15 março 2017

Devocional para Quarta-Feira, 15 de Março de 2017



Ao lermos os Salmos, observamos a crescente, continuada e muito profunda intimidade entre o salmista e DEUS.

Para ele, DEUS não é um criador impessoal nem uma força sem coração nem uma autoridade de difícil acesso.


A intimidade é tal que o salmista usa um rico vocabulário para se dirigir a DEUS, colocando o pronome possessivo: o SENHOR é o meu escudo, a minha fortaleza, a minha força, o meu forte refúgio, a minha luz, a minha rocha, o meu rochedo, a minha torre alta. Para o salmista, DEUS é o seu ajudador, a sua esperança, a sua glória, o seu libertador, o seu pastor, o seu rei e o seu salvador.


Os salmos mostram a total dependência que o salmista tem de DEUS. Ele precisa do SENHOR para tudo — para continuar vivo, para sair de uma situação complicada, para não pecar, para obter perdão, para andar de cabeça erguida, para não se desesperar, para parar de chorar, para alegrar-se, para não cometer equívocos, para superar circunstâncias desfavoráveis, para obter vitória sobre seus adversários.

O salmista resume essa dependência no breve testemunho: “O SENHOR é a minha força e o meu escudo; Nele confiou o meu coração, e fui socorrido.” (Salmos 28.7).


"SENHOR, faz-me como o salmista. Que eu possa compreender que só em TI posso repousar seguro. Faz=me depender de TI somente. Amém."


Márcio Melânia

Postar um comentário
Google