24 janeiro 2013

A Lei da abundância

Pobres, mas enriquecendo muitos outros; nada tendo, mas possuindo tudo.
2 Coríntios 6.10

Sim , meu filho, não importa quão pouco você possui dos tesouros do mundo, porque se você e abençoado com a abundancia da minha graça, sempre será um doador.
Quem me segue não tem falta de coisa alguma. Nada falta para aquele que descobriu que pode comprar “vinho e leite sem dinheiro e sem custo” (Is 55.1). Aquele que me achou como fonte achou a lei da plenitude.
Ele encontrara abundancia enchendo o seu caminho da mesma forma que os brotos das flores do campo enchem as encostas na primavera.
Nenhum bem recusarei aos que vivem com integridade (SI 84.11). Darei a ele uma boa medida, calcada, sacudida e transbordante (veja Lc 6.38).
Vou torna-lo um ramo frutífero e uma arvore cujos ramos inclinam-se sobre os muros.
A abundancia de frutos e tal que não pode ser contida.
Ele não esta apenas cheio, mas tem a capacidade de encher outros. Na estiagem, será alimentado, e na escassez não passara fome. Andara em lugares secos e será revigorado; sim, em lugares pedregosos será sustentado.
Amarei aquele que me busca, e serei para ele um ribeiro infindável de abundancia, e ele nunca precisara dizer: “Dê-me”, mas dirá a muitos: “Recebam”.
Salmos 78.15 diz: ‘Ele partiu rochas no deserto e das profundezas da terra tirou muita água para o povo beber’.
Postar um comentário
Google