08 novembro 2006

Somos Chamados

Nosso desejo e privilégio como cristãos, é servir a Deus. Muitos de nós já investimos a vida e o talento na propagação do Evangelho. Mas que tipo de serviço e quais são as obras que temos para apresentarmos a Deus? Que frutos temos produzido? (Gálatas 5.22) Que tipo de servo somos, bons ou maus? (Mateus 24.45-51) Utilizamos ou enterramos nossos talentos? (Mateus 25.14-30; João 5.17) Estamos produzindo obras boas ou más? (1 João 3.12) Será que estamos produzindo obras mortas? (Hebreus 9.14) Nossas obras são sem consistência? (1 Coríntios 3.12-15).

Precisamos compreender que para servirmos ao Senhor são necessárias algumas qualificações:

A primeira qualificação é ter consciência que Deus é o nosso Senhor e que o serviço é feito para agradar a Ele e não aos homens (Efésios 6.6-8).

A segunda qualificação é a obediência – primeiramente a Deus (O que Ele quer da minha vida? Onde Ele quer que eu trabalhe?) e aos líderes e pastores (homens como nós, com defeitos e limitações, porém revestidos de autoridade espiritual – Hebreus 13.17)

A terceira qualificação refere-se à fidelidade. É aquele que cumpre aquilo a que se submete. É o que ama a sua igreja, seu pastor, seus irmãos, e quer ver o sucesso do Reino de Deus. Homens fiéis que cumprem com sua palavra.

Precisamos ser fiéis em nossas escolhas (“Que os homens nos considerem como ministros de Cristo, e despenseiros dos mistérios de Deus. Além disso, requer-se dos despenseiros que cada um se ache fiel.1 Coríntios 4.1, 2).

Questione-se com as perguntas acima, pese-se antes que o próprio Deus faça isto e lhe encontre em falta. Que Deus nos abençoe.



Márcio Melânia

Postar um comentário
Google