26 março 2017

Devocional para Domingo, 26 de Março de 2017



Os que olham para o SENHOR, garante o salmista, “estão radiantes de alegria” e “seus rostos jamais mostrarão decepção” (Salmos 34.5).


A expressão do rosto revela o que está escondido no coração. Daí o rosto abatido de Ana antes do seu desabafo diante do SENHOR em Siloh. Daí o rosto não mais abatido de Ana depois de sua oração (1Samuel 1.18).


Ao ver o semblante alterado de Neemias, o rei Artaxerxes lhe perguntou: “Por que o seu rosto parece tão triste, se você não está doente? Essa tristeza só pode ser do coração!” (Neemias 2.2).


Os que estão cheios de alegria irradiam alegria para todos os lados. A alegria deles sai do coração para o rosto e do rosto para o ambiente onde estão e por onde passam. Não é uma alegria egoísta, fechada dentro de quatro paredes, reservada, escondida. É uma alegria pública, contagiante e comunitária.


Os radiantes de alegria não conseguem esconder o regozijo, não precisam mentir que estão alegres, não fabricam alegria artificial. A alegria deles é conseqüência de uma atitude: “Os que olham para o SENHOR [e não para o mar revolto] estão radiantes de alegria”.

"SENHOR DEUS, completa-nos com a tua Alegria, pois ela a nossa força é!"


Márcio Melânia

25 março 2017

Devocional para Sábado, 25 de Março de 2017



Você não precisa pagar por nada em relação à sua Salvação eterna. Tudo foi pago (consumado!) na cruz por JESUS!

 "Muito obrigado, Senhor JESUS, eu não poderia pagar."

Márcio Melânia

24 março 2017

Devocional para Sexta-Feira, 24 de Março de 2017




Era por volta do meio-dia quando JESUS e seus discípulos chegaram ao poço de Jacó, e o sol estava a pino. JESUS se achava cansado depois de caminhar a manhã inteira e se sentou ao lado do poço para descansar. ELE sentia fome e então enviou seus discípulos ao vilarejo vizinho para comprar comida. ELE também estava com calor e sede, por isso pediu à mulher samaritana que lhe desse água. JESUS não era um super-homem imune às fragilidades dos mortais comuns. ELE era um ser humano autêntico.

Outra característica de JESUS que essa história destaca é a Sua atitude para com a tradição. ELE era conservador em relação à Escritura, crendo que ela era a Palavra de Deus. Contudo, era radical em relação à tradição, sabendo que ela consistia somente em palavras humanas. Um radical é alguém que é crítico acerca de todas as tradições e convenções, que se recusa a aceitá-las apenas por terem sido herdadas do passado.

A mulher samaritana, por sua vez, possuía uma desqualificação social tripla. Primeiro, era uma mulher; e um homem não deveria conversar com uma mulher em público. Mas JESUS fez aquilo que não era recomendável. Segundo, ela era samaritana, e judeus não se relacionavam com samaritanos. Terceiro, ela era uma pecadora, já tivera cinco maridos e agora estava morando com um homem com quem não havia se casado. E pessoas respeitáveis, como rabinos, não se misturavam com pecadores como ela. Assim, por três vezes, JESUS fez o que não era aceitável. Rompeu deliberadamente convenções sociais de seu tempo. Ele estava inteiramente livre da discriminação de gênero, do preconceito étnico e do pedantismo moral. Ele amava e respeitava todas as pessoas e não se esquivava de ninguém.

Sendo assim, Jesus era conservador (em relação à Escritura) e radical (em relação à tradição cultural​) ao mesmo tempo.

"Meu DEUS, ajuda-me a ser conservador em relação a Tua Palavra e radical em relação a tradição cultural​ desta época."


Márcio Melânia,
baseado em escritos de Stott

23 março 2017

Devocional para Quinta-Feira, 23 de Março de 2017




Prioridades.

Nesta altura de nossas vidas já deveriam estar claras: Fomos criados por DEUS e para DEUS; portanto o sentido e a realização de nossa vida devem acontecer no campo da Graça.

O que ELE diz e faz, e como respondemos e obedecemos a ELE são as realidades centrais de nossa vida.

Isto é o determinante​ do nosso futuro de eternidade.


Um questionamento pode agora ser colocado: Quais evidências existem em nossas vidas​ de que buscamos, em primeiro lugar, o reino de DEUS?


“Aquieta-te, minha alma: o SENHOR está ao teu lado; suporta com paciência a cruz da tristeza ou da dor; deixa para teu DEUS a ordem e a providência; em toda mudança, ELE permanecerá fiel. Aquieta-te, minha alma; teu melhor e celestial Amigo, por caminhos espinhosos, te conduz a um final feliz.” Amém.


Márcio Melânia

22 março 2017

Devocional para Quarta-Feira, 22 de Março de 2017




A pequena palavra servir é chave para este versículo. Não é pecado ter dinheiro e propriedades, uma esposa e filhos, e uma casa ou lar. Contudo, não permita que essas posses controlem você. Pelo contrário, torne-as suas servas e seja o mestre delas.


Lembre-se do que se diz sobre indivíduos amáveis e generosos: “Eles são senhores do seu dinheiro”. O dinheiro não os controla como faz com um avarento egoísta que ignora a Palavra e a vontade de DEUS.

Alguém assim prefere deter uma mão que serve a permitir que o dinheiro se vá. Esse tipo de avareza é a marca de indivíduos muquiranas, infantis e insensíveis, que não colocam os recursos em bom uso e nem mesmo usufruem deles. São pessoas que ignoram os tesouros eternos por amor ao dinheiro.


Eles procuram os seus próprios alvos egoístas e negligenciam a Palavra de DEUS, pensando que podem voltar a ela em momento mais conveniente. Enquanto isso, lutam para conseguir tudo que puderem, sem destinar um centavo para a obra de DEUS. Se não são corrigidos, eles afundam cada vez mais na avareza e na inveja, distanciando-se da Palavra de DEUS.

No final seus corações estarão cheios de ceticismo e eles se tornarão inimigos de Deus.


Portanto, CRISTO falou severamente quando disse: “Odiará um e amará o outro, ou se dedicará a um e desprezará o outro”. Isso é o mesmo que dizer: “O amor ao dinheiro torna as pessoas inimigas de DEUS”.

Este é o resultado de servirmos às riquezas. CRISTO também disse: “Pois onde estiver o seu tesouro, aí também estará o seu coração” (Mateus 6.21).


Nós corremos atrás do que amamos. Falamos sobre isso porque é onde estão nossos corações e pensamentos. Santo Agostinho foi direto ao ponto quando disse: “O meu deus é aquilo que eu amo”.


"DEUS, meu DEUS! Eu te amo, meu SENHOR! Retira de mim qualquer resquício de amor ao dinheiro. Ajude-me a desejar os tesouros eternos. Amém."




Lutero,

com pequenas adaptações de
Márcio Melânia


21 março 2017

Devocional para Terça-Feira, 21 de Março de 2017




O sofrer não é vontade de DEUS para nossa vida.
O sofrimento não é usado por DEUS para nos mostrar algum propósito secreto dele para nossas vidas.
O sofrimento advindo de seguir a CRISTO também não é vontade de DEUS, mas conseqüência da dureza do coração humano, que não ouve a voz de DEUS e se volta contra ELE.

Quanto à aprender com o sofrimento, é possível, pois nós podemos amadurecer, mudar conceitos, mudar o rumo da nossa vida após passar por sofrimento e situações difíceis - ou não.
Mas não podemos dizer jamais que DEUS usa o sofrimento para nos ensinar, amadurecer, rever conceitos em nossa vida.

Tudo isto fica claro quando lemos o contexto, em Tiago 1.12-15, onde se afirma com toda clareza no v. 12: "ELE mesmo (DEUS) a ninguém tenta". O mesmo texto de Tiago deixa claro que a origem da tentação é a nossa própria cobiça: "cada um é tentado pela sua própria cobiça" (v. 14).

Além disso, outros textos deixam claro que a origem da tentação não é DEUS, mas o diabo, satanás (adversário, inimigo de DEUS e de Seu povo): 1 Coríntios 7.5 - "para que Satanás não vos tente"; 1 Tessalonicenses 3.5 - "temendo que o tentador vos provasse"; Lucas 4.1-13, nos conta a tentação de JESUS, onde ELE é tentado pelo diabo.

DEUS não nos tenta/prova. Pelo contrário, é ELE quem nos dá força para suportar a tentação/prova: 2 Pedro 2.9 - "porque o SENHOR sabe livrar da provação os piedosos"; 1 Coríntios 10.13 - "DEUS é fiel e não permitirá que sejais tentados além das vossas forças; pelo contrário, juntamente com a tentação, vos proverá livramento, de sorte que a possais suportar".

"
​ETERNO, que a Tua presença na minha vida me fortaleça a cada dia e que eu possa vencer a tentação e a provação, no nome de TEU FILHO, JESUS CRISTO. Amém."​

Márcio Melânia

20 março 2017

Devocional para Segunda-Feira, 20 de Março de 2017



Comparando dois Salmos,, em um, o salmista afirma não ter medo de nada, nem de um exército acampado contra ele; noutro, ele se confessa “aterrorizado” (Salmos 27.1-3; 30.7). Será que trata-se de uma grande contradição? Ou é o caso de ter coragem numa ocasião e medo em outra? Não é nenhuma das duas coisas.

Em ambos os salmos, o poeta fala de um mesmo assunto. Quando DEUS não esconde a sua face, ele não tem medo de nada. Quando DEUS esconde a sua face, ele tem medo de tudo. O segredo da coragem é a presença de DEUS. O segredo do medo é a grande distância de DEUS. Seu estado de espírito, suas reações, tudo está centrado em DEUS.

Daí a declaração: “SENHOR, com o Teu favor, deste-me firmeza e estabilidade; mas quando escondeste a Tua face, fiquei aterrorizado” (Salmos 30.7). Essa questão de DEUS mostrar o seu rosto e de DEUS esconder o seu rosto, o salmista aprendeu com a chamada bênção sacerdotal, que o SENHOR mesmo ensinou a Arão e aos seus filhos para que eles abençoassem os israelitas: “O SENHOR faça resplandecer o SEU rosto sobre ti e te conceda Graça; o SENHOR volte para ti o SEU rosto e te dê paz” (Números 6.25,26). Certo dessa vantagem, várias vezes ele suplica: “Faze o teu rosto resplandecer sobre o teu servo” (Salmos 31.16).

"Meu PAI, me conceda a Graça de ter o TEU rosto resplandecendo sobre mim!"

 Márcio Melânia
Google