11 dezembro 2016

Devocional para Domingo, 11 de Dezembro de 2016

REFÚGIO é abrigo no perigo e nos mostra que somente ELE, o nosso grande DEUS, é nossa real segurança nas tempestades da vida.
FORTALEZA é a força divina nas nossas lutas contra inimigos, sejam visíveis ou invisíveis.
Os Salmos usam muito a imagem de uma fortaleza para descrever DEUS.
No antigo Oriente Médio, as cidades eram construídas em lugares altos, com altas muralhas, para sua defesa.
Ainda assim, não havia cidade ou estrutura defensiva impenetrável. O salmista fala aqui, no entanto, daquele que é O nosso porto inteiramente seguro.
DEUS é o refúgio seguro para o SEU povo, contra tudo, real ou imaginário.
ELE está bem perto de nós (EMANUEL) e deseja que o busquemos em todos os momentos de nossas vidas.
Seja nos momentos de adversidades, nos momentos de lutas, nos momentos de dor e sofrimento ou nos momentos de  tristezas.
ELE é poderoso e suficiente para agir e nos dar vitórias em qualquer situação. ELE é presente e nunca nos deixa só. Nós não temos o que temer.
DEUS é o nosso refúgio e fortaleza é o nosso socorro bem presente em todos os momentos da nossa vida.

Márcio Melânia

10 dezembro 2016

Devocional para Sábado, 10 de Dezembro de 2016

"Ele mostrou a você, ó homem, o que é bom e o que o SENHOR exige: pratique a justiça, ame a fidelidade e ande humildemente com o seu DEUS."
Мiquéias 6:8

Já está escrito o que DEUS requer de nós. Não é necessário ter dúvidas sobre as suas exigências:

1) Pratique a justiça.
2) Ame a fidelidade.
3) Ande humildemente com o seu DEUS.

Às vezes a gente inventa, complica, espiritualiza... Mas DEUS é simples.
E o que é esperado de nós também é simples. Justiça, Fidelidade e Humildade. Só isso!
Miqueias ensinou que a verdadeira religião leva a pessoa a uma comunhão íntima com o SENHOR, e que, dessa comunhão, brota conduta íntegra para com os demais.
O teólogo Russel Normam Champlin disse que para Miqueias, a fé em DEUS deve resultar em justiça social e santidade pessoal e essas coisas só podem coexistir quando há a efetiva presença de DEUS.
Essas três exigências: praticar a justiça, amar a misericórdia e andar humildemente com DEUS não podem ser desmembradas.
Isso porque é possível praticar a justiça de forma severa e inflexível sem misericórdia. Também pode haver misericórdia sem justiça. Também é fácil encontrarmos gente que diz que anda humildemente com DEUS, mas que dá à justiça e à misericórdia pouco espaço em sua vida.
Cabem muito bem aqui as sábias palavras do salmista Davi: “Os sacrifícios que agradam a Deus são um espírito quebrantado; um coração quebrantado e contrito, ó Deus, não desprezarás.” (Salmo 51.17).

Márcio Melânia

09 dezembro 2016

Devocional para Sexta-feira, 09 de Dezembro de 2016

Este Salmo demonstra na visão do seu compositor o cuidado extremo de DEUS conosco.
Este belo hino era cantado na subida para Jerusalém, o poeta começa descrevendo o cuidado de Deus com uma possibilidade comum -- o tropeço -- que Deus torna impossível.
Nossa caminhada é feita em meio a curvas, buracos e pedras. Assim são as estradas, cheias de curvas, e nós não sabemos o que vem depois delas, mas Deus as conhece e nos guarda.
São assim as ruas das cidades, cheias de buracos, e nem sempre os vemos, mas Deus os vê e nos guarda. Os nossos caminhos são feitos de obstáculos, como Deus nos guarda em nossa caminhada na vida, evitando que tropecemos.
Ele é como um salva-vidas na praia, que a tudo vê.
O guardião (ou protetor ou sentinela) está sempre alerta. Ele não dorme, nem cochila. Ele não tira férias, nem folga. Como Baal, os deuses dormem (1Reis 18.27), mas Deus sequer cochila.
Então, podemos dormir porque o sentinela divino não dorme. Podemos nadar porque o guardião não falha. Podemos viver porque Deus está ao nosso lado.
Podemos nos lembrar sempre que DEUS é EMANUEL, sempre está conosco e não deixará que nossos pés tropecem.

Márcio Melânia

08 dezembro 2016

Devocional para Quinta-feira, 08 de Dezembro de 2016

O que é liberdade? O que é  ser livre? Há um verso bíblico que diz:
"Não sabeis vós que a quem vos apresentardes por servos para lhe obedecer, sois servos daquele a quem obedeceis, ou do pecado para a morte, ou da obediência para a justiça? Mas graças a DEUS que, tendo sido servos do pecado, obedecestes de coração à forma de doutrina a que fostes entregues. E, libertados do pecado, fostes feitos servos da justiça." (Romanos 6.16-18)
Libertados do pecado…servos da justiça – então, libertados de quê? se tornamos escravos de quem ou de quê está se servindo.
Todos brigam por liberdade, mas na verdade são escravos com capa de  liberdade.
Qual a liberdade do preso, que ao ser solto não consegue se manter de forma justa? continuará preso do mesmo jeito.
A verdadeira liberdade consiste em conhecer os próprios limites.
"Andarei em verdadeira liberdade, pois tenho buscado os teus preceitos." (Salmos 119.45)
O homem quer ser livre para fazer o que quer, o que deseja o seu coração independente de qualquer coisa e se utiliza de muitos recursos e preceitos para chegar no alvo, mas a verdadeira liberdade é o homem buscar não somente o que é justo, mas o que é certo e se tornar "escravo" disto.

Não temos liberdade de mudar o natural das coisas, pois as consequências serão drásticas.A liberdade tem uma lei e desta não podemos fugir. "Assim falai, e assim procedei, como devendo ser julgados pela lei da liberdade." (Tiago 2.12)

O que temos visto é que muitos tem se aproveitado da “liberdade” para fazer o que é contrario a natureza, o que é mal, sem pensar nas consequências.
A liberdade tem um preço, não só para ser livre, mas, também, para se manter e viver livre.
Se compreendemos esta assertiva, livramos nossa vida de consequências que não almejamos.

Márcio Melânia

07 dezembro 2016

Devocional para Quarta-feira, 07 de Dezembro de 2016

A ansiedade é o grande mal moderno.
A pessoa ansiosa se "pré-ocupa" antes do tempo, antecipa os sofrimentos e vive hoje os problemas de amanhã (e amanhã de novo).
Muitas vezes criamos expectativas que fantasiam uma realidade difícil de acontecer, o que gera frustração.
Entretanto, o sábio Salomão oferece o tratamento para esse mal. Não são remédios de tarja preta, mas “uma palavra bondosa”.
Segundo esse médico da alma, a palavra bondosa “anima” o deprimido.
Por isso, a Bíblia nos ensina a fazer exortações, ou seja, nos encorajar mutuamente (Hebreus 3.13). Ela ensina como tais exortações fortalecem os que seguem a CRISTO (Atos 20.2).
JESUS conhecia o coração humano e por isso também falou de ansiedade.
Poderia tratar de muitos assuntos práticos e reais, mas foi ao profundo da alma das pessoas onde está seu maior sofrimento. (Mateus 6.25-34).
Entre outras coisas, JESUS  diz que o amanhã pertence a DEUS, mas o presente ELE deu a nós.
Ao invés de olhar somente para os problemas, contemplemos a fé no DEUS dos impossíveis. Certamente a presença de DEUS nos traz a segurança que precisamos para vencer a ansiedade.

Márcio Melânia

06 dezembro 2016

Devocional para Terça-feira, 06 Dezembro de 2016

Essa pergunta tem sido difícil para muitos, pois é fácil chamar a CRISTO de SENHOR, difícil, é fazer a sua vontade.
As vezes quando oramos: “seja feita a vossa vontade”, é mentira, porque a vontade de DEUS é a que menos importa.
 O contexto deste verso é a parábola em que CRISTO faz a comparação entre dois construtores.
Os dois vêm a CRISTO e ouvem as suas palavras. Um deles, não apenas ouve, também as pratica.
Esse, diz JESUS: “é semelhante a um construtor que edificando uma casa, cavou, abriu profunda vala e lançou o alicerce sobre a rocha, e, vindo a enchente, arrojou-se o rio contra aquela casa e não pode abalar por ter sido bem construída.”
O que abala, derruba, destrói uma casa, uma vida, não são os ventos, as enchentes, as tempestades, as tormentas, tudo depende do lugar em que a casa é construída, qual o tipo do alicerce.
O outro homem, também ouviu as palavras de CRISTO, mas não as praticou. Ele também construiu uma casa para si, mas não tinha alicerces, e nem estava edificada sobre uma rocha; então, quando o rio jogou-se contra ela, a casa logo desabou.
As palavras foram ditas aos dois, os dois edificaram para si uma casa, as tempestades e os rios arrojaram-se sobre as duas casas, só uma permaneceu firme.
No Salmo 124, Davi afirma: “Se não fosse o SENHOR que estivesse do nosso lado... então as águas teriam transbordado sobre nós e a corrente teria passado sobre as nossas almas.”
Mas nós escapamos, o SENHOR nos livrou, ELE é rocha firme.
Mesmo que os rios e as ventanias venham sobre nós, e virão, "os que esperam e confiam no SENHOR, os que construíram suas casas sobre essa rocha que é CRISTO, “não se abalam, permanecem para sempre”, (Salmos 125), são arvores plantadas junto a ribeiros que dão o seu fruto na estação própria (Salmo 1), que tem raiz e não são levados por qualquer vento.
Somente em CRISTO estamos seguros. ELE é a rocha que que sustenta e não deixa que nada abale aos que ouvem e praticam suas palavras.

Márcio Melânia

05 dezembro 2016

Devocional para Segunda-feira, 05 de Dezembro de 2016

Estas palavras foram ditas por DEUS à  Salomão, o mais sábio dos seres humanos. Ele transmitiu ao povo este conselho para que ao perceberem a ausência de chuvas, a seca nos campos, a corrupção nas cidades e a opressão dos mais ricos,  voltassem seus corações para buscar ao Senhor e clamassem a DEUS pelo cumprimento de SUA promessa.
Em diversas ocasiões na história do povo de Israel, o povo se lembrou destas palavras e a situação em que eles se encontravam foi mudada porque algumas pessoas decidiram colocar em prática o texto acima.
O mesmo encorajamento que essa palavra trouxe para os homens do passado, ela deve trazer para as pessoas do presente.
DEUS não aboliu a Sua palavra, e Sua promessa jamais deixou de ser verdadeira.
O que DEUS proclamou ao povo de Israel há milhares de anos continua valendo para o atual Israel de DEUS : a Igreja resgatada pelo sangue do Senhor Jesus.
Recebemos de DEUS a responsabilidade de mudar a história das sociedades. O mundo não será verdadeiramente transformado através de políticas internacionais; os países não serão de fato mudados pelo desenvolvimento tecnológico e crescimento na educação; as sociedades não se tornarão melhores se adotarem uma política de desenvolvimento planejado; as pessoas não serão mais prósperas se ganharem melhores salários.
Hoje nós podemos ver a triste situação do Brasil e do mundo.
Temos ouvido falar acerca da pobreza crescente, da exploração aviltante, das desigualdades sociais, das mortes encomendadas, das guerras sanguinárias, das catástrofes ecológicas e da miséria no mundo.
O ser humano está cada vez mais corrompido e menos compassivo.
Parece que, a cada dia, os reflexos da glória de DEUS no homem têm se tornado menos perceptíveis: ele está menos parecido com DEUS.
A sociedade está, instante após instante, mais deformada.
Até mesmo “(...) a natureza criada aguarda com ardente expectativa a revelação dos filhos de DEUS” (Romanos 8.19).
É tempo de nos humilharmos, orar, e buscar a face de DEUS e nos converter dos nossos maus caminhos.

Márcio Melânia
Google