19 janeiro 2017

Devocional para Quinta-Feira, 19 de Janeiro de 2017



Mesmo que pareça o contrário, não é o mar que empurra o vento para lá e para cá. É o vento que empurra as ondas do mar para onde quer.
Quem duvida, fica ao léu do vento; é carregado pelo vento; não sabe o que quer; sobe e desce; vira para trás e para frente; para a esquerda e para a direita. Que as ondas do mar sejam assim, não há problema; isso até serve para quebrar a rotina. Porém, que uma pessoa seja assim é um problema sério.
É uma pessoa comandada pelas circunstâncias e pela vontade própria, ambas mutáveis. Este é uma “Maria vai com as outras”, um joguete em mãos alheias. Quem duvida, crê hoje e não crê amanhã, não crê hoje e crê amanhã. É instável, não merece a confiança de ninguém, nem a dele próprio.
Noé recebeu a ordem para construir a arca e foi até o fim, até o dilúvio – mesmo que isso, às outras pessoas, parecesse algo incrivelmente ridículo e improcedente. Abraão não deixou seu próprio país para voltar em seguida, mas seguiu em frente sem saber para onde ia. Quando Deus o quis pôr à prova, Abraão levantou o cutelo para enterrar no peito do filho Isaque, na certeza que Deus era capaz de ressuscitá-lo (Hebreus 11.8, 17-19). Ele não era como as ondas do mar.
Deus confiou a Moisés a incumbência de retirar o povo de Israel do Egito e levá-lo para Canaã, e ele levou quarenta anos para fazer isso. Todos os heróis da fé abraçaram uma causa e nunca a abandonaram, mesmo sendo insultados, torturados até a morte, mortos a pedradas, serrados pelo meio e vivendo em cavernas e buracos na terra (Hebreus 11.35-38). Nenhum deles era como as ondas do mar, que o vento leva de um lado para o outro.
Oremos para que DEUS nos "desamarre" da dúvida e nos capacite com fé.
Márcio Melânia
Postar um comentário
Google