29 abril 2017

Devocional para Sábado,29 de Abril de 2017




Se sentir abatido é uma experiência muito desagradável (aquele que já passou por isso sabe bem). Para os que não estão acostumados com isso, a coisa se torna bem mais complicada. É disso que se queixa o salmista: “Minha alma ficou abatida”. Ele não estava abatido até que tomou conhecimento de uma investida da parte dos que não o queriam bem.

De um degrau mais alto desceu para um degrau mais baixo. De uma situação mais confortável desceu para uma situação menos confortável. De uma condição de ânimo desceu para uma condição de desânimo. A queda afetou a saúde espiritual, a saúde emocional e a saúde física. Trouxe algum transtorno para o homem todo.

Essa não é a primeira nem a última vez que o salmista passa por esse desconforto. Ele já havia confessado no Salmo 38: “Estou encurvado e muitíssimo abatido” (38.6). Já havia se questionado em outros salmos ainda: “Por que você está assim tão triste, ó minha alma?” (42.5, 11; 43.5). Existem muitos graus de abatimento, do mais leve ao mais tenebroso. Alguns tipos duram somente um minutinho de desânimo, outros parecem demorar uma eternidade. Estar abatido pode ser traduzido em alguns sinônimos leves tais como: desalento, desânimo e outro em um sinônimo assustador: depressão.

No caso do salmista, ele soube lidar com a má notícia e com o transtorno causado por ela. No mesmo poema, ele declara não só o seu abatimento (“Fiquei muito abatido”), mas também a sua fortaleza (“Meu coração está firme, ó DEUS”). Para nós, resta seguirmos a direção apontada pelo salmista: sair do desalento/desânimo/depressão para assumir uma posição de firmeza/fortaleza estabelecida no SENHOR, a Rocha dos Séculos (Isaías 26.4).

"Rocha eterna, meu JESUS,
Quero em Ti me refugiar!
O Teu sangue lá na cruz,
Derramado em meu lugar,
Traz as bênçãos do perdão:
Gozo, paz e salvação.

Não por obras nem penar,
Plena paz terei aqui.
Só Tu podes consolar,
Rocha eterna, só na cruz
Eu confio, ó meu JESUS!

Quando o derradeiro olhar
A este mundo aqui volver,
E no trono eu te encontrar,
Teu chamado a responder;
Rocha eterna espero ali
Abrigar-me, salvo, em Ti."

video


Márcio Melânia

28 abril 2017

Devocional para Sexta-Feira, 28 de Abril de 2017




O Salmo 85 é uma oração pela restauração, profundamente enraizada na fé em DEUS.
A ambientação deste Salmo indica ser o restabelecimento do povo de Deus após tremenda situação por que havia passado — provavelmente o cativeiro na Babilônia.
Neste poema, o povo ora pelo reavivamento de seu espírito e renovação da sua terra.

"Tornarás a vivificar-nos". É a oração do povo pelo seu próprio bem-estar e por uma nova perspectiva de adoração a DEUS.
Neste Salmos, transparece os quatro atributos divinos - misericórdia, verdade, justiça e paz - personificados. O salmista se vale deste belo recurso poético para descrever as bênçãos que DEUS vai derramar sobre seu povo.
A realização final desta prece, somente acontecerá quando do glorioso reino definitivo de JESUS, o Salvador.

"DEUS, por favor perdoe-me pelos meus pecados. Ter o SENHOR na minha vida, honrar Seu Reino com meu comportamento e honrar o SENHOR na minha vida com a minha bondade são muito importantes para mim.  Por favor, ressuscite-me de novo e capacite-me para amar, para fazer boas obras, e viver uma vida santa para que o SENHOR seja louvado.  No nome de JESUS.  Amém."



Márcio Melânia

27 abril 2017

Devocional para Quinta-Feira, 27 de Abril de 2017




Neste mundo de lutas, tentações e tribulações podemos nos cansar e nos enfadar da vida antes de buscarmos e encontrarmos a companhia de CRISTO. Para aprender a viver aqui temos de “entregar os pontos”.



Este  texto bíblico de hoje nos traz um pranto da frustração.  É um lamento que chama a atenção de Deus. A Bíblia diz: “O Senhor está perto dos que têm o coração quebrantado, e guarda os contritos de espírito.”


Quando compreendemos que nossa própria capacidade, bondade e moralidade são insuficientes diante de Deus e entendemos que dependemos inteiramente DELE, tudo fica diferente.

"SENHOR e Salvador, sei que nos vales da vida, eu posso me apegar a ti. Assim digo com meu coração que tu és meu Deus e Conforto. Em Jesus. Amém!"
                     

Márcio Melânia

26 abril 2017

Devocional para Quarta-Feira, 26 de Abril de 2017



O dia está repleto de possibilidades.
A ordem de JESUS desperta-nos de uma timidez sonolenta.
ELE não nos pede para ir ao mundo e conquistá-lo, mas nos chama a carregar o jugo com ele.
ELE não nos pede para fazer algo que não promete fazer conosco.
O convite para estarmos com ELE é maior do que a ordem que nos envia ao mundo.


Como tem funcionado o jugo de Jesus em sua vida?


“Vinde a mim, vós, cansados, e eu vos darei descanso. Ó bendita voz de Jesus, que vem aos corações oprimidos! Ela fala de bênção, de perdão, de graça e de paz, da alegria que não tem fim, do amor que não pode cessar.” Amém.



Márcio Melânia

25 abril 2017

Devocional para Terça-Feira, 25 de Abril de 2017



Amor e ódio são exclusivos: ou se ama ou se odeia. Mas, em determinadas ocasiões, amor e ódio formam uma dupla virtuosa. 
O salmista faz um elogio ao personagem central do Salmo 45: Ele ama a justiça e odeia a iniquidade. Quem ama a justiça tem a obrigação de odiar a iniquidade. Quem odeia a iniquidade se apega com amor à justiça. É sempre nesse caso que amor e ódio podem andar de mãos dadas. O contrário seria contraditório.

Quem é o personagem central do Salmo 45?
É o Noivo real que está se casando com a Noiva real, o príncipe que se encantou com a beleza da princesa.
Esse homem é exaltado sobremaneira e DELE se diz: “Amas a justiça e odeias a iniquidade; por isso DEUS, o teu DEUS, escolheu-te dentre os teus companheiros ungindo-te com óleo de alegria” (v. 7).

Por causa da abundância de entusiasmo por esse noivo, descobre-se que por trás dele está aquele noivo da parábola das dez virgens em Mateus 25.1-13, o Noivo que chegou para o casamento em dia e hora que ninguém sabia, o Noivo que “amou a Igreja e entregou-se por ela para santificá-la e para apresentá-la a si mesmo como Igreja gloriosa, sem mancha nem ruga, mas santa e inculpável” (Efésios 5.25,26). Este Noivo é JESUS!
   
Há duas coisas que JESUS sempre fez com perfeição: amar a justiça e odiar a iniquidade! 
   
"SENHOR! Como Igreja que somos, aguardamos ansiosamente a Tua vinda para nos buscar, odiando a iniquidade e amando a Justiça. MARANATA!"

Márcio Melânia

24 abril 2017

Devocional para Segunda-Feira, 24 de Abril de 2017




Às vezes a alma está abatida, a tristeza se instala no íntimo, e muitas vezes o peso do pecado é insuportável, a confusão toma conta da mente, todos os recursos próprios vão por água abaixo, só nos resta a misericórdia divina — então, aflitos derramamos uma multidão de súplicas diante do trono de DEUS.

Foi assim com o rei e salmista Davi, depois do adultério e do assassinato do marido traído, ele precisava de perdão e de purificação, e de muito mais. No início deste Salmo 51, Davi pede encarecidamente que DEUS o perdoe e o purifique, mas não fica somente nesses pedidos. Ele estende diante do Senhor cada uma de suas urgentes necessidades:

1) “Faze-me ouvir de novo júbilo e alegria”;
2) “cria em mim um coração puro”;
3) “renova dentro de mim um espírito estável”;
4) “não me expulses da tua presença”;
5) “nem tires de mim o teu Santo Espírito”;
6) “devolve-me a alegria da tua salvação”;
7) “sustenta-me com um espírito pronto a obedecer”; e
8) “dá palavras aos meus lábios”.

Perdão e purificação são bênçãos indispensáveis, porém acidentais. Elas se tornam necessárias depois de alguma rebelião contra DEUS. As outras bênçãos são o pão nosso de cada dia — medidas preventivas para evitar ou tornar mais difíceis outros escorregões. Para não voltar a adulterar nem a assassinar os maridos traídos, precisamos de alegria interior, de coração puro, de renovação, de sustento e da presença contínua do Espírito dentro de nosso ser!
                                  
"SENHOR, sê propício à mim, pecador!"
                       

Márcio Melânia

23 abril 2017

Devocional para Domingo, 23 de Abril de 2017




(Romanos 10.16-17)

Quando nos deparamos com as verdades bíblicas tendemos a renunciá-las, acatando somente o que nos convém ou é palatável. É assim com a Palavra de DEUS.

Ser cristão também significa ser capaz de reconhecer que somos falhos e pecadores, e que precisamos de um SALVADOR, do contrário qual seria o sentido do sacrifício de CRISTO?
Somos confrontados, pela Biblia, com a nossa natureza pecaminosa e rebelde como ela é. Daí, temos a chance de mudar através das obras realizadas em nós pelo Espírito Santo, uma vez que nos tornamos submissos a DEUS. Para tanto, é necessário admitir que nascemos em pecado e precisamos nos arrepender.

Os cristãos de hoje não querem ler a Bíblia, querem apenas as bênçãos de DEUS, e quando a leem valem-se de passagens isoladas para justificar heresias cometidas por eles mesmos ou por falsos mestres. Preferem viver no erro a sair da zona de conforto e aprender o que DEUS realmente quer que façamos. Creem que basta dizer ‘’SENHOR, SENHOR’’: ‘’Nem todo o que me diz: SENHOR, SENHOR! Entrará no reino dos céus, mas aquele que FAZ A VONTADE DE MEU PAI, que está nos céus. ’’ – (Mateus 7.21)

A vontade DELE está exposta nas Escrituras, e somente nela. Por mais que muitos ensinamentos e princípios bíblicos nos sejam doloridos de aceitar, não cabe a nós ignorá-los ou modificá-los para torná-los convenientes aos nossos desejos e interesses. Ou somos cristãos ou não somos, e ser pressupõe ler a acatar o que o SENHOR nos ensina, ainda que machuque e dilacere o nosso ego ou crenças fundamentadas em um falso evangelho.

No Evangelho não dá para ficar em cima do muro, ou amamos a Palavra inteiramente ou a desprezamos totalmente. Não há meio-termo. O verdadeiro evangelho existe para nos transformar em filhos de DEUS por completo, não pela metade. Abracemos toda a verdade contida na Bíblia e peçamos entendimento ao Pai para compreender o que está lá. Exerçamos a doutrina de CRISTO como ela é, sem adaptá-la aos nossos próprios anseios.
Agrademos a Deus fazendo a Sua vontade, e somente a Sua.

 "Ajuda-me, SENHOR!"

Márcio Melânia
Google