31 janeiro 2017

Devocional para Terça-Feira, 31 de Janeiro de 2017



Cada vez mais encontramos pessoas que querem se destacar das demais.
Isto acontece na pratica de esporte, onde querem HB sobrepujar os demais. Também se vão a uma festa, querem se apresentar sempre melhores vestidos e ocuparem os melhores lugares e serem notados por todos. Se vão a uma reunião, querem ocupar lugares de destaque. No trabalho tudo fazem para que o patrão note seus esforços, não importando se, para serem promovidos, pisem e maltratem seus colegas de trabalho, tenham de falar mal ou desprestigiar o trabalho dos outros. Todos querem ocupar o primeiro lugar. Todos querem ser notados.
No tempo de JESUS CRISTO não era diferente, como nunca foi diferente na história da humanidade.
Mas, a doutrina de JESUS CRISTO contraria o modo de pensar do mundo.
O mundo incita que se ocupe os primeiros lugares onde quer que se esteja, e os discípulos de JESUS CRISTO, inebriados com as coisas do mundo e julgando que no céu seria a mesma coisa, perguntam ao Mestre: “Quem é o maior no Reino dos Céus?” (Mateus 18.1).
JESUS, conhecedor profundo dos corações orgulhosos dos homens, não se irrita com essa pergunta e nem chama a atenção dos que a fizeram e, simplesmente, “...chamou perto de si uma criança, colocou-a no meio deles e disse: “Em verdade vos digo que, se não vos converterdes e não vos tornardes como as crianças, de modo algum entrareis no Reino dos Céus. Aquele, portanto, que se tornar pequenino como essa criança, esse é o maior no Reino dos Céus.” (Mt 18,2-4).
O mundo deixa claro que só é importante aqueles que ocupam os primeiros lugares, e JESUS CRISTO diz: Se alguém quiser ser o primeiro, seja o último de todos e o servo de todos.” (Marcos 9,.35). O mundo prega a ganância, o orgulho, a vaidade; JESUS CRISTO prega a humildade, a simplicidade, a caridade, o amor.
Eis exposto o mistério da fé. Posto diante de nós os dois caminhos.
Oremos, declarando diante de DEUS a nossa escolha, como fez Josué (24.15): "Eu e minha casa serviremos ao Senhor".

Márcio Melânia

Postar um comentário
Google