26 junho 2013

"Ai de vós, quando todos os homens vos louvarem!"


"Ai de vós, quando todos os homens vos louvarem! porque assim faziam os seus pais aos falsos profetas.
Mas a vós que ouvis, digo: Amai a vossos inimigos, fazei bem aos que vos odeiam, bendizei aos que vos maldizem, e orai pelos que vos caluniam. Ao que te ferir numa face, oferece-lhe também a outra; e ao que te houver tirado a capa, não lhe negues também a túnica.
Dá a todo o que te pedir; e ao que tomar o que é teu, não lho reclames.
Assim como quereis que os homens vos façam, do mesmo modo lhes fazei vós também.
Se amardes aos que vos amam, que mérito há nisso? Pois também os pecadores amam aos que os amam.
E se fizerdes bem aos que vos fazem bem, que mérito há nisso? Também os pecadores fazem o mesmo.
E se emprestardes àqueles de quem esperais receber, que mérito há nisso? Também os pecadores emprestam aos pecadores, para receberem outro tanto.
Amai, porém a vossos inimigos, fazei bem e emprestai, nunca desanimado; e grande será a vossa recompensa, e sereis filhos do Altíssimo; porque ele é benigno até para com os integrantes e maus.
Sede misericordiosos, como também vosso Pai é misericordioso.
Não julgueis, e não sereis julgados; não condeneis, e não sereis condenados; perdoai, e sereis perdoados.
Dai, e ser-vos-á dado; boa medida, recalcada, sacudida e transbordando vos deitarão no regaço; porque com a mesma medida com que medis, vos medirão a vós."
Jesus, como o Doutor Lucas escreveu em seu Evangelho (6.26-38)

MEUS PENSAMENTOS:
No Antigo Testamento, houve muitos falsos profetas no Antigo Testamento.
Reis e multidões os elogiaram porque suas predições de prosperidade e vitória na guerra eram as que queriam ouvir.
A popularidade é inconstante.

Os judeus desprezavam aos romanos porque oprimiam ao povo de Deus, mas Jesus lhes disse que deviam amar a seus inimigos.
Essas palavras apartaram a muitos de Cristo.
Mas Jesus não falava de sentir afeto pelos inimigos; falava a respeito de um ato da vontade. Você não pode "adquirir" este tipo de amor, a não ser um esforço consciente. Amar a nossos inimigos significa atuar em busca de seus melhores interesses. Podemos orar por eles e procurar formas de ajudá-los. Jesus amou a todo mundo, embora o mundo estava em rebelião contra Deus. O nos pede seguir seu exemplo amando a nossos inimigos. Brinde a seus inimigos o mesmo respeito e direito que desejaria para você mesmo.

Amor significa ação.

Uma maneira de pôr o amor a trabalhar é ao tomar a iniciativa em satisfazer certas necessidades. Isto é fácil de fazer com pessoas que nos amam, pessoas nas que confiamos, mas amor significa fazê-lo até com os que não nos caem bem ou que se propõem nos danificar.
É uma coisa abençoar quem faz favores, fala bem de nós ou nos encoraja. Até que dá vontade. "Deus te abençoe também, meu irmão. Tudo de bom para você e sua família."
Quantas vezes e com quanta facilidade abençoamos "gente do bem"! Não querendo tirar o mérito destas bênçãos, mas, será que não é parecido com uma troca de favores? Você faz algo de bom para mim e em troca, eu lhe abençoo.
Você não fez para receber a bênção e eu não faço pensando em "pagamento". No entanto, não deixa de ser uma retribuição esperada.
Além de ser uma troca, com o tempo começa a ser algo feito sem pensar. Quando você diz "Deus te abençoe, irmão" você realmente pensa naquilo que está pedindo?
Agora, abençoar uma pessoa que não só deixou de fazer o bem, mas, fez o mal a você - isso requer intenção. Sabemos que as chances são grandes de que não haverá retribuição. Isso não vem de mim. Só pode vir de Deus. Então, na bênção àqueles que nos fazem mal nós nos tornamos meios pelos quais Deus faz algo extraordinário. Pode ser que por meio disso ele abençoe pessoas que de outra forma não seriam abençoadas.
Verdadeiramente, tem algo de grandeza nesse ato. E não é disso que, no fundo, todos nós queremos fazer parte, algo muito maior do que nós – algo divino?

Um espírito perdoador demonstra que uma pessoa recebeu o perdão de Deus.
Jesus usa a figura de medir grãos em cesta para assegurá-la quantidade total.
Se formos críticos antes que compassivos, também receberemos crítica em recompensa.
Se tratarmos a outros com generosidade, com graça e com compaixão, seja como for, estas qualidades voltarão para nós em maior medida. Devemos amar a outros, não julgá-los.

Márcio Melânia
Postar um comentário
Google