06 dezembro 2016

Devocional para Terça-feira, 06 Dezembro de 2016

Essa pergunta tem sido difícil para muitos, pois é fácil chamar a CRISTO de SENHOR, difícil, é fazer a sua vontade.
As vezes quando oramos: “seja feita a vossa vontade”, é mentira, porque a vontade de DEUS é a que menos importa.
 O contexto deste verso é a parábola em que CRISTO faz a comparação entre dois construtores.
Os dois vêm a CRISTO e ouvem as suas palavras. Um deles, não apenas ouve, também as pratica.
Esse, diz JESUS: “é semelhante a um construtor que edificando uma casa, cavou, abriu profunda vala e lançou o alicerce sobre a rocha, e, vindo a enchente, arrojou-se o rio contra aquela casa e não pode abalar por ter sido bem construída.”
O que abala, derruba, destrói uma casa, uma vida, não são os ventos, as enchentes, as tempestades, as tormentas, tudo depende do lugar em que a casa é construída, qual o tipo do alicerce.
O outro homem, também ouviu as palavras de CRISTO, mas não as praticou. Ele também construiu uma casa para si, mas não tinha alicerces, e nem estava edificada sobre uma rocha; então, quando o rio jogou-se contra ela, a casa logo desabou.
As palavras foram ditas aos dois, os dois edificaram para si uma casa, as tempestades e os rios arrojaram-se sobre as duas casas, só uma permaneceu firme.
No Salmo 124, Davi afirma: “Se não fosse o SENHOR que estivesse do nosso lado... então as águas teriam transbordado sobre nós e a corrente teria passado sobre as nossas almas.”
Mas nós escapamos, o SENHOR nos livrou, ELE é rocha firme.
Mesmo que os rios e as ventanias venham sobre nós, e virão, "os que esperam e confiam no SENHOR, os que construíram suas casas sobre essa rocha que é CRISTO, “não se abalam, permanecem para sempre”, (Salmos 125), são arvores plantadas junto a ribeiros que dão o seu fruto na estação própria (Salmo 1), que tem raiz e não são levados por qualquer vento.
Somente em CRISTO estamos seguros. ELE é a rocha que que sustenta e não deixa que nada abale aos que ouvem e praticam suas palavras.

Márcio Melânia
Postar um comentário
Google