11 abril 2017

Devocional para Terça-Feira, 11 de Abril de 2017



O apóstolo Paulo diz que todos aqueles que pertencem a CRISTO crucificam a natureza pecaminosa juntamente com suas deficiências e pecados. Nós, como cristãos, ainda não nos livramos completamente da nossa natureza pecaminosa, e ainda somos inclinados ao pecado. Não tememos e amamos a DEUS o suficiente.
Somos conduzidos pela ira, inveja, impaciência, imoralidade sexual e outros impulsos malignos.
Entretanto, não agimos movidos por esses impulsos, pois, como Paulo diz aqui, nós crucificamos a nossa natureza pecaminosa com suas paixões e desejos.
Suprimir a maldade, jejuar ou exercer outras atividades espirituais não é o suficiente para crucificar a natureza pecaminosa. Isso acontece somente quando vivemos pelo Espírito (Gálatas 5.16).
As ameaças de DEUS de punir o pecado também servem como advertência e nos intimidam a pecar. Armados com a Palavra de DEUS, fé e oração, nós nos recusamos a ceder aos desejos da natureza pecaminosa. Ao resisti-la dessa maneira, nós pregamos seus desejos e ânsias na cruz para que – apesar de ainda viva e em ação – ela não consiga o que deseja, por estar com os pés e mãos amarrados à cruz.

Em resumo, nós devemos crucificar a natureza pecaminosa enquanto vivermos na terra. Isso significa que estamos cientes dos desejos dela, mas não obedecemos a eles. Com a armadura de DEUS e as armas espirituais da fé, esperança e a espada do Espírito, nós lutamos contra a natureza pecaminosa. Com esses pregos, nós a amarramos à cruz para que ela seja forçada, contra a sua vontade, a estar sujeita ao Espírito. Quando morremos, nós nos desfazemos completamente da natureza pecaminosa. Quando formos ressuscitados, teremos uma natureza pura, sem paixões ou ânsias pecaminosas.

Lutero

"Sê conosco, SENHOR!"

com adaptações de
Márcio Melânia

Postar um comentário
Google