23 maio 2017

Devocional para Terça-Feira, 23 de Maio de 2017




Porquanto, para mim, o viver é Cristo, e o morrer é lucro.
    -- Filipenses 1:21


   Para a pergunta: "Tenho algo na minha vida pelo qual vale a pena morrer?" O apóstolo  Paulo responde: “Sim!”. Para ele, CRISTO é a resposta, a razão e a esperança.
Agora, para nós, se conseguirmos alinhar a nossa vontade com o nosso compromisso, poderemos fazer também esta mesma afirmação!

   "Ó SENHOR, tenha misericórdia de mi e perdoe-me das coisas que tenho feito ou dito que dificultaram as pessoas verem Cristo em mim.  Quero que a minha vida seja um testemunho vivo de JESUS e de SUA Graça, Aguardando ansiosamente a volta de JESUS. No nome de Jesus eu oro.
Amém"

*MMM*

Márcio Melânia

22 maio 2017

Devocional para Segunda-Feira, 22 de Maio de 2017




Todas as doenças​ e enfermidades nos prendem​ e tiram nossa liberdade de ver, de andar, de viver.
Jesus libertou muitas pessoas, como a mulher enferma que "Satanás mantinha presa por dezoito longos anos" (Lucas
13.16).
Jesus curou, literalmente, muitos cegos (Lucas 7.21; 18.35-43).
Se é difícil o estado de uma pessoa cujos olhos não enxergam, pelo menos ela é ciente da sua carência e busca a ajuda que precisa. Muito mais perigoso é o estado daquele que sofre de cegueira espiritual. Ele anda nas trevas e nem sabe (João 9.39-41).
O apóstolo Paulo, que vivia assim, teve que ser cegado por Jesus para enxergar o quanto estava perdido. Depois Jesus o usou para abrir os olhos de muitos outros (Atos 26.13-18).
A nossa vista pode ficar cada vez
mais cansada e até um dia apagar. Mas, se seguimos a voz de Jesus, com cada passo que tomamos a luz do céu nos iluminará cada vez mais.

   "ETERNO DEUS, use-me como um farol que mostra o caminho nas águas escuras desta vida. Que eu possa ver por JESUS e que outros possam ver por JESUS brilhando em mim. Em nome da Luz do Mundo eu oro. Amém."

*MMM*

Márcio Melânia

21 maio 2017

Devocional para Domingo, 21 de Maio de 2017




A história desta mulher que não pertencia ao povo judeu, era cananéia, com sua simplicidade ousada, total falta de malícia e franqueza persistente ensina-nos a pedir a CRISTO aquilo de que precisamos. Muitas vezes, diante de DEUS, queremos negociar de forma elaborada e devota, em vez de simplesmente nos lançarmos sobre a Eterna Misericórdia de nosso SENHOR.

“DEUS Todo-Poderoso, Tu vês que não temos poder em nós mesmos para ajudarmos a nós mesmos.
Eu te peço proteção contra as adversidades que possam acontecer ao meu corpo e contra todos os maus pensamentos que possam atacar e ferir a minha alma, por meio de JESUS CRISTO, nosso SENHOR. Amém.”

*MMM*

Márcio Melânia

Devocional para Domingo, 21 de Maio de 2017




A história desta mulher que não pertencia ao povo judeu, era cananéia, com sua simplicidade ousada, total falta de malícia e franqueza persistente ensina-nos a pedir a CRISTO aquilo de que precisamos. Muitas vezes, diante de DEUS, queremos negociar de forma elaborada e devota, em vez de simplesmente nos lançarmos sobre a Eterna Misericórdia de nosso SENHOR.

“DEUS Todo-Poderoso, Tu vês que não temos poder em nós mesmos para ajudarmos a nós mesmos.
Eu te peço proteção contra as adversidades que possam acontecer ao meu corpo e contra todos os maus pensamentos que possam atacar e ferir a minha alma, por meio de JESUS CRISTO, nosso SENHOR. Amém.”

*MMM*

Márcio Melânia

20 maio 2017

Devocional para Sábado, 20 de Maio de 2017



Algumas pessoas parecem que estão interessadas em saber como estamos, mas ao começar a compartilhar seus problemas, você percebe que a pessoa não está realmente interessada; estava apenas sendo gentil.  A maioria das pessoas têm tantos problemas que simplesmente não sabem o que fazer ao ouvir mais problemas.
Ao contrário dessas pessoas, Nosso Pai no céu, no entanto, diz:
“Lance toda a sua ansiedade para mim.  Você pode compartilhar todas
elas comigo, porque eu realmente tenho cuidado de você”.

Glória a DEUS!
ELE se lembra de nós!

"Obrigado, SENHOR, por Te lembrares de mim. Sem Ti, não sei o que seria de mim. Amém!"

_*****_

Márcio Melânia

19 maio 2017

Devocional para Sexta-Feira, 19 de Maio de 2017



Dentre as coisas que a Bíblia nos incentiva está a oração. Orar é oportunidade em cultivar um relacionamento com DEUS Pai, Filho e Espírito Santo. JESUS veio morrer por nós para restaurar a nossa comunhão com DEUS, pois pecado nos fez inimigos de Deus. Por meio de JESUS somos presenteados com a oportunidade de viver um novo relacionamento com DEUS, isto é, de construir uma amizade com Ele. A oração é uma das formas pelas quais vivemos este relacionamento.
Precisamos pedir, precisamos ir à busca das coisas de DEUS e precisamos ser perseverantes. O correto pedir leva a pessoa a entender que ela mesma precisa ir à trás, se esforçar para receber. É assim na vida física, não adianta pedir pela saúde se eu mesma não cuidar dela. O mesmo acontece na vida material, não adianta pedir pelo pão se não trabalhar por ele. Na vida espiritual, não adiante pedir que DEUS esteja comigo, se eu mesma não viver comprometida a estar com ELE.
Precisamos avaliar como estamos na oração. Temos pedido, buscado e perseverado? Lembrando que quando não há uma busca perseverante até o pedir pode ser egocêntrico e distante da vontade de DEUS. Fazemos de DEUS um negócio, que ELE simplesmente resolva as coisas para nós. Quanto à oração, precisamos inclusive sempre de novo pedir como os discípulos de Jesus:

 “Senhor ensina-nos a orar”! (Lucas 11.1)


_****_

Márcio Melânia

18 maio 2017

Devocional para Quinta-Feira, 18 de Maio de 2017




O discípulo Pedro abandona o entusiasmo precipitado e bruto, da ousadia sem proporção e propósito, tem a dúvida que o incapacita e passa à reverente adoração.

Nós, como ele, precisamos ser resgatados dos excessos da presunção e salvos da dúvida incapacitante. Foi para adorar, não andar sobre as águas, que fomos criados.


Quantos de nós temos sido assim com este discípulo?

Muitas vezes, nos arriscamos em coisas que estão muito além de nosso entendimento e deixamos de confiar em DEUS.
É ELE que tem o controle de tudo.

Ao invés de confiar que DEUs irá dominar e dirigir, olhamos para as probabilidades impossíveis e dificuldades terríveis e afundamos perigosamente.

“MESTRE, venha em meu socorro! Amém."

_*****_

Márcio Melânia

17 maio 2017

Devocional para Quarta-Feira, 17 de Maio de 2017



Hoje em dia a prática do jejum não é muito usual nas igrejas modernas, claramente foi algo que fazia parte da igreja primeva.

Há uma necessidade urgente para as vissitudes do nosso mundo atual que este exercício espiritual volte a ocorrer como prática cristã.

Somos enviados ao mundo todos os dias. Portanto, peçamos a DEUS que nos guie, e que ELE nos dê poder ao embarcarmos no serviço DELE no mundo.

"SENHOR, sei que amas todos os povos.  Por favor,  abençoe as pessoas que deixaram suas terras, a fim de compartilhar com amor o seu Evangelho com os perdidos. Ajude-nos também a fazer a nossa parte, em jejum e oração. Amém."

_*****_

Márcio Melânia

16 maio 2017

Devocional para Terça-Feira, 16 de Maio de 2017




A leitura de Eclesiastes tende a ter, em pessoas tolas, efeito semelhante ao que a pregação do evangelho tem em pessoas incrédulas.
Quando estas ouvem que a liberdade em CRISTO e a aprovação de DEUS provêm somente da fé, concluem que não precisam realizar qualquer boa obra.
Pensam que podem continuar pecando, pois a fé é suficiente. Por outro lado, quando nós pregamos que as boas obras são fruto da fé, esses incrédulos pensam que é por meio delas que serão salvos. Então tentam obter sua salvação realizando boas obras. Assim, ouvir a Palavra de DEUS frequentemente leva à arrogância ou ao desespero. É muito difícil evitar um desses extremos e encontrar o meio termo.


É isso o que acontece quando pessoas tolas ouvem o que Eclesiastes ensina sobre ter um coração calmo e quieto, que tudo deixa nas mãos de DEUS. Elas inferem que, se tudo está nas mãos de DEUS, não precisam realizar qualquer boa obra. Outras pessoas, que são tão tolas quanto essas, fazem o oposto. Preocupam-se demais, tentando sempre controlar tudo de todas as formas.


Nós, entretanto, devemos encontrar o meio termo. Precisamos trabalhar diligentemente, fazendo tudo o que pudermos e que não vá contra a Palavra de DEUS. Contudo, não devemos avaliar o nosso trabalho com base em nossos próprios esforços. Pelo contrário, devemos submeter todas as nossas realizações, soluções e sucessos a DEUS. O autor de Eclesiastes fala tanto àqueles que são preguiçosos como àqueles que são preocupados demais. Ele lhes diz para se submeterem completamente à Palavra de DEUS, bem como a trabalhar diligentemente. Assim, o autor de Eclesiastes proporciona uma boa advertência àqueles que não estão usando o meio termo.

Lutero

"SENHOR, ajuda-me a ter equilíbrio, ao me submeter à Tua Palavra. Amém."

_*****_

Márcio Melânia

15 maio 2017

Devocional para Segunda-Feira, 15 de Maio de 2017




Em nenhum momento dos Evangelhos encontramos Jesus afirmando que desistíssemos da nossa distinção moral, da nossa influência redentora, nem do impacto do nosso amor nas pessoas que convivemos.
O propósito da nossa presença como cristãos no mundo é poupar nossa sociedade de mais decadência ainda e temperar este mundo amargo, vingativo e doentio com Graça e Misericórdia.
Esta é o principal motivo de nossa existência como cristãos neste mundo tenebroso: revelar JESUS CRISTO por meio da presença do Espírito Santo em nós.

"Querido SENHOR, Santo e Majestoso, ajude-me a resistir à tentação de me conformar à minha cultura.  Ao invés disso, use-me como cristão para abençoar a outros e expandir a influência e o impacto do seu Reino.  No precioso nome de Jesus.  Amém."

_*****_

Márcio Melânia

14 maio 2017

Devocional para Domingo, 14 de Maio de 2017




Quando os cristãos louvam sinceramente, quando fazem exercícios espirituais de oração e jejum para buscar a vontade do Pai, Deus os chama para realizar serviço e missão.
O louvor cristão não é o fim em si mesmo, mas serve como base para a missão cristã.
Não devemos ficar envolvidos​ na experiência do louvor, de modo que ele se torne o fim em si. Compreendamos que o louvor serve para nos inspirar a louvar a DEUS e servir a outros no mundo no dia-a-dia (Romanos 12.1-2).
Enquanto estivermos​ louvando com nossos irmãos e irmãs em Cristo, prestemos atenção também às palavras dos cânticos, à mensagem da Escritura e à convicção do Espírito Santo no nosso coração.  Com certeza Deus estará nos chamando para uma missão especial no nosso mundo!

"Meu PAI Eterno, por favor, ajude-me a discernir a Sua vontade para a minha vida e a seguir Sua orientação enquanto estou lhe louvando.  No nome de Jesus eu oro. Amém."

_*****_

Márcio Melânia

_*****_


P.S.: Feliz dia das mães!

13 maio 2017

Devocional para Sábado, 13 de Maio de 2017




Todos os cristãos devem saber que não serão poupados do sofrimento por serem cristãos e que tal sofrimento deve ser digno de ser assim chamado.
Ele deve realmente nos ferir e abater, como acontece quando nossas posses, corpos e vidas são ameaçados. Nós precisamos senti-lo de verdade, pois se não machucasse, não seria sofrimento.
Além do mais, não podemos escolher, como algumas pessoas fazem, o nosso próprio sofrimento. Gostaríamos de ser poupados dele, se possível.

Precisamos estar firmes e nos reconciliar com esse sofrimento, pois precisamos sofrer para nos tornarmos mais parecidos com CRISTO. Não existe outra maneira. Todos os cristãos enfrentaremos a cruz de CRISTO e o sofrimento de alguma forma.


Se você tem o conhecimento pleno disso, então sofrer é mais fácil e mais suportável. Você pode se confortar dizendo: “Bem, se eu quero ser um cristão, devo vestir a camisa. Nosso querido CRISTO não distribui outras vestes para quem está do seu lado. Devo suportar esse sofrimento, pois ELE me dará forças para suportá-lo.

"SENHOR, preciso de Teu favor para suportar o sofrimento. Com o SENHOR ao meu lado, não há o que temer. Fica comigo, como quando estivesses no Caminho de Emaús. Amém."

Lutero,
com pequenas
adaptações de
Márcio Melânia

12 maio 2017

Devocional para Sexta-Feira, 12 de Maio de 2017



Em que caso a Graça é maior – para os que viram e creram ou para os que não viram e creram? Em que caso a Graça é maior, para aquela mulher de má fama, cujos muitos pecados foram perdoados por Jesus (Lucas 7.37, 47), ou para aquele verdadeiro israelita, um homem direito e sincero (João 1.47)? Em que caso a Graça é maior, para aquele levita nascido na ilha de Chipre que vendeu o terreno para ajudar os pobres (Atos 4.36-37) ou para aquele benjamita nascido em Tarso que prendia e torturava os cristãos (Atos 26.9-11)?


Seja a maravilhosa Graça menos extensa ou mais extensa, isso não importa muito. Onde aumentou a distância, a ignorância e o pecado, “a Graça de DEUS aumentou muito mais” (Romanos 5.20). A Graça de Deus é elástica!


Neste verso de hoje, parece que Pedro está bondosamente reconhecendo alguma vantagem dos crentes da Diáspora: eles nunca haviam visto o SENHOR, mas mesmo assim o amavam; eles continuavam sem ver o SENHOR, mas mesmo assim criam nele.


Não é o caso dos primeiros discípulos: eles viram e ouviram o SENHOR diversas vezes e ainda tocaram nele. O próprio Pedro e os dois filhos de Zebedeu chegaram a ver JESUS no monte da Transfiguração e no jardim do Getsêmani. Ele conta isso na Segunda Carta: “Com os nossos próprios olhos nós vimos a sua grandeza” e “nós mesmos ouvimos essa voz que veio do céu quando estávamos com o SENHOR JESUS no monte sagrado” (2 Pedro 1.17-18).

Enquanto Tomé, um dos Doze, ofereceu cuidadosa e pecaminosa resistência para acreditar na ressurreição do SENHOR, dizendo que só o faria caso visse o sinal dos pregos nas mãos dele e o sinal do corte feito no lado do corpo dele, aqueles que se converteram depois da ascensão de JESUS, além de crerem tranquilamente no SENHOR, ainda o amavam! Pedro foi muito justo ao reconhecer isso.


O povo de DEUS que vive espalhado por este mundo afora verá o SENHOR quando ele vier nas nuvens!

Maranata! Venha agora, SENHOR JESUS!

_*****_

Márcio Melânia

11 maio 2017

Devocional para Quinta-Feira, 11 de Maio de 2017



JESUS foi o exemplo perfeito deste mandamento, tanto na sua vida, como na sua morte.
O Amor tem tanto poder para redimir e mudar a vida.

Enquanto nem todos respondem a esse Amor, muitos respondem.  Ser bondoso nas nossas ações e amoroso de coração para
com nossos inimigos não é fácil, mas o Espírito de DEUS pode nos encher com o Amor de JESUS e nos ajudar a ter vidas cheias de Graça, mesmo na presença daqueles que nos odeiam.

   "Querido Deus, confesso que algumas pessoas que​ parecem estar determinadas em me criticar, subjugar, anular, rebaixar e derrotar não são fáceis de amar. Peço-Te que dê-me o caráter para resistir aos ataques deles e ajude-me a responder às suas ações de
maneira redentora e justa.  No Nome redentor e poderoso de JESUS eu oro. Amém."

_*****_

Márcio Melânia

09 maio 2017

Devocional para Terça-Feira, 09 de Maio de 2017




Normalmente, as crianças anseiam pelo Natal, por seu aniversário e as férias.  Elas ficam pensando quão maravilhosas essas coisas poderiam ser.
Os cristãos, anseiamos pelo céu e sonham com a possibilidade de ver o SENHOR face a face, de serem reunidos com aqueles que amam, que já foram morar com o SENHOR, e de compartilhar na Glória de JESUS e seus anjos.

Mas nem começamos a imaginar as grandes coisas que DEUS tem preparado para nós. São muito mais gloriosas do que qualquer coisa que podemos sonhar ou imaginar.  Então, vivamos na expectativa das grandes surpresas, e vivamos com paixão pela causa do Reino, sabendo que qualquer perda, qualquer ferida, qualquer tribulação “não podem ser comparados com a Glória a ser revelada em nós” (Romanos 8:18).

"Meu DEUS e Pai, sou grato a Ti por preparar um lugar de Glória para mim com o SENHOR no céu.  Acredito que ele é muito melhor do que qualquer coisa que consigo imaginar.  Obrigado, JESUS, por voltar ao céu para preparar esse lugar para mim.  Anseio o dia em que estarei na sua presença para prestar louvores ao SENHOR com os anjos.  Em nome de JESUS eu Te louvo e agradeço.  Amém."

_*****_

Márcio Melânia

08 maio 2017

Devocional para Segunda-Feira, 08 de Maio de 2017



Mateus retrata um JESUS judeu. Na verdade, ele o proclama como o Messias que era esperado havia muito tempo. A evidência para essa identidade judaica é inquestionável. JESUS estava inserido no Antigo Testamento. Ele se via como o cumprimento de toda a profecia do Antigo Testamento.


Mais que isso, Mateus registra duas ocasiões — que não têm paralelo nos outros Evangelhos — nas quais JESUS aparece sendo acusado de nacionalismo ou de preconceito étnico. Na primeira, referindo-se a seu próprio ministério, JESUS disse: “Eu fui enviado apenas às ovelhas perdidas de Israel” (15.24). Na segunda, referindo-se ao ministério de seus discípulos, ele disse a eles: “Não se dirijam aos gentios… antes, dirijam-se às ovelhas perdidas de Israel” (10.5-6).


No entanto, essa era apenas uma limitação histórica. JESUS estava dando à casa de Israel uma última chance. E acrescentou imediatamente que, mais adiante, seus discípulos seriam “testemunhas… aos gentios” (v. 18). E o mesmo Mateus que escrevera essas palavras sobre “as ovelhas perdidas” de Israel também narrou, no princípio de seu Evangelho, a visita dos magos gentios; e em seu final registrou a grande comissão de ir e fazer “discípulos de todas as nações” (28.19). Assim, embora o retrato de Mateus acerca de JESUS seja o mais judeu dos quatro, seria impossível representar JESUS como culpado de orgulho ou preconceito étnico. Ao contrário, JESUS deixou claro que o Israel renovado seria uma nação internacional.

"Que benção, SENHOR, poder participar deste momento contigo.
Obrigado por ter me escolhido ser um dos que Te servem. Oro por tantos outros que ainda desconhecem esta possibilidade. Amém."

_ ***** _

Márcio Melânia

07 maio 2017

Devocional para Domingo, 07 de Maio de 2017



É determinante estarmos conscientes de que ainda que fraquejemos nada nos separará deste amor infinito no qual estamos firmados, pois o arrependimento é infalível àquele que é habitado pelo Espírito Santo, e esta é apenas uma dentre tantas características divinas sedimentadas em nós a partir do momento em que somos salvos por CRISTO.

Este mundo corrompido e suas mazelas perecerão, mas aquele que faz a vontade do Pai permanece para sempre (1 João 2.17). Esta esperança nos basta para que tenhamos paz em meio às angústias que nos são impostas pela vida terrena.
Não importa o que tenha nos acontecido, DEUS nos oferece um futuro perfeito na eternidade junto a ELE. Confiemos.

"SENHOR, dá-nos um coração igual ao TEU, disposto a Amar de fato e em Verdade. Amém."

_ ***** _

Márcio Melânia

06 maio 2017

Devocional para Sábado, 06 de Maio de 2017




Acredito que devemos admitir que com as complicações e perplexidades da vida, até o mais inteligente de nós não é tão inteligente.
Segundo, o SENHOR nosso DEUS é Santo, Soberano, Majestoso, Poderoso, Sábio e Gracioso; ELE superexcede a nós e tudo que conseguimos entender DELE é só um pouco da sua glória.
Por último, devemos evitar qualquer coisa que tem a aparência do mal, sabendo que o mal nos infecta e nos confunde, assim como nos separa de DEUS.

 "Pai do Céu, sua Sabedoria é sem par, sua Graça incompreensível, sua Santidade incomparável e seu Amor além da nossa compreensão.
Agradeço pelo dom que nos permite estar na sua presença.
Por favor, fortaleça minha vontade de superar tentação, e aprofunde a minha sabedoria para enxergar o mal.  Por favor, dê-me o poder de
permanecer longe do mal e da influência dele na minha vida.  No
nome de Jesus eu oro.  Amém."


_ *****_

Márcio Melânia

05 maio 2017

Devocional para Sexta-Feira, 05 de Maio de 2017



Quando os filhos de Israel entraram na Terra Prometida, eles estavam se preparando para viver em casas permanentes em vez de tendas que eram desmontadas cada poucos dias ou semanas. Josué, emitiu um desafio para as familias israelitas. Que Deus ou deuses eles iriam servir? Serveriam os deuses do Egito onde foram escravizados? Serveriam os deuses adorados por diversos povos que encontraram em sua nova terra?
Eles tinham que fazer uma decisão, e sua decisão faria toda a diferença no mundo, não somente em suas vidas mas em toda sua história.

Há muitas escolhas que podemos fazer, no entanto, a que é absolutamente vital é para servir ao SENHOR. Podemos optar por ter os nossos falsos deuses (o amor ao dinheiro, roupas, jóias, esportes, TV, etc.) ou podemos escolher a caminhar com DEUS. Precisamos estar cientes de que tudo o que nós amamos mais do que Deus é um deus falso. Assim como Josué, o apóstolo Paulo nos exorta: “Não se amoldem ao padrão deste mundo, mas transformem-se pela renovação da sua mente, para que sejam capazes de experimentar e comprovar a boa, agradável e perfeita vontade de DEUS.” (Romanos 12:2)

Josué ordenou ao povo a arrepender-se, dizendo: “joguem fora os deuses estrangeiros que estão com vocês e voltem-se de coração para o SENHOR, o DEUS de Israel” (v. 23).

Josué tomou a decisão junto com sua família para servir ao SENHOR. Precisamos estar cientes de que nossas decisões têm conseqüências boas ou más, não somente sobre nós, mas também sobre outras pessoas. A decisão egoísta afeta nossas famílias de forma negativa. Da mesma forma, a decisão de servir a DEUS influencia positivamente nossas famílias.

Assim como Josué deu um bom exemplo para sua família seguir a DEUS, cada cristão deve fazer uma declaração semelhante à família que o SENHOR lhe deu. Embora Josué poderia dar o exemplo, ele não poderia fazer a escolha para eles, as pessoas tinham que escolher para si mesmas.  A quem você servirá hoje?

Eu tenho orado assim: “Eu e a minha casa serviremos ao Senhor”.


Márcio Melânia

04 maio 2017

Devocional para Quinta-Feira, 04 de Maio de 2017



(Tiago 1.7)

O ouro é o metal mais precioso que existe. Significa riqueza, opulência. No entanto, apesar disso, Tiago diz com tranquilidade que a fé vale muito mais do que o também chamado vil metal, mesmo testado pelo fogo. Essa afirmação do apóstolo é considerada simplesmente ridícula pela sociedade secularizada e também até mesmo por alguns crentes que não estão muito conscientes do valor da fé.

A fé é como o cano que leva a água da caixa d’água para a torneira, ou o fio que leva a energia elétrica da hidroelétrica para a lâmpada. A fé é o condutor que liga o Criador à criatura. Para valorizar certas coisas, é preciso fazer comparações e sobrepor uma à outra. É um método bíblico usado especialmente nos livros poéticos.

Zofar, um dos amigos de Jó, lamenta que os seres humanos não conheçam o valor da sabedoria e gasta tempo para dizer que ela vale mais do que o ouro puro, as pedras preciosas (ele cita a ágata, a safira e o topázio) e as pérolas.

O salmista garante que o pouco que os bons têm vale mais do que as riquezas de muitos maus (Salmos 37.16), que passar um só dia na casa do SENHOR vale mais do que passar mil dias em qualquer outro lugar (84.10) e que a Lei do SENHOR vale muito mais do que a soma de todas as riquezas do mundo (119.72). Salomão tem certeza de que o bom nome e o fato de ser estimado vale mais do que muita riqueza (Provérbios 22.1). Porque só os vivos têm esperança, “é melhor ser um cachorro vivo do que um leão morto” (Ecesiastes 9.4), mesmo sendo o leão o rei dos animais.

JESUS, por sua vez, lembra que, apesar de serem livres, desimpedidos e alimentados pelo próprio DEUS, os passarinhos têm muito menos valor do que o ser humano (Mateus 6.26).

"SENHOR, AUMENTA A NOSSA FÉ!"


Márcio Melânia

03 maio 2017

Devocional para Quarta-Feira, 03 de Maio de 2017



Esse é um exemplo maravilhoso que nos mostra como DEUS trabalha. ELE requer que confiemos em suas palavras e em suas promessas até mesmo quando o oposto dessas promessas estiver acontecendo conosco.
Jacó obteve a bênção prometida, mas precisou agarrar-se a ela por meio da fé e não duvidar do que não podia ver. Jacó nada tinha a não ser um cajado na mão e um pedaço de pão na sacola.
Ele estava pobre, sozinho e exilado, mas confiava nas promessas de DEUS. O exemplo de Jacó nos ensina a viver pela fé. Devemos crer em DEUS quando ELE promete nos amar e nos proteger, cuidar de nós e nos ouvir, mesmo que não possamos ver isso acontecendo.


Essa história foi escrita como um exemplo para nós. Devemos aprender a confiar na Palavra visível do nosso invisível e incrível DEUS. Pelo fato de DEUS não mentir nem nos enganar, esperamos com confiança e paciência que ELE cumpra sua promessa. Isso é difícil para nós porque estamos acostumados a coisas que podemos tocar, ver ou sentir. Precisamos aprender a abandonar o que podemos experimentar apenas com nossos sentidos e viver de acordo com o que é invisível.

"SENHOR, ensina-a depender de TI!"
   


Lutero
com alterações
de Márcio Melânia

02 maio 2017

Devocional para Terça-Feira, 02 de Maio de 2017



Nossas piores tendências querem pagar mal com mal, desprezo com
desprezo, mesquinharia com mesquinharia e ódio com ódio. DEUS
sempre quis que seu povo fosse uma influência redentora no seu mundo, sociedade e relacionamentos. Paulo relembrou os cristãos em Roma que não deviam “pagar o mal com mal” (Romanos 12.17). Aqui, o homem sábio de Deus nos ensina uma verdade semelhante.  O amor tira o
rancor de situações difíceis, enquanto o ódio aumenta o ardor da
amargura e ira. Fomos chamados para sermos pessoas diferentes que tornam o mundo um lugar diferente.  Não é sempre fácil, mas é sempre poderoso.

"PAI, confesso que quando estou contrariado, fico brabo e tentado a devolver da mesma forma.  Por favor, remova o lado escuro do meu caráter através da influência redentora e purificadora do seu Espírito Santo, e do amor que o Espírito inspira.  No nome de Jesus eu oro.  Amém."


Iluminalma,

republicado por
Márcio Melânia

01 maio 2017

Devocional para Segunda-Feira, 01 de Maio de 2017



“Não era isso que eu queria dizer.”
Esta é a desculpa muito conhecida e muito utilizada, entretanto não é uma boa desculpa.
Toda palavra dita revela o que já está no coração. Aquilo do que o coração está cheio, seja o que for, bom ou ruim, revela-se nas palavras de nossa boca.

O que nossa palavras revelam sobre o nosso coração?

"Ó DEUS, minha vida precisa estar ligada profundamente em Tua obra redentora de modo que as palavras que, inesperada e acidentalmente, saem de minha boca sejam palavras de louvor e exclamações de confiança que honrem ao SENHOR. Ajuda-me a ser assim, SENHOR! Amém."


Márcio Melânia

30 abril 2017

Devocional para Domingo, 30 de Abril de 2017




Pedro desenvolve aqui uma passagem do livro de Provérbios: “O ódio provoca dissensão, mas o amor cobre todos os pecados” (Pro​vérbios 10.12). E é isto o que Pedro quer dizer: Se você não refrear a sua natureza e desejos pecaminosos, você facilmente se tornará irado com outras pessoas. Você será incapaz de perdoar aos outros facilmente. Assim, certifique-se de que você restringe os seus desejos maus. Então, você será capaz de amar e perdoar aos outros, pois o amor cobre pecados.


Algumas pessoas interpretam esse versículo como se ele fosse contra a fé. Elas podem dizer: “Você afirma que somente a fé torna uma pessoa piedosa e que ninguém pode se desvencilhar do pecado por meio das suas obras. Então, por que Salomão e Pedro dizem que o amor cobre pecados?”. Você pode respondê-las assim: “Salomão está dizendo que aquele que odeia outra pessoa não para de procurar brigas e contendas.


Mas, onde há amor, este cobre o pecado por perdoá-lo de bom grado. Onde há ira, você encontrará uma pessoa desafiadora que não se reconcilia e que permanece cheia de ódio. Por outro lado, as pessoas cheias de amor não se tornam iradas, não importa o quanto alguém tente ofendê-las.


Elas cobrem todos esses pecados e fingem não vê-los. Apesar de conseguirem menosprezar o pecado do seu próximo, elas não podem fazer com que D​EUS os menospreze. Ninguém pode cobrir o seu próprio pecado diante de D​EUS. Somente a fé pode fazer isso.


Mas, com o nosso amor, podemos cobrir o pecado do nosso próximo. E, assim como DEUS cobre os nossos pecados com o seu amor se nós crermos, assim também nós devemos cobrir o pecado do nosso próximo. Pedro diz que devemos amar uns aos outros para que uma pessoa possa cobrir o pecado da outra. O amor não cobre apenas um, dois ou três pecados, mas toda ​"​uma multidão de pecados”.

Martinho Lutero


29 abril 2017

Devocional para Sábado,29 de Abril de 2017




Se sentir abatido é uma experiência muito desagradável (aquele que já passou por isso sabe bem). Para os que não estão acostumados com isso, a coisa se torna bem mais complicada. É disso que se queixa o salmista: “Minha alma ficou abatida”. Ele não estava abatido até que tomou conhecimento de uma investida da parte dos que não o queriam bem.

De um degrau mais alto desceu para um degrau mais baixo. De uma situação mais confortável desceu para uma situação menos confortável. De uma condição de ânimo desceu para uma condição de desânimo. A queda afetou a saúde espiritual, a saúde emocional e a saúde física. Trouxe algum transtorno para o homem todo.

Essa não é a primeira nem a última vez que o salmista passa por esse desconforto. Ele já havia confessado no Salmo 38: “Estou encurvado e muitíssimo abatido” (38.6). Já havia se questionado em outros salmos ainda: “Por que você está assim tão triste, ó minha alma?” (42.5, 11; 43.5). Existem muitos graus de abatimento, do mais leve ao mais tenebroso. Alguns tipos duram somente um minutinho de desânimo, outros parecem demorar uma eternidade. Estar abatido pode ser traduzido em alguns sinônimos leves tais como: desalento, desânimo e outro em um sinônimo assustador: depressão.

No caso do salmista, ele soube lidar com a má notícia e com o transtorno causado por ela. No mesmo poema, ele declara não só o seu abatimento (“Fiquei muito abatido”), mas também a sua fortaleza (“Meu coração está firme, ó DEUS”). Para nós, resta seguirmos a direção apontada pelo salmista: sair do desalento/desânimo/depressão para assumir uma posição de firmeza/fortaleza estabelecida no SENHOR, a Rocha dos Séculos (Isaías 26.4).

"Rocha eterna, meu JESUS,
Quero em Ti me refugiar!
O Teu sangue lá na cruz,
Derramado em meu lugar,
Traz as bênçãos do perdão:
Gozo, paz e salvação.

Não por obras nem penar,
Plena paz terei aqui.
Só Tu podes consolar,
Rocha eterna, só na cruz
Eu confio, ó meu JESUS!

Quando o derradeiro olhar
A este mundo aqui volver,
E no trono eu te encontrar,
Teu chamado a responder;
Rocha eterna espero ali
Abrigar-me, salvo, em Ti."

video


Márcio Melânia

28 abril 2017

Devocional para Sexta-Feira, 28 de Abril de 2017




O Salmo 85 é uma oração pela restauração, profundamente enraizada na fé em DEUS.
A ambientação deste Salmo indica ser o restabelecimento do povo de Deus após tremenda situação por que havia passado — provavelmente o cativeiro na Babilônia.
Neste poema, o povo ora pelo reavivamento de seu espírito e renovação da sua terra.

"Tornarás a vivificar-nos". É a oração do povo pelo seu próprio bem-estar e por uma nova perspectiva de adoração a DEUS.
Neste Salmos, transparece os quatro atributos divinos - misericórdia, verdade, justiça e paz - personificados. O salmista se vale deste belo recurso poético para descrever as bênçãos que DEUS vai derramar sobre seu povo.
A realização final desta prece, somente acontecerá quando do glorioso reino definitivo de JESUS, o Salvador.

"DEUS, por favor perdoe-me pelos meus pecados. Ter o SENHOR na minha vida, honrar Seu Reino com meu comportamento e honrar o SENHOR na minha vida com a minha bondade são muito importantes para mim.  Por favor, ressuscite-me de novo e capacite-me para amar, para fazer boas obras, e viver uma vida santa para que o SENHOR seja louvado.  No nome de JESUS.  Amém."



Márcio Melânia

27 abril 2017

Devocional para Quinta-Feira, 27 de Abril de 2017




Neste mundo de lutas, tentações e tribulações podemos nos cansar e nos enfadar da vida antes de buscarmos e encontrarmos a companhia de CRISTO. Para aprender a viver aqui temos de “entregar os pontos”.



Este  texto bíblico de hoje nos traz um pranto da frustração.  É um lamento que chama a atenção de Deus. A Bíblia diz: “O Senhor está perto dos que têm o coração quebrantado, e guarda os contritos de espírito.”


Quando compreendemos que nossa própria capacidade, bondade e moralidade são insuficientes diante de Deus e entendemos que dependemos inteiramente DELE, tudo fica diferente.

"SENHOR e Salvador, sei que nos vales da vida, eu posso me apegar a ti. Assim digo com meu coração que tu és meu Deus e Conforto. Em Jesus. Amém!"
                     

Márcio Melânia

26 abril 2017

Devocional para Quarta-Feira, 26 de Abril de 2017



O dia está repleto de possibilidades.
A ordem de JESUS desperta-nos de uma timidez sonolenta.
ELE não nos pede para ir ao mundo e conquistá-lo, mas nos chama a carregar o jugo com ele.
ELE não nos pede para fazer algo que não promete fazer conosco.
O convite para estarmos com ELE é maior do que a ordem que nos envia ao mundo.


Como tem funcionado o jugo de Jesus em sua vida?


“Vinde a mim, vós, cansados, e eu vos darei descanso. Ó bendita voz de Jesus, que vem aos corações oprimidos! Ela fala de bênção, de perdão, de graça e de paz, da alegria que não tem fim, do amor que não pode cessar.” Amém.



Márcio Melânia

25 abril 2017

Devocional para Terça-Feira, 25 de Abril de 2017



Amor e ódio são exclusivos: ou se ama ou se odeia. Mas, em determinadas ocasiões, amor e ódio formam uma dupla virtuosa. 
O salmista faz um elogio ao personagem central do Salmo 45: Ele ama a justiça e odeia a iniquidade. Quem ama a justiça tem a obrigação de odiar a iniquidade. Quem odeia a iniquidade se apega com amor à justiça. É sempre nesse caso que amor e ódio podem andar de mãos dadas. O contrário seria contraditório.

Quem é o personagem central do Salmo 45?
É o Noivo real que está se casando com a Noiva real, o príncipe que se encantou com a beleza da princesa.
Esse homem é exaltado sobremaneira e DELE se diz: “Amas a justiça e odeias a iniquidade; por isso DEUS, o teu DEUS, escolheu-te dentre os teus companheiros ungindo-te com óleo de alegria” (v. 7).

Por causa da abundância de entusiasmo por esse noivo, descobre-se que por trás dele está aquele noivo da parábola das dez virgens em Mateus 25.1-13, o Noivo que chegou para o casamento em dia e hora que ninguém sabia, o Noivo que “amou a Igreja e entregou-se por ela para santificá-la e para apresentá-la a si mesmo como Igreja gloriosa, sem mancha nem ruga, mas santa e inculpável” (Efésios 5.25,26). Este Noivo é JESUS!
   
Há duas coisas que JESUS sempre fez com perfeição: amar a justiça e odiar a iniquidade! 
   
"SENHOR! Como Igreja que somos, aguardamos ansiosamente a Tua vinda para nos buscar, odiando a iniquidade e amando a Justiça. MARANATA!"

Márcio Melânia

24 abril 2017

Devocional para Segunda-Feira, 24 de Abril de 2017




Às vezes a alma está abatida, a tristeza se instala no íntimo, e muitas vezes o peso do pecado é insuportável, a confusão toma conta da mente, todos os recursos próprios vão por água abaixo, só nos resta a misericórdia divina — então, aflitos derramamos uma multidão de súplicas diante do trono de DEUS.

Foi assim com o rei e salmista Davi, depois do adultério e do assassinato do marido traído, ele precisava de perdão e de purificação, e de muito mais. No início deste Salmo 51, Davi pede encarecidamente que DEUS o perdoe e o purifique, mas não fica somente nesses pedidos. Ele estende diante do Senhor cada uma de suas urgentes necessidades:

1) “Faze-me ouvir de novo júbilo e alegria”;
2) “cria em mim um coração puro”;
3) “renova dentro de mim um espírito estável”;
4) “não me expulses da tua presença”;
5) “nem tires de mim o teu Santo Espírito”;
6) “devolve-me a alegria da tua salvação”;
7) “sustenta-me com um espírito pronto a obedecer”; e
8) “dá palavras aos meus lábios”.

Perdão e purificação são bênçãos indispensáveis, porém acidentais. Elas se tornam necessárias depois de alguma rebelião contra DEUS. As outras bênçãos são o pão nosso de cada dia — medidas preventivas para evitar ou tornar mais difíceis outros escorregões. Para não voltar a adulterar nem a assassinar os maridos traídos, precisamos de alegria interior, de coração puro, de renovação, de sustento e da presença contínua do Espírito dentro de nosso ser!
                                  
"SENHOR, sê propício à mim, pecador!"
                       

Márcio Melânia

23 abril 2017

Devocional para Domingo, 23 de Abril de 2017




(Romanos 10.16-17)

Quando nos deparamos com as verdades bíblicas tendemos a renunciá-las, acatando somente o que nos convém ou é palatável. É assim com a Palavra de DEUS.

Ser cristão também significa ser capaz de reconhecer que somos falhos e pecadores, e que precisamos de um SALVADOR, do contrário qual seria o sentido do sacrifício de CRISTO?
Somos confrontados, pela Biblia, com a nossa natureza pecaminosa e rebelde como ela é. Daí, temos a chance de mudar através das obras realizadas em nós pelo Espírito Santo, uma vez que nos tornamos submissos a DEUS. Para tanto, é necessário admitir que nascemos em pecado e precisamos nos arrepender.

Os cristãos de hoje não querem ler a Bíblia, querem apenas as bênçãos de DEUS, e quando a leem valem-se de passagens isoladas para justificar heresias cometidas por eles mesmos ou por falsos mestres. Preferem viver no erro a sair da zona de conforto e aprender o que DEUS realmente quer que façamos. Creem que basta dizer ‘’SENHOR, SENHOR’’: ‘’Nem todo o que me diz: SENHOR, SENHOR! Entrará no reino dos céus, mas aquele que FAZ A VONTADE DE MEU PAI, que está nos céus. ’’ – (Mateus 7.21)

A vontade DELE está exposta nas Escrituras, e somente nela. Por mais que muitos ensinamentos e princípios bíblicos nos sejam doloridos de aceitar, não cabe a nós ignorá-los ou modificá-los para torná-los convenientes aos nossos desejos e interesses. Ou somos cristãos ou não somos, e ser pressupõe ler a acatar o que o SENHOR nos ensina, ainda que machuque e dilacere o nosso ego ou crenças fundamentadas em um falso evangelho.

No Evangelho não dá para ficar em cima do muro, ou amamos a Palavra inteiramente ou a desprezamos totalmente. Não há meio-termo. O verdadeiro evangelho existe para nos transformar em filhos de DEUS por completo, não pela metade. Abracemos toda a verdade contida na Bíblia e peçamos entendimento ao Pai para compreender o que está lá. Exerçamos a doutrina de CRISTO como ela é, sem adaptá-la aos nossos próprios anseios.
Agrademos a Deus fazendo a Sua vontade, e somente a Sua.

 "Ajuda-me, SENHOR!"

Márcio Melânia

22 abril 2017

Devocional para Sábado, 22 de Abril de 2017



Um dos anseios mais profundos da humanidade é descobrir a vontade de DEUS.
Mas como podemos saber qual é a vontade de DEUS?
Israel se encontrava diante de duas opções. De um lado, havia os cananeus com suas práticas de bruxaria, feitiçaria e adivinhação, mas DEUS tinha proibido seu povo de imitá-los. Por outro lado, eles poderiam prestar atenção à voz de DEUS que vinha até eles através dos profetas. Era uma questão de ouvir. Eles não deveriam dar ouvidos “aos que praticam magia e adivinhação”. Mas “o SENHOR, o seu DEUS levantará do meio de seus próprios irmãos um profeta” (18.14-15) a quem eles deveriam ouvir.

Essa promessa divina provavelmente se referia à série de profetas que DEUS concedeu a Israel. Mas durante o período intertestamentário, com o silenciar da voz dos profetas, a expressão “o Profeta” passou a ser reconhecida como um título messiânico.
Assim, quando JESUS veio, as multidões disseram: “Sem dúvida este é o Profeta que devia vir ao mundo” (João 6.14). Pedro aplicou claramente esta promessa a JESUS (Atos 3.22) em um de seus primeiros sermões. Porém, JESUS não foi apenas mais um profeta da longa série de profetas através dos séculos. Ele foi o cumprimento de todas as profecias, aquele no qual todas as promessas de DEUS encontram o “sim” (2Coríntios 1.20). Mesmo assim, nós ainda o saudamos como “o Profeta”, aquele que como Moisés conhece o SENHOR “face a face” (Deuteronômio​ 34.10), e em quem a revelação de DEUS atinge sua plenitude.

É impressionante como no Monte da Transfiguração DEUS, o Pai, aplicou a JESUS o que ELE mesmo havia ordenado em Deuteronômio 18.15.

Esta mesma ordem ele dá a todos nós: “Ouçam-no!” (Mc 9.7).

"Abre os nossos ouvidos para te ouvir, SENHOR!"

 

Rev. John Stott
adaptado por

Márcio Melânia

21 abril 2017

Devocional para Sexta-Feira,21 de Abril de 2017



No original hebraico o autor deste Salmo, o rei Davi, diz para a sua própria alma que esta se dedique a louvar ao SENHOR. O desejo de Davi, de louvar a Deus a cada momento, pode também brotar em nossas almas.
Temos grandes motivos para louvar a DEUS e a JESUS CRISTO, e podemos fazê-lo de corpo e alma, sempre e agradecendo pelas muitas bênçãos recebidas.
Também neste momento de gratidão, é primevo compreender e aceitar que estamos na condição de pecador que é perdoado por DEUS e que esta é a chave da felicidade.
 No Evangelho de Mateus (9.6), JESUS também revelou essa autoridade e disposição para perdoar pecados e de curar​ todas as nossas doenças.
Além de perdoar os nossos pecados, DEUS nos abençoa com saúde e vida, e quer que tenhamos vida abundante (João 10.10).
Compreendemos que às vezes DEUS não remove uma doença, mas mesmo nesses casos ele está junto e operando seus bons propósitos e operando Sua vontade nos dando força para suportar o sofrimento. "Todavia, DEUS, que é rico em misericórdia, pelo grande Amor com que nos amou, deu-nos Vida Eterna juntamente com CRISTO, quando ainda estávamos mortos em transgressões — pela Graça somos salvos. DEUS nos ressuscitou com CRISTO e com ele nos fez assentar nos lugares celestiais em CRISTO JESUS, para mostrar, nas eras que hão de vir, a incomparável riqueza de sua Graça, demonstrada em sua bondade para conosco em CRISTO JESUS.” (Efésios 2.1, 4-7).

 "Que tudo que existe em mim, louve ao SENHOR!"

Márcio Melânia

20 abril 2017

Devocional para Quinta-Feira, 20 de Abril de 2017



Falando de novo sobre o Amor!
O amor precisa ser um tema tão novo quanto é a última notícia de violência, de guerra, de morte, de injustiça, de tragédia, de racismo. Porque o pecado sempre de novo se manifesta, o amor deve ser tema e vivência atualizados.
Neste primeiro livro escrito por João, ele deixa claro para nós cristãos de onde vem o amor, como o amor se manifesta, e como amar a Deus sendo Ele invisível.
João afirma que a origem e a fonte do amor é DEUS, revelado em JESUS CRISTO.
Em seguida, João defende que o amor de DEUS, testemunhado e experimentado por intermédio de seu Filho JESUS CRISTO, atualiza-se por meio da “lógica” do “amor uns aos outros”.
Deus amou primeiramente enviando o Salvador do mundo (João 3.16). Seu amor é gratuito, imerecido e garantido. O perdão torna sensível a perdoar e amar o próximo. O rompimento de relações fraternas com o próximo provoca ruptura nas relações com Deus (Mateus 5.23s.). Deus quer ser amado por meio do semelhante.
A ausência da vivência do amor é anticristã. Agostinho afirmou enfaticamente que se “tu que rompes a unidade da Igreja de Deus, a qual ele congregou [...], vens fazer o contrário de Cristo, és anticristo!”.
Quem não ama é contra Deus. Por isso, a práxis do amor requer o novo nascimento (João 3.1-15). Amar de todo o coração, de toda a alma e força (Deuteronômio​ 6.5) requer o renascimento diário.
Contudo, não podemos esquecer que os cristãos que crêem e amam também oram “sem cessar, pois é preciso acautelar-se permanentemente contra pecados e injustiça” (Lutero).

"Ensina-me a amar o meu próximo como eu amo a mim, SENHOR!"


Márcio Melânia

19 abril 2017

Devocional para Quarta-Feira, 19 de Abril de 2017



Como é bom ler o testemunho de confiança em DEUS exalado pelo autor deste Salmo.
Muito de nós recitamos de cor o testemunho de confiança em DEUS usando esta Palavra.
Faz bem à nossa saúde apropriar-se deste testemunho de confiança em DEUS.

Contudo, é preciso investigar a fundo se estamos prontos a personalizar este testemunho.
Em vez de declarar que não temeremos “ainda que a terra trema” e que “os montes afundem no coração do mar”, deveríamos deixar bem claro que não temeremos ainda que nossos sonhos e planos afundem no coração do mar, ainda que nossa segurança financeira desabe de uma hora para outra, ainda que venhamos a ser surpreendidos por um câncer no cérebro, ainda que um filho morra de uma forma terrível.

Parece que é muito fácil recitar este Salmo 46, que impulsionou Martinho Lutero a compor o famoso hino da reforma "Castelo Forte é Nosso DEUS", do que enfrentar, de fato e com coragem, os dissabores e os imprevistos da vida.
De qualquer forma, podemos ir avançando aos poucos na conquista de uma confiança cada vez maior, cada vez mais ousada, cada vez mais consciente.
Até o ponto de orar como o profeta Habacuque orou: “Mesmo não florescendo a figueira, e não havendo uvas nas videiras, mesmo falhando a safra de azeitonas, não havendo produção de alimento nas lavouras, nem ovelhas no curral, nem bois nos estábulos, ainda assim eu exultarei no SENHOR e me alegrarei no DEUS da minha Salvação” (Habacuque 3.17,18).
Oremos assim.

Márcio Melânia

18 abril 2017

Devocional para Terça-Feira, 18 de Abril de 2017



"Pois da mesma forma como em Adão todos morrem, em CRISTO todos serão vivificados." 1 Coríntios 15.22 

"Paulo está falando aqui somente sobre os cristãos.
Ele quer nos ensinar e confortar a respeito de serem vivificados em CRISTO.
Apesar de que os não cristãos também ressuscitarão dos mortos, a ressurreição não será um conforto nem alegria para eles, porque estes serão levantados para julgamento, e não para vida.
Essa não é uma mensagem confortadora nem feliz para o mundo. Os ímpios não querem ouvi-la.
Era assim que eu me sentia quando queria ser um monge santo e tentava ser piedoso.
Eu preferia ouvir sobre todos os demônios no inferno a ouvir sobre o dia do julgamento. Meus cabelos ficavam em pé só de pensar nisso.
O mundo todo odeia pensar em ter de deixar essa vida. As pessoas não querem morrer e ficam horrorizadas quando falamos de morte e do período após a morte. Além disso, todos nós estamos presos na baboseira da nossa própria santidade e pensamos que, por meio das nossas próprias vidas e das nossas obras, poderemos aplacar o julgamento de DEUS e ganhar um lugar no céu.
Tudo o que conseguimos com isso é nos tornarmos piores e mais hostis em relação ao dia do julgamento.
Não direi coisa alguma sobre o grande número de pessoas que procuram todo o seu prazer e conforto aqui nesta vida, que menosprezam a Palavra de DEUS e que não dão um centavo sequer para DEUS e Seu Reino.
Não é de se surpreender que tais pessoas se irritem ao ouvirem sobre a ressurreição. Mas, para nós, essa mensagem é puro conforto e alegria, porque ouvimos que o nosso maior tesouro já está no céu. Somente uma pequena parte permanece na terra, a qual CRISTO ressuscitará e atrairá para si mesmo com a mesma facilidade que se desperta alguém do sono."

"SENHOR, aguardamos ansiosamente por este dia glorioso. Maranata!"

Martinho Lutero.
com adaptações de
Márcio Melânia

17 abril 2017

Devocional para Segunda-Feira, 17 de Abril de 2017



Estar em CRISTO nos proporciona novas possibilidades através da confiança que adquirimos em DEUS. Passamos a ter plena consciência de quem ELE é e do que é capaz de fazer. Observamos Sua mão poderosa traçando cada jornada, muitas das quais devemos atravessar diariamente para que tenhamos a fé solidificada, e assim tenhamos o nosso relacionamento com DEUS, fortalecido.


Há várias razões que tentam surrupiar a crença de que DEUS​ é Todo-Poderoso, capaz de fazer infinitamente mais do que imaginamos. Se permitirmos que os desapontamentos da vida nos impeçam de enxergar o verdadeiro poder de DEUS perderemos a maravilhosa experiência que é viver de fé em fé, como CRISTO nos ensina.


Momentos de fraqueza acontecem, e neles precisamos buscar a DEUS com ainda mais afinco, e então sairemos de qualquer batalha ainda mais fortes e preparados para expressar o significado do Evangelho. Milagres acontecem incessantemente, olhe ao redor de si agora mesmo e verá diversos deles tomando curso neste exato instante! DEUS continua tendo todo o poder, ainda que sejamos relutantes em acreditar e que as mazelas da vida insistam em nos cegar espiritualmente.


Mesmo sendo cristãos, muitas vezes permitimos que dúvidas germinem em nossas mentes e prejudiquem a nossa fé. Interiormente, questionamos se DEUS realmente pode fazer o que promete, quando ELE nos dá todos os motivos para crermos que ELE é digno de toda a nossa confiança.


Todos nós temos nossas próprias experiências com DEUS, mas quando somos transformados em filhos DELE e olhamos para cada acontecimento pretérito percebemos o cuidado e o zelo DELE para com cada um de nós. Nunca fomos abandonados, nem nos momentos em que a tristeza ou os problemas foram terrivelmente intensos e lancinantes. Sempre fomos assistidos e amparados por ELE, e hoje temos a oportunidade de descansar NELE, convictos de que ELE merece toda a nossa confiança.


É necessário entender que o SENHOR não falha, embora nós falhemos. Não pautemos a perspectiva que temos de DEUS baseando-nos em como vemos a nós mesmos. ELE é perfeito e sempre cumprirá o que promete. Confiemos!

Creio assim!

Márcio Melânia

16 abril 2017

Devocional para Domingo, 16 de Abril de 2017



“Apareceram-lhes dois varões com vestes resplandecentes…  e lhes falaram: Por que buscais entre os mortos O que vive? ELE não está aqui, mas ressuscitou.” (Lucas 24.1-6).

 O evangelista Mateus conta que, depois disto, o próprio “JESUS veio ao encontro delas, e disse: Salve! E elas, aproximando-se, abraçaram-lhe os pés, e o adoraram” (Mateus 28.9).

Os discípulos Pedro e João, quando souberam desta aparição de JESUS às mulheres, foram também ao sepulcro, correndo o mais que podiam, e o acharam… aberto e vazio! (João 20.1-10).

À tarde, naquele mesmo dia, outros dois discípulos, não acreditando nestas notícias surpreendentes, resolveram voltar para casa, em Emaús. Então, “o próprio JESUS se aproximou e ia com eles.” Os dois discípulos não o reconheceram, senão mais tarde, em casa, quando JESUS, sentado à mesa, partiu o pão do modo como o havia feito em Jerusalém, na quinta-feira anterior, quando instituiu a Santa Ceia. Que emoção sentiram aqueles homens! Sua tristeza transformou-se em exultação, a tal ponto que eles “na mesma hora, levantando-se, voltaram para Jerusalém onde acharam reunidos os onze e outros com eles, os quais diziam: O SENHOR ressuscitou e já apareceu a Simão!… ”. E, imagine, “Falavam ainda estas coisas quando JESUS apareceu no meio deles e lhes disse”Paz seja convosco!” (Lucas 24.13-36).

Nesta semana, chamada Semana Santa (que coincide com a Páscoa judaica), os cristãos de todo o mundo reafirmam sua fé no caráter expiatório da morte de JESUS e proclamam que seu SALVADOR está vivo, é SENHOR e voltará! É o que diz a Bíblia: “De fato, CRISTO ressuscitou dentre os mortos, sendo ele as primícias dos que dormem… todos serão vivificados em CRISTO. Cada um, porém, por sua própria ordem: CRISTO, as primícias; depois os que são de CRISTO, na sua vinda. E então virá o fim…” (1 Coríntios 15.20-24).

Você crê mesmo que JESUS CRISTO é o Filho de DEUS, que ELE veio ao mundo para salvá-lo dos seus pecados e da consequente morte espiritual?

Crê que ELE morreu por você, fazendo expiação dos seus pecados, ressuscitou, está vivo e voltará? “Crê no SENHOR JESUS e serás salvo” (Atos 16.31).

Márcio Melânia
baseado em texto do
Rev. Éber Lenz César

15 abril 2017

Devocional para Sábado, 15 de Abril de 2017



“Porque CRISTO, quando nós ainda éramos fracos, morreu a seu tempo pelos ímpios” (Romanos 5.6). “Mas Deus prova o seu próprio amor para conosco pelo fato de ter CRISTO morrido por nós, sendo nós ainda pecadores” (Romanos 5.8).


Na Palavra de Deus, na Bíblia Sagrada está registrado nas Escrituras que CRISTO JESUS foi preso e levado como malfeitor à presença de juízes ímpios; sendo insultado e tratado com desprezo.

Sabemos que se o nosso SENHOR tivesse desejado, imediatamente seria liberto. Precisaria apenas ordenar e seus inimigos cairiam por terra. Sem dúvida, esse foi um dos momentos em que CRISTO experimentou intenso sofrimento.

Sofrer por quem amamos e, em algum aspecto, dignos de nossas afeições é um tipo de sofrimento que podemos entender. Submeter-nos passivamente aos maus tratos, quando não temos poder para resistir-lhes, é uma atitude compreensiva.

No entanto, ser preso e sofrer voluntariamente, quando temos o poder para impedi-lo, em favor de ímpios e ingratos, que não pediram tal coisa – esta é uma atitude que ultrapassa o entendimento humano.


Ao meditarmos no sofrimento de CRISTO, jamais nos esqueçamos de que isto constitui a glória de seus sofrimentos: ELE foi levado preso e apresentado diante do tribunal de julgamento do sumo sacerdote, não por ser incapaz de impedir isso, mas por estar determinado em salvar pecadores, sendo punido no nosso lugar.

JESUS CRISTO tornou-se um prisioneiro voluntário, para que fôssemos postos em liberdade, absolvidos e declarados justos diante de DEUS. “Pois também CRISTO morreu, uma única vez, pelos pecados, o justo pelos injustos, para conduzir-vos a Deus” (1 Pedro 3.18).


A substituição voluntária de JESUS CRISTO é uma doutrina que precisa ser ensinada com clareza. CRISTO JESUS sofreu e morreu voluntariamente em nosso lugar, sem resistir. ELE estava consciente que veio para ser o nosso Substituto, e que por meio dessa santa substituição adquirisse para SI um povo santo, zeloso e de boas obras. Medite nestas coisas!


"DEUS ETERNO, sou infinitamente grato, pela TUA Misericórdia e Graça, por teres providenciado Teu Único Filho para morrer em meu lugar."


Márcio Melânia

14 abril 2017

Devocional para Sexta-Feira, 14 de Abril de 2017



​​Aproveitemos para neste dia, também meditar, com profundidade, nas “sete palavras de Cristo na cruz” antes de sua morte. É como um testamento DELE:

“PAI, perdoa-lhes, pois não sabem o que fazem”

“Em verdade te digo: hoje estarás comigo no Paraíso”

“Mulher, eis aí o teu filho… Eis aí a tua mãe”
“Tenho Sede!”

“ELI, ELI, LEMA SABACHTANI? – Meu DEUS, meu DEUS, por que me abandonastes?”

“TETELESTAI! Tudo está consumado!”

“Pai, em tuas mãos entrego o meu Espírito!”.


Márcio Melânia

13 abril 2017

Devocional para Quinta-Feira, 13 de Abril de 2017



“E Herodes, quando viu a JESUS, alegrou-se muito; porque havia muito que desejava vê-lo, por ter ouvido dele muitas coisas; e esperava que lhe veria fazer algum sinal. E interrogava-o com muitas palavras, mas ele nada lhe respondia. (Lucas 23.8-9)

"Nosso SENHOR foi com frequência um ponto de união para homens perversos, não por Sua intenção e propósito, mas devido que se uniram com objetivo de se oporem a ELE. Frequentemente sorrio em meu coração ao ver como a superstição e o ceticismo marcham juntos quando estão ansiosos de se oporem ao Evangelho. Então, o saduceu disse: “Dá-me tua mão, querido fariseu; temos um interesse comum aqui, pois esse quer transtornar a nós todos.” O Evangelho é o inimigo mortal tanto do cético saduceu como do supersticioso fariseu, e assim deixam de lado as diferenças para lançarem-se contra ELE. Agora, se os malvados se unem diante de nosso SENHOR JESUS quando ELE está vestido com o manto branco, não deveria Seu povo estar mais unido, especialmente lembrando-se que ELE​ disse: “Um novo mandamento vos dou: Que vos ameis uns aos outros.” (João 13.34)

Eu os exorto por sua reverência para com ELE, a quem chamam de MESTRE e SENHOR, que se por acaso possuem alguma diferença de qualquer tipo com algum irmão cristão, que não permitam que sol se ponha enquanto não houverem dado fim a isso por um sincero amor a JESUS. Que seja visto que CRISTO é o grandioso unificador de todos aqueles que estão NELE. Ele quer que nos amemos uns aos outros como ELE nos tem amado, e Sua oração é que sejamos um. Que o SENHOR ouça essa oração, e nos faça um em CRISTO JESUS. Amém."

Charles Spurgeon,
(trecho de sermão)

12 abril 2017

Devocional para Quarta-Feira, 12 de Abril de 2017



Em Jerusalém, a perseguição começou com os samaritanos e continuou mais tarde com outros que estavam ansiosos para interromper a reconstrução do templo. Eles foram bem-sucedidos durante algum tempo, e nesse período ocorreram dois encorajamentos.

Primeiro, uma pesquisa nos arquivos da realeza babilônica revelou que os judeus tinham recebido plena autorização para reconstruir o templo. Assim, foi enviada uma mensagem ao governador do território situado a oeste do Eufrates, em Jerusalém, e aos seus oficiais: “Não interfiram na obra que se faz nesse templo de DEUS” (Esdras 6.7).

Segundo, dois profetas especialmente designados por DEUS, Ageu e Zacarias, encorajaram a Zorobabel para que concluísse a sua obra. Estas foram as palavras de exortação do profeta Ageu: “Quem de vocês viu este templo em seu primeiro esplendor? Comparado a ele, não é como nada o que vocês veem agora? Coragem! Ao trabalho. Porque eu estou com vocês, declara o SENHOR dos Exércitos” (Ageu 2.3-4).

A palavra do Senhor também veio ao profeta Zacarias, dizendo: “As mãos de Zorobabel colocaram os fundamentos deste templo; suas mãos também o terminarão” (Zacarias 4.9). Assim, “Zorobabel […] e Jesua […] começaram a reconstruir o templo de DEUS em Jerusalém. E os profetas de DEUS estavam com eles e os ajudavam” (Esdras 5.2).

A reconstrução do templo começou em 520 antes de CRISTO e foi concluída em 515 antes de CRISTO, aproximadamente setenta anos depois da destruição do templo anterior, como o profeta Jeremias havia profetizado. Tendo celebrado com alegria a dedicação do templo, os sacerdotes e o povo celebraram a Páscoa, como se tivessem sido novamente redimidos.

Eles estavam começando a perceber o padrão tríplice de sua redenção, com DEUS chamando Abraão de Ur, Israel do Egito e os exilados da Babilônia. Esses três chamados eram prenúncios da grande redenção realizada por Deus através de Jesus Cristo.

Hoje DEUS está chamando cada um de nós, por meio de JESUS CRISTO, que já completou a Obra da Redenção (TETELESTAI!) e como estamos nós respondendo a este chamado?

"Sei, meu SENHOR, do que tens preparado para mim. Faz em mim o TEU querer!"

Márcio Melânia,
baseado em texto de Stott.

11 abril 2017

Devocional para Terça-Feira, 11 de Abril de 2017



O apóstolo Paulo diz que todos aqueles que pertencem a CRISTO crucificam a natureza pecaminosa juntamente com suas deficiências e pecados. Nós, como cristãos, ainda não nos livramos completamente da nossa natureza pecaminosa, e ainda somos inclinados ao pecado. Não tememos e amamos a DEUS o suficiente.
Somos conduzidos pela ira, inveja, impaciência, imoralidade sexual e outros impulsos malignos.
Entretanto, não agimos movidos por esses impulsos, pois, como Paulo diz aqui, nós crucificamos a nossa natureza pecaminosa com suas paixões e desejos.
Suprimir a maldade, jejuar ou exercer outras atividades espirituais não é o suficiente para crucificar a natureza pecaminosa. Isso acontece somente quando vivemos pelo Espírito (Gálatas 5.16).
As ameaças de DEUS de punir o pecado também servem como advertência e nos intimidam a pecar. Armados com a Palavra de DEUS, fé e oração, nós nos recusamos a ceder aos desejos da natureza pecaminosa. Ao resisti-la dessa maneira, nós pregamos seus desejos e ânsias na cruz para que – apesar de ainda viva e em ação – ela não consiga o que deseja, por estar com os pés e mãos amarrados à cruz.

Em resumo, nós devemos crucificar a natureza pecaminosa enquanto vivermos na terra. Isso significa que estamos cientes dos desejos dela, mas não obedecemos a eles. Com a armadura de DEUS e as armas espirituais da fé, esperança e a espada do Espírito, nós lutamos contra a natureza pecaminosa. Com esses pregos, nós a amarramos à cruz para que ela seja forçada, contra a sua vontade, a estar sujeita ao Espírito. Quando morremos, nós nos desfazemos completamente da natureza pecaminosa. Quando formos ressuscitados, teremos uma natureza pura, sem paixões ou ânsias pecaminosas.

Lutero

"Sê conosco, SENHOR!"

com adaptações de
Márcio Melânia

10 abril 2017

Devocional para Segunda-Feira, 10 de Abril de 2017



Por onde andarmos, seja no supermercado, no banco, no trabalho e também na igreja estaremos refletindo a todos o que está em nosso coração, o desejo em sempre expressar a nossa alegria, paz, e fé que temos em CRISTO JESUS. Não que isto seja fácil no dia a dia, mas temos consciência de que esta é a vontade do SENHOR DEUS para com os seus filhos. Somos, então, nas palavras do apóstolo Paulo, dominados pelo Espírito.

O texto de Romanos 8.1-11 nos permite a fazer uma comparação entre ser dominado pela carne e ser dominado pelo Espírito. Ele é taxativo quando menciona que a carne leva para a morte e conclui que ser dominado pelo Espírito leva para a vida. Esta relação vida e morte aparece em várias passagens da Escritura Sagrada, já desse o jardim do Edem. Sempre está evidente que as pessoas ao se afastarem de DEUS, trilhando os seus próprios caminhos, não têm um final feliz. Mas, se andam com o SENHOR só poderão colher bênçãos desta sua iniciativa.

Por vezes ficamos em dúvida de quais têm sido as nossos focos. Facilmente nos esquecemos do amor e bondade de DEUS em nossas vidas e vivendo momentos não agradáveis diante do SENHOR. Agindo assim a nossa inclinação é viver​ segundo a carne. Mas, o que isto significa? As pessoas podem se confundir quanto a este assunto e viver cm as suas consciências pesadas.

Quem tem o domínio sobre nós? Esta pergunta precisa ser respondida.

No versículo 9 é dito: “Vós, porém, não estais na carne, mas no Espírito, se, de fato, o Espírito de DEUS habita em vós. E, se alguém não tem o Espírito de CRISTO, esse tal não é dele”. Pertencemos a CRISTO​ se temos o seu Espírito. Este é um assunto recorrente da fé cristã. O apóstolo orienta na palavra que as pessoas precisam pertencer a CRISTO e ter o seu Espírito, viver segundo este mesmo Espírito. Nossos comportamentos estarão revelando uma ação do Espírito do SENHOR sobre nós. E se isto não está acontecendo em sua vida, ainda é tempo de voltar-se para DEUS, que é rico em perdoar e lançar-se sobre ele, deixando que ele conduza plenamente a sua vida.

"SENHOR, contempla minha vida. Sonda-me e vê se há em mim algum caminho mau, guia-me pelo Caminho Eterno. Amém."

Márcio Melânia
Google