25 junho 2013

“Sabemos que todas as coisas concorrem para o bem dos que amam a Deus"


“Sabemos que todas as coisas concorrem para o bem dos que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o projeto dele.
Aqueles que Deus antecipadamente conheceu, também os predestinou a serem conformes à imagem do seu Filho, para que este seja o primogênito entre muitos irmãos.
E aqueles que Deus predestinou, também os chamou. E aos que chamou, também os tornou justos. E aos que tornou justos, também os glorificou.
O que nos resta dizer? Se Deus está a nosso favor, quem estará contra nós?
Ele não poupou seu próprio Filho, mas o entregou por todos nós. Como não nos dará também todas as coisas junto com o seu Filho?
Quem acusará os escolhidos de Deus? É Deus quem torna justo! Quem condenará? Jesus Cristo? Ele que morreu, ou melhor, que ressuscitou, que está à direita de Deus e intercede por nós? Quem nos poderá separar do amor de Cristo? A tribulação, a angústia, a perseguição, a fome, a nudez, o perigo, a espada? Como diz a Escritura: "Por tua causa somos postos à morte o dia todo, somos considerados como ovelhas destinadas ao matadouro."
Mas, em todas essas coisas somos mais do que vencedores por meio daquele que nos amou.
Estou convencido de que nem a morte nem a vida, nem os anjos nem os principados, nem o presente nem o futuro, nem os poderes, nem as forças das alturas ou das profundidades, nem qualquer outra criatura, nada nos poderá separar do amor de Deus, manifestado em Jesus Cristo, nosso Senhor."

Apóstolo Paulo (este sim, Apóstolo) em sua carta direcionada aos cristãos de Roma (8-26-39)

MEUS PENSAMENTOS:
O CRISTÃO não está abandonado a sua sorte para enfrentar os problemas.
Mesmo que não saibamos as palavras adequadas quando oramos, o Espírito Santo ora conosco e por nós, e Deus responde.
Com a ajuda de Deus ao orarmos, não devemos temer estar diante de Sua presença.
Peçamos que o Espírito Santo interceda em nosso favor "conforme à vontade de Deus".
Logo, quando apresentamos nossas petições a Deus, confiemos que Ele sempre nos dará o melhor.

Deus faz possível que "todas as coisas", não só incidentes isolados, redundem em nosso bem. Isto não significa que tudo o que nos passa é bom. O mal segue prevalecendo em nosso mundo cansado, mas Deus é capaz de trocar todas as circunstâncias a nosso favor.
Deus não está ocupado em nos fazer felizes, e sim em cumprir seus propósitos. Note que esta promessa não é para todos. É somente para os que amam a Deus e fazem parte dos planos divinos. São os eleitos em Cristo, os que o Espírito Santo convence e permite que recebam a Cristo.
Estas pessoas têm uma nova perspectiva, uma nova mentalidade na vida. Confiam em Deus e não nos tesouros da vida; procuram sua segurança no céu, não na terra; aprendem a aceitar a dor e a perseguição, não a lamentá-los, porque Deus está com eles.
A meta suprema de Deus quanto a nós é nos fazer semelhantes a Cristo (1Jo 3.2). À medida que vamos sendo como Ele, descobrimos o que em realidade somos, as pessoas para o qual fomos criados.
Como podemos ser conformados à imagem de Cristo? Lendo, prestando atenção e praticando a Palavra de Deus, estudando Sua vida na terra através dos Evangelhos, nos enchendo com o Espírito Santo e fazendo a obra de Deus na terra.
Paulo diz também que Jesus roga a Deus por nós no céu.
Deus nos absolveu e tirou nosso pecado e culpa; é Satanás, não Deus, que nos acusa.
Quando isto acontece, Jesus é o advogado que está à mão direita de Deus para nos defender. Hb 4.14,15.

Estas palavras foram escritas para os cristãos de uma igreja que muito em breve estaria sob uma terrível perseguição.
Em poucos anos mais, a situação hipotética de que Paulo falava se converteria em uma realidade dolorosa.
Esta passagem reafirma o amor profundo de Deus por seu povo. Não importa o que acontecer onde estejamos, seu amor nunca nos deixará.
O sofrimento não nos separará de Deus, mas sim nos ajudará a nos identificar com O muito mais e permitirá que seu amor nos alcance e nos cure.

Estes textos contêm uma das promessas mais reconfortantes de todas as Escrituras.
Os cristãos sempre tiveram que enfrentar dificuldades de diversas formas: perseguição, enfermidade, prisão, e até morte.
Isto poderia lhes fazer acreditar que Cristo os tinha abandonado. Mas Paulo exclama que é impossível que algo nos separe de Cristo. Sua morte a nosso favor é prova de seu amor inquebrável.
Nada impedirá sua presença constante conosco. Deus nos diz quão grande é seu amor para que nos sintamos bem seguros nEle. Se tivermos esta segurança, não temeremos.

Estas forças são forças invisíveis de maldade no universo, forças como Satanás e seus anjos (veja Efésios 6.12). Em Cristo somos mais que vencedores e seu amor nos protegerá de qualquer poder.

Márcio Melânia
Postar um comentário
Google