje. Oro isso através daquele em
quem todas as suas promessas são cumpridas. Amém.

http://www.iluminalma.com.br/

Pense Nisto: O QUE É, É!

"Não fostes vós que me escolhestes a mim; eu vos escolhi a vós outros, e vos designei para que vades, e deis fruto, e o vosso fruto permaneça"--Jesus, o Senhor.
João Queiroz é o nome de um dos homens de Deus que eu mais admirei no Brasil.
Seus filhos vivem para confirmar minhas palavras.
Conheci-o em Fortaleza. Inicio da década de 80. Era uma Cruzada Evangelística realizada por todas as igrejas e patrocinada pela Visão Mundial no Nordeste, sob a gestão local do querido Eli Theodoro, pastor metodista.
O Carlinhos Queiroz já era um grande homem, apesar de ainda jovem. Foi por ele e em razão do evento—no qual eu era o pregador—, que vim a conhecer aquele cristão macho, nordestino, faceiramente grave, gravemente gracioso, auterissimamente alegre, fieamente encantador, firme de caráter e franco de atitude—chamado João Queiroz!
Foi contemporâneo de Lampião e Maria Bonita. Seu filho Carlos Queiroz escreveu sua saga e eu tive o privilégio de escrever o prefacio.
Aquela viagem me rendeu muitas amizades. Edniltom Soares e toda a sua família, inclusive o saudosismo Melcon. Rev. Otoniel e centenas de pastores—que depois viraram milhares.
Voltei muito a Fortaleza na década de oitenta toda. Ia descansar por lá também. Amei a cidade e a muitos nela. Amo ainda, mais do que sabem.
Numa daquelas idas a Fortaleza o pastor João Queiroz me pediu que fizesse uma visita a um de seus irmãos, que estava à morte.
O homem estava numa rede.
Vi a luz de alegria em seu olhar ao me ver.
Abaixei-me e abracei-o juntamente com a rede.
Ele estava suado com o suor da doença que o mataria.
Senti claramente que conhecemo-nos a fim de sabermos um do outro e para que ele mudasse a minha vida.
—Se eu pudesse, eu não queria; se eu quisesse, eu não podia!
—Como?
—Se eu pudesse deixar Jesus, eu não queria de jeito nenhum. Tem nada melhor. E se quisesse deixar, não podia não. Meu nome está no Livro.
Esse é o resumo de nossa conversa naquele dia e naquela hora. Isso foi o que ele me disse. O resto foi afago e carinho.
Eu, no entanto, nunca mais fui o mesmo. Minha noção de tudo o que possa ser chamado de existencial, teológico, filosófico e psicológico teve seu ponto de definição naquela síntese de tudo o que eu cria, mas que até aquele dia não havia conseguido transformar numa única frase.

Caio Fábio

04 fevereiro 2010

Hein?


Cuidado com a pressão alta!

Devocional para Quinta-feira, 4 de Fevereiro, 2010

VERSÍCULO:
Eu te amo, ó SENHOR, força minha. O SENHOR é a minha rocha, a
minha cidadela, o meu libertador; o meu Deus, o meu rochedo em que
me refugio; o meu escudo, a força da minha salvação, o meu
baluarte.

-- Salmos 18:1-2

PENSAMENTO:
Cantamos e dizemos nas nossas orações públicas: "Pai, Deus, Te
amamos". Mas, note cuidadosamente o começo do nosso versículo.
"Eu te amo, ó Senhor..." Mesmo no louvor público, comunitário,
somos ensinados a importância de uma expressão pessoal de amor a
Deus. Quando foi a última vez que você disse ao Criador do
universo, "Eu te amo"!

ORAÇÃO:
Pai no Céus, eu te amo. Eu te amo porque o Senhor é mais do que
digno do meu amor. Eu te amo porque o Senhor me amou primeiro. Eu
te amo porque o Senhor enviou seu Filho para ser meu irmão mais
velho e pagar o preço da minha adoção à sua família. Eu te amo por
causa da sua fidelidade. Eu te amo porque o Senhor permitiu na sua
graça que eu O amasse. No nome de Jesus te agradeço. Amém.

http://www.iluminalma.com.br/
Google